PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Pupo sozinho em Haleiwa; Chumbinho também tem chances de vaga no WT 2022

Samuel Pupo é o único brasileiro que segue no CS de Haleiwa - WSL
Samuel Pupo é o único brasileiro que segue no CS de Haleiwa Imagem: WSL
Conteúdo exclusivo para assinantes
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

05/12/2021 12h49

O sábado foi muito ruim para o time verde e amarelo no Havaí. Pra dizer o mínimo. Na verdade, a volta do 'Michelob Ultra Pure Gold Haleiwa' após 4 dias de paralisação, encerrou o caminho de vários brasileiros que mantinham o sonho de estar na elite da World Surf League no ano que vem.

Dos 8 classificados entre os 32 melhores da 4ª e última etapa do Challenger Series - circuito da divisão de acesso - apenas Samuel Pupo avançou para as quartas de final e segue em busca de uma das 12 vagas no Championship Tour 2022. Entre os eliminados, João 'Chumbinho' Chianca é o único que mantém chances de subir para o CT.

Alex Ribeiro e Caio Ibelli, que fizeram parte da última edição da divisão principal, buscavam a reclassificação, mas pararam no round 32. A eliminação mais dura foi de Alex, que conseguiu surfar apenas uma onda na sua bateria, em um mar gigante e muito complicado em Haleiwa.

Jessé Mendes e Wiggolly Dantas já fizeram parte do grupo e elite, mas também não se deram bem, assim como outro atleta experiente, Thiago Camarão.

Para Deivid Silva e João Chumbinho, pelo menos, o adeus ao evento não foi tão traumático. DVD está no CT 2022 e entrou no campeonato para aquecer as turbinas para a próxima temporada. Para Chumbinho - que chegou ao Havaí dentro da bolha de classificados para o acesso - a saída precoce faz com que ele precise torcer contra alguns adversários para não perder a vaga. Ou seja, vai 'sofrer' no seco, sem cair no mar.

Chumbinho - WSL - WSL
Em 8º, João Chumbinho é o brasileiro melhor colocado no ranking do CS
Imagem: WSL

Já para Samuel Pupo, a luta vai ser na água. O paulista chegou em Haleiwa em 16º no ranking, justamente na linha de corte.

Por isso, precisava avançar para se manter na disputa. Em uma bateria complicada com 3 brazucas, ele deixou Caio Ibelli e Wiggolly pelo caminho e avançou em 2º, atrás do australiano Kalani Ball.

Com a presença nas quartas de final, ele ainda não carimbou o acesso, mas ficou bem mais perto.

Samuel - WSL - WSL
Samuel Pupo rasga forte em uma clássica direita de Haleiwa
Imagem: WSL

Das 12 vagas do masculino para o ano que vem, 8 já foram preenchidas... e acredite, por enquanto, sem nenhum brasileiro.

O havaiano Ezekiel Lau, o americano Nat Young e o australiano Connor O'Leary estão de volta ao 'Dream Tour'.

Os australianos Liam O'Brien, e Callum Robson, o americano Jake Marshall e o havaiano Imaikalani DeVault vão estrear no CT, assim como Lucca Mesinas, primeiro peruano da história a fazer parte da elite masculina da WSL.

Confira os próximos confrontos do CS na ilha do Oahu, no North Shore:

heat 1: Jake Marshall (EUA) x Jacob Willcox (AUS) x Jack Robinson (AUS) x Ezekiel Lau (HAW)

heat 2: John John Florence (HAW) x Conner Coffin (EUA) x Shion Crawford (HAW) x Callum Robson (AUS)

heat 3: Griffin Colapinto (EUA) x Ian Gentil (HAW) x Kalani Ball (AUS) x Kanoa Igarashi (JAP)

heat 4: Samuel Pupo x Liam O'Brien (AUS) x Billy Stairmand (NZL) x Connor O'Leary (AUS)

Tati - Ed Sloane/World Surf League via Getty Images - Ed Sloane/World Surf League via Getty Images
Surfista brasileira Tatiana Weston-Webb ainda vai estrear no CS de Haleiwa
Imagem: Ed Sloane/World Surf League via Getty Images

Com duas brasileiras, a chave feminina ainda está no round 32.

Tatiana Weston-Webb vai estrear na competição na 5ª bateria, contra a australiana Molly Picklum, a havaiana Savanna Stone e a portuguesa Teresa Bonvalot.

Summer Macedo está na bateria 7, ao lado da australiana Macy Callaghan, da americana Sawyer Lindblad, e da sul-africana Sarah Baum.

A janela do evento termina na terça-feira.

por @thiago_blum / @surf360_