PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

O futuro é agora! Eduardo Motta atropela e conquista o QS 3000 de Floripa

Eduardo Motta surfou muito e está nas quartas de final - WSL
Eduardo Motta surfou muito e está nas quartas de final Imagem: WSL
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

14/11/2021 13h27

No surfe brasileiro, cada vez mais, falar dos próximos anos... é falar do atual momento.

A cada campeonato fica clara a mistura de gerações. E a altíssima capacidade técnica e profissional dos atletas, independentemente da idade.

O 'LayBack Pro', QS 3 mil que abriu a temporada da divisão regional da WSL da América Latina, foi mais uma prova.

Os campeões são jovens "promessas"... que já assombram os craques e os veteranos do circuito mundial.

O título no masculino ficou com o paulista Eduardo Motta, de 19 anos. Com uma performance absurda.

Depois de uma semana com grandes atuações, chegou no domingo decisivo como o mais novo entre os 8 finalistas.

E daí? No surfe, ganha quem escolhe as melhores e faz as manobras certas.

E Motta mostrou isso contra 3 adversários de peso.

Eduardo Motta - WSL - WSL
Eduardo Motta rasga forte durante o 'LayBack Pro', em Florianópolis
Imagem: WSL

Nas quartas, bateu o carioca Raoni Monteiro, de 39 anos, um dos principais nomes do Brasil no tour da elite durante várias temporadas. E que vinha absolutamente quebrando as ondas da tradicional Praia Mole, em Florianópolis. Placar de 12,03 a 11,50.

Veio a semifinal, com um adversário ainda mais complicado, o casca-grossa Yago Dora, acostumadíssimo com o pico e as condições. Ah, e tem mais. Yago terminou o Championship Tour de 2021 na 9ª posição, ou seja, um Top 10 da WSL. Eduardo encarou teve calma, fez o que precisava e venceu com resultado apertado: 13,60 a 13,44.

A decisão foi com praia lotada... diante de outro local... Michael Rodrigues, outro cara que já desfilou rasgadas e aéreos na principal divisão mundial.

Mais um duelo duríssimo, com viradas de lado a lado. No fim, melhor para o mais jovem, que já tem experiência de veterano: 11,74 a 10,50.

Campeão e 3 mil pontos no ranking. Nada mal para quem, eu acredito, deve mirar voos maiores no futuro.

Ops... no futuro não!

Afinal, o futuro é AGORA!!

por @thiago_blum / @surf360_