PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

2 meses sem Maradona: guerra por herança tem falsificação e ameaça de morte

Última namorada de Maradona, Rocío Oliva, e o ex-jogador com as filhas Dalma e Gianinna (acima) e Jana e Dieguito (abaixo) - Reprodução América TV
Última namorada de Maradona, Rocío Oliva, e o ex-jogador com as filhas Dalma e Gianinna (acima) e Jana e Dieguito (abaixo) Imagem: Reprodução América TV
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

25/01/2021 04h00Atualizada em 25/01/2021 11h07

Faz dois meses exatamente hoje. Era dia 25 como esta segunda - e a histórica quarta-feira em que o mundo soube da morte de Diego Armando Maradona em novembro parece que não terminou em Buenos Aires.

Já há na capital até (mais) uma ironia com o assunto: no lugar da novela mexicana, só o "dramalhão argentino" para descrever a verdadeira guerra pela herança de Maradona, estimada em 500 milhões de dólares (cerca de R$ 2,7 bilhões).

A coluna repassa o que é dito na ciudad hoy nos dois meses exatos sem o maior de todos.

ASSINATURAS FALSAS
A perícia já comprou que Leopoldo Luque, médico pessoal de Diego, falsificou a assinatura do Diez para obter seu prontuário médico. Investiga-se agora se a falcatrua envolveu também eventuais doações e a alta médica do astro - que deixou a clínica e morreu em sua casa. O canal de TV El Trece levou ao ar uma extensa matéria afirmando que Luque estava à beira da falência. E a assinatura falsa do médico seria só a primeira de uma série de problemas. Colegas do Diez também se aproveitaram de seus momentos ébrios para repassar documentos que foram firmados por Maradona autorizando depósitos e outras polpudas transações financeiras.

CARTÃO USADO DEPOIS DO FUNERAL
A notícia mais chocante da última semana veio de Rocío Oliva, última namorada de Maradona, que usou o cartão de crédito do ex-jogador depois de seu funeral. Rocío se defendeu dizendo que os gastos foram gerados antes da morte - e debitados posteriormente. A TV América foi atrás e comprovou que as compras foram sim depois de 25 de novembro, data da morte de Maradona, que seguia repassando dinheiro a Rocío mesmo depois da separação.

AMEAÇA DE MORTE A JORNALISTA
Luis Ventura, jornalista da TV El Trece que é a referência na efervescente cobertura da "causa Maradona" na Argentina, mostrou no ar ameaças de morte partidas de uma amiga de Claudia Villafañe, ex-esposa de Diego. O motivo? Ele comprovar os movimentos financeiros da "trincheira" armada por Claudia, Dalma e Giannina, duas filhas mais velhas de Maradona, que praticamente bloqueava aos demais herdeiros do Diez a possibilidade de acesso aos seus bens.

NOVO DNA?
Ainda segundo Ventura, Maradona não reconheceu seus dois filhos fora do casamento por benevolência - e sim por vingança contra Claudia ao saber que ela namorava o empresário Jorge Taiana. A briga entre Maradona e Claudia ocorreu em 2015. Naquele próprio 2015 ele reconheceu Jana, filha que hoje tem 25 anos. Em 2016, foi a vez de Maradona reconhecer Diego Júnior, que vive em Nápoles, e tem 35 anos.

Dos cinco filhos de Maradona, um não seria biológico, segundo Ventura. Além dos quatro já citados, há também Dieguito Fernando, filho de Verónica Ojeda, ex-namorada de Diego, que deu à luz em 2013. As filhas mais velhas estudam a possibilidade de se fazer um DNA e endereçar uma nova distribuição dos bens entre os herdeiros, de acordo com o jornalista.

PAUS E PEDRAS
Gianinna Maradona publicou uma série de mensagens nas redes sociais dizendo que o carro que a levava ao enterro do pai foi atacado por paus, pedras e porretes no trajeto até o cemitério. A violência deixou dúvidas sobre ser um atentado (para intimidá-la pela herança) ou se pela hostilidade de torcedores que culpam as filhas pela morte de Maradona, que sofreu seu ataque cardíaco fatal em casa sozinho. Gianinna relatou também que foi alvo de pedradas e garrafadas no velório do pai na Casa Rosada, e que os objetos partiram do público. A polícia entrou em ação com o gás lacrimogêneo que também feriu as filhas do Diez - quem consegue imaginar cena tão surreal?

E A SÉRIE?
A obra biográfica que será exibida pela Amazon ainda neste semestre conta com forte oposição judicial da ex-mulher Claudia Villafañe, relatada na produção como influência negativa na disputa pelos seus bens - Maradona passou anos brigando com a antiga companheira, chamando-a publicamente de "ladrona". Sonho Bendito, nome da série, já teve seu trailer divulgado, e está aqui.

Em Buenos Aires, muitos ironizam dizendo que a obra será lançada com considerável desatualização, e que os últimos episódios da guerra pela sua fortuna merecem - e merecem mesmo - uma produção à parte.