PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Fora do top 350 e denunciado pelo MP, Thiago Wild vai morar na Espanha

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

26/07/2022 10h48

Parece justo afirmar que a temporada 2022 de Thiago Seyboth Wild não vem saindo como o paranaense esperava. No circuito mundial, o jovem de 22 anos acumula apenas quatro vitórias e 22 derrotas, incluindo dois reveses com problemas físicos. No ranking, Wild despencou do 131º posto para a atual 364ª colocação na lista da ATP.

Fora de quadra, as notícias tampouco foram boas. Depois de perder o patrocínio da Asics, o Thiago foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por violência doméstica e psicológica contra a ex-mulher, a biomédica e influencer Thayane Lima. A Justiça também determinou o pagamento de uma pensão alimentícia à jovem porque o atleta a impedia de trabalhar e a deixou desamparada após o término do relacionamento.

No começo do ano, Wild declarou que precisava trabalhar mais seu lado mental e que fez algumas mudanças dentro de sua equipe - entre elas, passou a ter seu pai nas viagens pelo circuito. Os resultados não apareceram, então uma nova mudança vem aí: Thiago está de mudança para a Espanha. Vai morar em Valência e treinar sob orientação do brasileiro Cristiano de Oliveira Pinto, dono da Oliveira Tennis Pro Academy. A informação foi obtida pelo blog e confirmada pela assessoria do instituto Rede Tênis Brasil (RTB), projeto do qual Wild faz parte.

"O atleta Thiago Wild continua fazendo parte do Time RTB, no qual João Zwetsch é o coordenador técnico da transição/profissional do projeto e seguirá acompanhando indiretamente o tenista que, a partir de agora, estará baseado na Europa, morando na Espanha e treinando com o técnico brasileiro Cristiano Oliveira Pinto. De acordo com o planejamento estabelecido até o final do ano, Zwetsch acompanhará Wild em alguns torneios (cerca de seis) e a base de treinamento do tenista, quando estiver no Brasil, continua sendo a Tennis Route, no Rio de Janeiro. Inclusive, Zwetsch está essa semana no Challenger de San Benedetto, na Itália, com Wild e Matheus Pucinelli, também integrante do Time RTB. Com Wild baseado na Europa e seguindo o planejamento técnico do RTB, Zwetsch estará mais próximo ao Pucinelli, orientando e acompanhando a evolução técnica do jogador", respondeu a assessoria do RTB.

Cerca de quatro horas depois da publicação deste texto, a agente do tenista, a americana Charlotte Lawler, respondeu ao contato feito pelo Saque e Voleio, dizendo que "ao longo do ano ele treinará tanto no Brasil quanto no estrangeiro. Isto não tem nada a ver com algo de sua vida pessoal."

Wild vinha sendo acompanhado de perto por Zwetsch, ex-capitão brasileiro da Copa Davis, desde 2018, quando foi campeão juvenil do US Open. Os dois estavam juntos também quando o paranaense foi campeão do ATP de Santiago, em 2020, tornando-se o mais jovem brasileiro a conquistar um título de nível ATP. Wild alcançou o posto de #106 do mundo, mas os resultados deixaram de aparecer em meio a atuações impacientes e cheias de reclamações que se tornaram cada vez mais frequentes.

O primeiro passo para Thiago nesta nova etapa será tentar voltar a se classificar direto para torneios da série Challenger. Depois do torneio de San Benedetto, Wild precisará jogar qualifying nos Challengers de Liberec e Meerbusch. No primeiro, ele precisa de dez desistências para entrar direto na chave; no segundo, o brasileiro é o alternate de número 56 (apenas com 56 desistências ele entraria no torneio sem precisar jogar o quali). Com o atual ranking, Wild não conseguirá disputar nem o qualifying do US Open, último slam de 2022.

.