PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Adriano de Souza exclusivo: 'Não tenho saudades, o foco agora é a família!'

Adriano de Souza, campeão mundial de surfe em 2015 - WSL
Adriano de Souza, campeão mundial de surfe em 2015 Imagem: WSL
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

09/11/2021 04h00

Foram mais de 20 anos vestindo a lycra de competição.

A maioria deles, na principal divisão do surfe mundial, abrindo e mostrando o caminho certo para uma legião de seguidores que, liderados por ele, contribuíram para colocar o Brasil como a principal nação do esporte.

Adriano de Souza é sinônimo de sucesso.

Mas antes vieram o Adriano obstinado, o Adriano profissional ao extremo, lutador... e cara pronto para encarar de peito aberto todas as lições que um atleta de alto rendimento precisa enfrentar.

Mineirinho deu várias voltas ao mundo, escolhendo as melhores da série... ou surfando as ondas que tinha para surfar. Sempre com seriedade e agressivo.

Aprendeu e ensinou. Se deliciou nas vitórias. Encarou as derrotas sempre de cabeça erguida.

Foi e deu exemplo nas lesões e quando ergueu troféus.

Nunca deixou de buscar o máximo. Nem mesmo depois de conquistar o título mundial, que muito mais que um sonho, era uma missão.

Adriano de Souza - Kelly Cestari/WSL via Getty Images - Kelly Cestari/WSL via Getty Images
Adriano de Souza, o Mineirinho, é campeão mundial de surfe
Imagem: Kelly Cestari/WSL via Getty Images

2021 chegou. Um ano especial, o da saideira como competidor.

Uma decisão pensada... e tomada.

A última temporada no tour, aos 34 anos. Mas não podia ser uma despedida qualquer. Tinha que sair em alto estilo, no auge.

Claro... afinal de contas, ele é o Adriano de Souza.

E foi especial, com alegria, reverências dos amigos e adversários... e merecidas homenagens.

Adriano - @pedro_blum123 - @pedro_blum123
Adriano de Souza, ao lado de Alex Ribeiro durante evento em São Paulo
Imagem: @pedro_blum123

Por enquanto, não bateu saudade das baterias. O momento é de curtir as viagens com a mulher e empresária Patricia Eicke. E também ficar mais perto dos pais, um tempo que precisou trocar pelo surfe durante duas décadas.

Mesmo assim, Mineirinho vai disputar o "LayBack Pro", etapa com status 3 mil do QS, que rola a partir desta quarta na Praia Mole, em Florianópolis, onde o paulista do Guarujá escolheu morar há alguns anos.

Tudo bem. Ele parou, mas já que o campeonato é tão pertinho, né?

Durante um evento de SurfeSkate em São Paulo, onde mudou de lado e foi juiz, Adriano bateu um papo rápido com o @surf360_

Depois de toda a vida dedicada ao surfe, como foi esse ano de despedida? Teve muita emoção e homenagens. E como sempre, você se dedicou demais e conseguiu ficar entre os melhores, teria se reclassificado para o CT...

Foi um ano muito desgastante, porque eu queria muito finalizar entre os melhores do mundo. Pra mim, é mais uma prova que eu saí por uma escolha minha, e não porque não tinha mais surfe e habilidade para estar lá. Eu provei isso pra mim mesmo, que eu tinha chance. Eu tinha surfe pra continuar. [estou] Fazendo com que os próximos "moleques" - Filipe Toledo, Gabriel Medina - tenham essa situação também quando terminarem a carreira... terminar lá em cima, no topo da pirâmide. Isso, pra mim, foi uma forma de poder sair do esporte com o pé direito, da mesma forma que eu entrei... sendo inovador e dando esse exemplo.

Adriano de Souza - Kenneth Morris/WSL - Kenneth Morris/WSL
Adriano de Souza, o Mineirinho, pega onda em Trestles, na Califórnia
Imagem: Kenneth Morris/WSL

Já deu saudade?

Não, pra ser sincero, não, porque hoje eu troquei de prioridade. O surfe era a minha prioridade número um até finalizar minha carreira, que foi em agosto. E agora é minha esposa e meus pais. Quero curtir muito e entregar esse tempo a eles. Eu fiquei 20 anos da minha vida me dedicando ao esporte. E agora a minha dedicação é 100% pra eles.

Filhos vêm aí?

Quem sabe? Mas até então a gente não está planejando não.

E mais pra frente, pensa em voltar ao surfe de algum outro jeito? Como técnico, empresário ou promovendo campeonatos?

Pode ser, o futuro está aberto. Mas neste exato momento, eu quero dar muita prioridade a minha família e minha esposa.

por @thiago_blum / @surf360_