PUBLICIDADE
Topo

Vitor Guedes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Raphael Veiga é maior que Djalminha, Alex e grande elenco

Raphael Veiga comemora gol marcado pelo Palmeiras na partida contra o Independiente Petrolero, válida pela Libertadores - Daniel Rodrigo / Divulgação Conmebol
Raphael Veiga comemora gol marcado pelo Palmeiras na partida contra o Independiente Petrolero, válida pela Libertadores Imagem: Daniel Rodrigo / Divulgação Conmebol
Conteúdo exclusivo para assinantes
Vitor Guedes

Vitor Guedes é jornalista e professor universitário pós-graduado em Português, Língua e Literatura pela UMESP, autor do livro "Paixão Corinthiana", com passagens por Jovem Pan, Lance!, Site do Corinthians, BandNews FM, Agora São Paulo, FAPSP e UNG. Com Copas do Mundo, Mundial Libertadores, Brasileiros e dezenas de Paulistas no currículo, Vitor Guedes é 1977, pai do Basílio, ZL e, atualmente, é colunista do UOL Esporte e comentarista do Baita Amigos no Bandsports

Colunista do UOL

03/05/2022 23h27Atualizada em 04/05/2022 11h25

O Independiente Petrolero não é parâmetro para nada, então pulemos os três gols (entre eles, a pintura de cobertura) de Raphael Veiga no 5 a 0.

Mas ninguém faz 14 gols na história da competição que é obsessão da torcida que canta, vibra e corneta e se torna o maior artilheiro do Palmeiras na Libertadores à toa.

Maior, registre-se, não é sinônimo de melhor.. Feito a observação, Raphael Veiga, que poderia fazer parte (e não fará) do grupo da seleção brasileira no Qatar, já é maior na história do Palmeiras que Djalminha e Alex.

Como Veiga, Djalminha e Alex mereciam ter jogado uma Copa, a de 2002, mas não participaram por culpa exclusiva de Felipão.

Digo mais, no Palmeiras, a história de Veiga é superior a do cracaço Rivaldo, pentacampeão como protagonista na família Scolari.

É um absurdo o que Veiga joga em jogos grandes com a camisa do Palmeiras. O meia é bicampeão da Libertadores pelo Palmeiras como protagonista, com direito, inclusive, a gol na final contra o Flamengo, Alguém duvida que ele será o comandante técnico do tri seguido?.

E ainda tem os pênaltis, onde o aproveitamento de 100% não tem equivalente, nem o eterno ídolo e craque Evair. Seja contra o Chelsea, no Mundial, ou contra o Petrolero, a precisão é a mesma!

Palmeirense, desfrute, você está vendo a história de um dos maiores jogadores acontecer.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL! É nóis no UOL!

Veja:

E me siga no Twitter e no Instagram