PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Tainá, Caio e companhia; a festa da nova geração no Brasileiro de Itacaré

Tainá Hinckel, campeã brasileira sub18 - WSL
Tainá Hinckel, campeã brasileira sub18 Imagem: WSL
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

19/12/2021 21h19

A Praia da Tiririca, em Itacaré - no litoral sul da Bahia - foi o palco da despedida do surfe de competição em 2021.

Pena que a desorganização da Confederação Brasileira de Surf, fez com que os campeões nacionais fossem definidos em apenas um evento, ao invés de um circuito forte e disputado, como em anos anteriores.

Como a crise de gestão tem afetado o número de possibilidades, principalmente nas categorias de base, quase a temporada passou em branco.

Mas... pelo menos rolou, no profissional e nos 'grommets'.

herdy - Orlando Rodrigues / @orlandoorodrigues - Orlando Rodrigues / @orlandoorodrigues
Voando como sempre. Mateus Herdy faturou o título em Itacaré
Imagem: Orlando Rodrigues / @orlandoorodrigues

Dois atletas famosos e de peso, levantaram os troféus na categoria Pró: Mateus Herdy, no masculino, e Silvana Lima, entre as mulheres.

Veio o fim de semana... e foi a vez da nova geração.

Uma galera, que a cada dia, tem apresentado performance do mesmo nível, e competitividade semelhante aos mais experientes.

No sub18, festa para dois nomes bem conhecidos: Tainá Hinckel e Caio Costa.

Tainá já aparece no cenário há tempos. E recentemente fez parte do reality 'O próximo Brazilian Storm', do Canal OFF. Não venceu o 'jogo', mas saiu de Itacaré com o título.

A decisão foi um duelo quase 100% catarinense. As ainda mais novas Laura Raupp e Bela Nalu ficaram em 2º e 3º. A paulista Sophia Gonçalves completou o pódio.

caio - WSL - WSL
Caio Costa, campeão brasileiro sub18
Imagem: WSL

Caio também já tem história pra contar. E colocou mais uma conquista na coleção.

Na final na Bahia, fez uma batalha onda a onda. Na soma das duas melhores notas, fez 12,75, apenas 0,15 a mais que outro paulista, Ryan Kainalo. Pra se ter uma ideia do equilíbrio, o catarinense Leo Casal ficou em 3º, com 12,15. O paranaense Kainan Meira foi o 4º colocado.

E teve mais ação para a turma que sonha em se tornar a linha de frente do surfe brasileiro nos próximos anos.

No masculino sub16, vitória do potiguar Rafael Barbosa, com o paulista Guilherme Fernandes, vice.

Na mesma categoria, só que no feminino, Sophia Gonçalves, Laura Raupp e Bela Nalu fizeram outra final. Desta vez, Sophia venceu.

kalani - divulgação - divulgação
Kalani Robles, campeão brasileiro sub14
Imagem: divulgação

Mas Nalu não deixou barato. Na 3ª final, ela não deu mole... e faturou a sub14.

Pra fechar, uma bateria decisiva com quatro estados representados no sub14 masculino. Melhor para o paulista Kalani Robles, que deixou o paranaense Lukas Camargo, em 2º, o cearense Guilherme Lemos, em 3º, e o potiguar João Ricardo, em 4º.

Uma verdadeira festa da garotada.

E que em 2022, tenham mais eventos... e quem sabe um circuito completo para todas as idades!

por @thiago_blum / @surf360_