PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Para quem os argentinos vão torcer hoje na final da Libertadores?

Pedro e Danilo disputam lance em Palmeiras x Flamengo pelo Brasileirão - Marcello Zambrana/AGIF
Pedro e Danilo disputam lance em Palmeiras x Flamengo pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

27/11/2021 09h53Atualizada em 27/11/2021 10h02

Ressaca. É esta a sensação que predomina em Buenos Aires ao falar da decisão de hoje (27) da Libertadores da América entre Flamengo e Palmeiras. É o segundo ano seguido sem os portenhos na final, e nem a ausência consecutiva é capaz de colocar Boca Juniors e River Plate no mesmo lado.

Juntam, as torcidas de Boca e River equivalem a 75% dos argentinos que acompanham futebol. A população do país vizinho é de hoje 45 milhões de habitantes. A final Flamengo x Palmeiras será transmitida para a Argentina ao vivo pela ESPN, que escalou seu time principal - que está no Estádio Centenário, em Montevidéu. A narração será de Mariano Closs, com comentários de Diego Latorre, ex-companheiro de Maradona e Riquelme no Boca, e participações de Sebá Domínguez, ex-zagueiro do Corinthians e hoje uma estrela na TV no país.

Boca quer Fla campeão

De cabeça baixa pelo título argentino do River, a torcida do Boca neste sábado será discreta. E pelo Flamengo. A primeira razão tem a ver com a simpatia angariada pela vitória sobre o River na decisão de 2019. E a segunda tem a ver com as próprias glórias. Com um título do Flamengo, o Boca continuaria sendo o último bicampeão de fato da Libertadores. O timaço de Carlos Bianchi emendou os títulos de 2000 e 2001 e pode ser igualado hoje pelo Palmeiras.

Nem a presença palmeirense de Felipe Melo, admirador confesso do Boca, é capaz de amealhar a simpatia xeneize por uma eventual conquista alviverde.

River, discreto, cruza os dedos pelo Palmeiras

Ainda vibrando com a conquista do Campeonato Argentino e a soberba fase do técnico Marcelo Gallardo, 13 vezes campeão em seus sete anos e meio de River, a torcida do River ligou o modo "tanto faz" para a decisão de hoje. Mas qualquer consulta nas redes sociais ou nas ruas de Buenos Aires afere uma discreta torcida ao Palmeiras.

Por dois motivos: 1) A bajulação de Abel Ferreira a Marcelo Gallardo, que vive citando o argentino como uma referência em seu posto; 2) Ainda um resquício da final de 2019 e da antipatia ao Flamengo pela traumática derrota de dois anos atrás em Lima. Torcer para tamanho algoz? Jamais.