PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Podcast SeV S04E05 - AO: análises das semis e prévias das finais

Rafael Nadal comemora após a vitória nas semifinais do Australian Open de 2022 - Reuters
Rafael Nadal comemora após a vitória nas semifinais do Australian Open de 2022 Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

28/01/2022 16h25

O podcast Saque e Voleio, exclusivo para apoiadores do blog, chega hoje com uma análise das semifinais masculinas e prévias de três finais: Medvedev x Nadal entre os homens, Barty x Collins entre as mulheres, e Krejcikova/Siniakova x Haddad Maia/Danilina nas duplas femininas.

Na primeira parte do episódio, falo sobre o que fez a diferença para Rafael Nadal e Daniil Medvedev nas vitórias sobre Matteo Berrettini e Stefanos Tsitsipas, respectivamente. Comento a queda de rendimento de Rafa a partir do terceiro set e seus méritos para fechar o jogo no quarto set; falo sobre as muitas possibilidades de Medvedev e por que ele é um tenista tão perigoso para qualquer rival; e comento a declaração de Tsitsipas sobre o tênis físico do russo que, segundo o grego, não vai durar tanto.

Falo também sobre o pai de Tsitsipas, que mais uma vez foi advertido com coaching, e elogio a manobra da arbitragem de colocar uma árbitra grega - a grande Eva Asderaki-Moore - para ouvir o pai de Stefanos e identificar as instruções dadas em seu idioma.

Em seguida, na prévia da final masculina, volto a ressaltar as qualidades de Medvedev e os porquês de seu favoritismo sobre Rafa. Falo sobre o quanto a experiência de Nadal pode ajudar (ou não), como eu acho que o espanhol vai atuar taticamente e o que ele precisa fazer para sair vencedor.

Também analiso o duelo entre Ashleigh Barty e Danielle Collins, que será na noite deste sábado (manhã de sábado no Brasil), listando os muitos recursos de Barty e por que a número 1 do mundo é tão favorita. Abordo também o quanto a expectativa de ser campeã em casa pode afetá-la. Por fim, assim como na parte anterior, falo o que espero da postura tática de Collins e o que acredito que a americana necessita para sair com o título.

Na última parte, sobre a final de duplas femininas, falo sobre o tamanho do desafio de Haddad Maia e Danilina e a enorme superioridade - no papel - das tchecas, atuais números 1 e 2 do mundo. Comento o saque da brasileira, que não é tão vulnerável nas duplas, e dou meus palpites sobre o que ela e a cazaque precisam para fechar o torneio com a taça nas mãos.

Quem já apoia o Saque e Voleio pode acessar o link para o episódio lá no Mural do Apoia.se.

Quem quiser pode aproveitar a ocasião para começar a apoiar o blog (com R$ 15 mensais, você tem direito a conteúdo exclusivo, newsletter semanal e grupo de bate-papo via Telegram, além de brindes e promoções). Basta visitar o Apoia.se, conhecer melhor o programa de financiamento coletivo recorrente do Saque e Voleio e fazer sua contribuição.