PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Borré reage a pito, volta ao River e encerra jejum de 429 minutos sem gols

Borré em ação contra o Aldosivi, com instruções de Gallardo ao fundo - Divulgação River Plate
Borré em ação contra o Aldosivi, com instruções de Gallardo ao fundo Imagem: Divulgação River Plate
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

09/05/2021 16h24Atualizada em 09/05/2021 20h33

Acostumado a ser elogiado pelas mudanças que faz em campo, o técnico Marcelo Gallardo hoje (9) está sendo celebrado na Argentina por aquilo que as rádios portenhas estão definindo como um "golpe de mestre nos bastidores". Depois de colocar o atacante colombiano Rafa Borré em uma discreta "geladeira" na última partida da equipe na Libertadores, Borré retornou ao time neste domingo e fez o segundo gol na vitória por 4 a 1 sobre o Aldosivi, classificando o River para as quartas de final da Copa da Liga Argentina.

A fase de Borré era crítica. Além de marcar apenas dois gols nos últimos oito jogos, ele amargava um jejum de 429 minutos sem balançar as redes pelo clube até finalizar com fúria na pequena área do reformado Monumental.

Desejado por Grêmio, Palmeiras e São Paulo no começo da temporada, Borré fez aquele que vem sendo chamado pelas TVs argentinas de "gol do alívio". Por ele, deixando para trás o momento complicado no clube. E para o River, que precisava vencer para avançar. O 1 a 1 até o seu tento deixava o time fora do torneio local que terá um mata-mata simultâneo com a Libertadores.

Gallardo é considerado um técnico que sempre instrui os mais jovens, e são célebres seus "puxões de orelha" em jogadores que também tiveram altos e baixos pelo River. Os exemplos passam por Alario, Driussi, Pity Martínez, Palacios, Martínez Quarta e tantos outros que, fora da equipe, reconhecem como o treinador é eficiente ao motivar (e discreto em não expor ninguém).

Com o gol de hoje, Borré chegou ao 5em 142 jogos pelo clube, ampliando sua marca de artilheiro sob o comando de Gallardo. E é bom o colombiano realmente manter a pontaria: a concorrência interna com Girotti segue acirrada, e Borré deixou o campo aos 30 do segundo tempo justamente para a entrada do colega. Quem voltou de lesão e jogou bem foi Matías Suárez, autor do quarto gol e realmente um dos melhores da posição hoje na Argentina.

O River volta a campo pela Libertadores nesta quarta, contra o Junior, a princípio em Barranquilla, às 21h (de Brasília), mesmo com todo o caos vivido na Colômbia. Vai ser difícil o time se desligar da Copa da Liga Argentina - e a razão é para dar mesmo um nó na cabeça de qualquer um: haverá exatamente um River x Boca nas quartas de final da competição.

O mata-mata será em jogo único, na Bombonera, em data a ser confirmada até terça (11). A coluna apurou que o dia mais provável na conversa entre os dirigentes dos dois clubes é o óbvio próximo domingo (16) em horário nobre na TV, com três inícios cogitados: 16h, 18h ou 20h.

Daqui por diante, a Copa da Liga Argentina será sempre em eliminação simples. Os outros três confrontos são os seguintes: Colón x Talleres, Estudiantes x Independiente e Vélez x Racing (com essas respectivas localidades).