PUBLICIDADE
Topo

Vitor Guedes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Com 10, Timão segura na raça empate contra Boca Juniors, Bombonera e apito

Cantillo foi expulso durante o 2° tempo de Boca Juniors x Corinthians, jogo válido pela Libertadores - Agustin Marcarian/Reuters
Cantillo foi expulso durante o 2° tempo de Boca Juniors x Corinthians, jogo válido pela Libertadores Imagem: Agustin Marcarian/Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes
Vitor Guedes

Vitor Guedes é jornalista e professor universitário pós-graduado em Português, Língua e Literatura pela UMESP, autor do livro "Paixão Corinthiana", com passagens por Jovem Pan, Lance!, Site do Corinthians, BandNews FM, Agora São Paulo, FAPSP e UNG. Com Copas do Mundo, Mundial Libertadores, Brasileiros e dezenas de Paulistas no currículo, Vitor Guedes é 1977, pai do Basílio, ZL e, atualmente, é colunista do UOL Esporte e comentarista do Baita Amigos no Bandsports

Colunista do UOL

17/05/2022 23h27Atualizada em 18/05/2022 00h57

Mesmo com o caseiraço uruguaio Christian Ferreyra substituindo, com parcimônia, Carlos Amarilla (aquele soprador de apito picareta que, em 2013, invalidou dois gols legais e não deu dois pênaltis claros para o Corinthians e ainda não expulsou um zagueiro do Boca Juniors antes dos 10 minutos do primeiro tempo, no maior escândalo de arbitragem da história do futebol), o Boca Juniors não conseguiu vencer o Corinthians.

Com o 1 a 1, o Timão, que venceu o time azul e Amarilla por 2 a 0, na Neo Química Arena, manteve-se à frente e será líder do Grupo E confirmando a vitória sobre o Always Ready, na ZL. O Boca vai receber o Deportivo Cali em confronto que apontará, provavelmente, o segundo da chave.

Vítor Pereira, como esperado, rodou o elenco. A base de tudo, a dupla Du Queiroz e Maycon, dando sustentação aos zagueiros Bambu, João Victor e Raul Gustavo. Píton, à direita, ora recuava para a linha da defesa, ora formava a linha do meio; Fábio Santos, um pouco mais preso, com o mesmo papel pela esquerda. À frente, Willian, partindo da esquerda, Mosquito, da direita, e Jô centralizado.

O Corinthians nem precisou de Romarinho. O artilheiro improvável da vez foi o destro Du Queiroz, que, aos 16 minutos, fez, de canhota, o seu primeiro gol como profissional. A partida estava controlada quando, no final da etapa, Raul tirou fraco e a bola se ofereceu para Benedetto igualar, 1 a 1.

O segundo tempo começou completamente diferente, com a zaga corinthiana batendo cabeça, e o Boca pressionando, levando perigo e exigindo ótimas defesas de Cássio.

Depois de 11 minutos de pressão, VP mexeu no atacado: Mantuan, Cantillo e Renato Augusto entraram nos lugares de Bambu, Maycon e Willian. Além dos nomes, o sistema mudou para a tradicional linha de quatro.

Até que o melhor jogador da história do Boca, o apito, apareceu e, de forma caseira, escandalosa e completamente parcial, expulsou corretamente Cantillo, além do técnico VP, mas só amarelou o time da casa: um escândalo.

Restou ao Corinthians trocar Piton por Gil e, com 10, segurar na raça o empate contra o apito e o Boca Juniors até o final mais os SETE minutos de acréscimos. A classificação às oitavas, e muito provavelente como 1º, ficou mais perto.. Apesar da arbitragem padrão Conmebol.

Domingo, em Itaquera, o Corinthians coloca a liderança em jogo contra o São Paulo. Será também a chance de VP, que perdeu todos os quatro clássicos que disputou, todos eles como visitante, mostrar que sabe o que é um Majestoso...

PS: Parabéns ao Corinthians por se posicionar, de forma institucional, contra a homofobia. E parabéns também por fazê-lo respeitando à sua torcida e não usando a cor verde. O Corinthians pertence aos corinthianos, todos os corinthianos, independentemente de sexo, orientação sexual, raça e religião! E não é nenhum anti sem lugar de fala que vai dizer que cor é ou não aceitável no Corinthians. A mensagem, necessária, contra o preconceito aos gays foi passada. E sem desrespeitar a sua torcida. A antiada que não gostou que vista verde e vai opinar nas cores dos respectivos clubes. Verde, no Corinthians, não. Ponto final!

Análise completa de Boca Juniors x Corinthians e as avaliações dos jogadores corinthianos e de Vítor Pereira na live do UOL Esporte comigo e Ricardo Perrone.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL! É nóis no UOL!

Veja:

E me siga no Twitter e no Instagram