PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Jogadores pedem, e Argentina fará "bate e volta" para jogar Copa América

Seleção argentina viaja durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 - Divulgação AFA
Seleção argentina viaja durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 Imagem: Divulgação AFA
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

07/06/2021 12h00

A pedido de seus jogadores, a seleção argentina vai ficar o mínimo possível no Brasil, onde estreia na Copa América daqui a exatamente uma semana, contra o Chile, no Rio de Janeiro.

A coluna apurou que a seleção argentina vai ficar concentrada no CT de Ezeiza, perto do Aeroporto Internacional de Buenos Aires, para atender a uma solicitação do elenco, que desde o começo se mostrou insatisfeito à disputa da competição continental, embora jamais tenha surgido a ideia de um boicote. De acordo com o jornal "La Nación" que circula agora nas bancas portenhas, a AFA já recebeu da Conmebol os seus US$ 4 milhões (R$ 20,2 milhões) referentes à participação no torneio. E há, claro, o interesse da entidade nos US$ 10 milhões (R$ 50,6 milhões) que serão dados como prêmio ao campeão.

Esta antecipação econômica explica por que a Argentina divulgou ontem nas redes sociais que sua participação na Copa América brasileira não corria risco. A seleção de Messi e companhia foi a primeira a tornar o seu aval público. Horas depois, a Bolívia fez o mesmo.

Autorização da Conmebol

Outra informação surgida nos bastidores da seleção azul e branca é que a Conmebol ofereceu a todas as equipes visitantes fazer o mesmo que a Argentina, viajando ao Brasil apenas para as partidas. Até o momento, apenas Messi e companhia vão levar adiante tal ideia.

As viagens vão ocorrer sempre nas vésperas dos jogos quando a tabela assim permitir, com o retorno ocorrendo logo depois das partidas. Já há uma exceção programada nos compromissos contra Uruguai e Paraguai, marcados para os dias 18 e 21 de junho, em Brasília, com a Argentina permanecendo na cidade por conta do curto intervalo.

A vantagem de se percorrer tamanha quilometragem com o "bate e volta" entre Brasil e Argentina? Dormir o maior número possível de noites na "bolha" do prédio de Ezeiza, algo citado como essencial pelos atletas para ter tranquilidade ao longo da competição.

Eliminatórias contra a Colômbia

A Argentina já chegou a Barranquilla, na Colômbia, onde enfrenta a seleção da casa amanhã (8) às 20h (de Brasília) pela sexta partida das Eliminatórias da Copa do Mundo. A Federação Colombiana, que havia descartado realizar a Copa América no país, agora vai permitir a presença de 10.000 torcedores.

A seleção comandada por Lionel Scaloni não vai poder contar com o goleiro Franco Armani, que segue testando positivo para covid. Seu lugar será ocupado por Emiliano Martínez. Não são esperadas mudanças na equipe que empatou por 1 a 1 com o Chile na semana passada.

Os titulares amanhã devem ser: Emiliano Martínez; Juan Foyth, Cristian Romero, Lucas Martínez Quarta e Nicolás Tagliafico; Rodrigo De Paul, Leandro Paredes e Lucas Ocampos; Lionel Messi, Lautaro Martínez e Ángel Di María.

A Argentina vem em segundo nas Eliminatórias, com 11 pontos (o Brasil lidera com 15). A Colômbia aparece na sexta colocação, com 7 pontos.