PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

US$ 100 mi e até 45 mil lugares: como é o projeto do Estádio Papa Francisco

Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros – o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

22/11/2020 04h00

O San Lorenzo recebeu na última quinta (19) uma importante aprovação da sua volta ao bairro de Boedo. Desalojado do local pela ditadura militar em 1979, o clube foi informado pela prefeitura de Buenos Aires da autorização das obras para a reconstrução do estádio que fica na Avenida La Plata. O aval definitivo é esperado para março.

Arte do Estádio Papa Francisco - Divulgação San Lorenzo - Divulgação San Lorenzo
Arte do Estádio Papa Francisco
Imagem: Divulgação San Lorenzo

A iminência não impede o clube de esboçar os primeiros projetos do Estádio Papa Francisco, que será chamado assim em homenagem ao ilustre torcedor. As obras estão previstas para começar em dezembro de 2021, e o espaço terá capacidade para até 45.000 pessoas e custo estimado de 100 milhões de dólares (cerca de R$ 540 milhões).

O San Lorenzo já estuda empréstimos na China e na Europa e a obtenção de recursos na Argentina com patrocinadores e convênios na venda de entradas, estacionamentos e aluguel dos escritórios construídos no local. De acordo com o clube, o estádio será multiuso, com lojas, museu, hotel e cinema. A venda dos naming rights também está prevista.

Nem a pandemia e nem a crise financeira argentina desanimam o clube no sonho da volta para casa. A prefeitura portenha já foi procurada para parcerias econômicas, ambientais e estruturais. Uma das alternativas estudadas pelo San Lorenzo para isso é ceder à Prefeitura seu atual estádio (o Nuevo Gasómetro, no bairro Bajo Flores).

O Estádio Papa Francisco tem inauguração estipulada para janeiro de 2025.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.