PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Qual foi a reação de Carlos Bilardo ao enfim saber da morte de Maradona

Carlos Bilardo e Diego Maradona - Reuters
Carlos Bilardo e Diego Maradona Imagem: Reuters
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

07/03/2022 04h00

A maior parceria da história do futebol argentino chegou ao fim, enfim. Técnico campeão da Copa do Mundo de 1986, a que "Maradona ganhou sozinho", Carlos Salvador Bilardo soube na semana passada que seu histórico camisa 10 e capitão morreu.

O ex-treinador está com 83 anos e sofre de uma doença degenerativa. A família até aqui o poupava da morte de Diego, ocorrida em 25 de novembro de 2020, por temer que a notícia deixasse sua frágil saúde ainda mais baqueada.

O técnico que mudou a história do futebol argentino tomou conhecimento da morte de Maradona no final da semana passada, vendo a sua série, "Bilardo, o Doutor do futebol" (disponível no Brasil pela HBO Max). O triste fim de Maradona foi abordado na produção, com declarações da filha mais velha de Carlos, Daniela, dizendo que temia pela saúde do pai ao conhecer o fim de Diego: "Maradona era como o filho homem que ele não teve".

Com a família ao redor, e com as enfermeiras de prontidão, Bilardo estava em sua casa, no bairro portenho de Caballito, vendo a série quando chegou o trecho que gerou apreensão em todos — sabiam que ele conheceria a notícia ali. Sempre em silêncio, o ex-técnico juntou as mãos sobre o colo e deixou que lágrimas escorressem pelo seu rosto.

A família não tocou no assunto, e Bilardo tampouco fez algum comentário, segundo o relato do jornalista Ezequiel Fernández Moores, um dos mais respeitados da Argentina. A informação gerou repercussão nos jornais, rádios e portais do país neste domingo (6), e quem melhor definiu a situação foi o jornal "La Nación": "O único argentino a pensar que Maradona ainda estava vivo finalmente soube o que aconteceu".

bila - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Carlos Salvador Bilardo cercado pelas filhas e neto
Imagem: Reprodução Instagram

Altos e baixos

O colega Gabriel Carneiro produziu aqui no UOL Esporte um ótimo material contando como Bilardo e Maradona foram de pai e filho a inimigos com direito a soco na cara na relação que durou 33 anos — de 1983, quando o técnico escolheu Diego como seu capitão, até 2016, quando ambos, já distantes e depois de muitas farpas cruzadas, se encontraram em um evento e demonstraram carinho mútuo.

Havia um real temor na Argentina de que a morte de um (Maradona) poderia ser fatal para o outro (Bilardo). Por isso, o desconhecimento da notícia foi tema relevante em sua série.

"A abordagem desta relação não é só algo que atravessa toda a história, mas quase uma das nossas tramas centrais. Não só porque futebolisticamente foi uma relação que deu resultados, mas porque do nível pessoal ela tem todos os condimentos necessários, e fomos descobrindo ao longo da produção. É um vínculo glorioso de um lado e com brigas de outro, sempre entre extremos, uma questão quase como de pai e filho", contou Sebastián Meschengieser, um dos autores do documentário, sobre os vínculos e as desavenças entre Carlos e Diego.

Em 2016, o blog "Patadas y Gambetas" trouxe um extenso post sobre as mágoas entre Maradona e Bilardo — o texto pode ser lido na íntegra aqui.