PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

Tevez abre 20ª temporada como profissional: 'No começo, só queria brigar'

Marquinhos e Tevez brigam durante treino do Corinthians - Arquivo Folha
Marquinhos e Tevez brigam durante treino do Corinthians Imagem: Arquivo Folha
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

13/02/2021 08h20Atualizada em 13/02/2021 13h33

Goste-se dele ou não, Carlitos Tevez merece realmente muito respeito. Aos 37 anos, o camisa 10 do Boca abre neste final de semana sua 20ª temporada como profissional - ele estreou na equipe xeneize em 2001, aos 17.

Em meio às muitas retrospectivas sobre sua trajetória, Tevez deu uma entrevista ao canal de TV TyC Sports surpreendendo mais uma vez pela sinceridade ao não medir as palavras sobre sua conduta no começo de carreira: "Eu só queria brigar. Era ir e dar um pontapé, não jogar bem".

"Não importava se jogo bem ou não, eu vou te dar um pontapé e te tirar de campo. Se precisasse sair na mão, saía. Era como no bairro", seguiu, reforçando a infância difícil no Fuerte Apache, dos lugares mais carentes de Buenos Aires, onde viveu até estrear nos profissionais do Boca.

Carlitos reconheceu que logo no começo da carreira profissional procurou mudar: "Comecei a entender esta situação, dizendo 'então é isso que acontece comigo', e passei a tirar esta criança que tinha em mim e jogar de outra maneira. Principalmente nos clássicos contra o River, que era quando mais ficava agressivo. Os clássicos se jogam com bom futebol, segurando a bola".

A maturidade não impediu, porém, que Tevez comemorasse um gol histórico contra o River arrancando a camisa e imitando uma galinha em pleno Monumental de Núñez - foi na semifinal da Libertadores de 2004, quando o Boca precisou dos pênaltis para avançar à decisão. Carlitos acabou expulso, mas admitiu que este foi o gol que mais comemorou na carreira.

"Ali também carreguei a infância que eu vivia no bairro. Havia só um restaurante com TV, e todos nós íamos ver os clássicos aí. Metade de torcedores do River e metade de torcedores do Boca. Imagine a rivalidade. O River fazia um gol e essa metade gritava o gol na sua cara. Não importava nada, às vezes a gente saía na mão. Eu cresci assim", finalizou o camisa 10.

MAIS UM - A Argentina abre neste final de semana mais um campeonato improvisado pela pandemia, como ocorreu com a Copa Diego Maradona, que abandonou este nome por um pedido dos herdeiros do ex-jogador. A Copa da Liga Profissional Argentina contará com 26 times, divididos em dois grupos de 13, no sistema todos contra todos, com os quatro melhores avançando às quartas de final (o mata-mata em jogo único seguirá até a decisão). O campeão terá uma vaga na Libertadores 2022. Boca e River, de novo, abrem a competição como favoritos, com Racing e San Lorenzo correndo por fora.