PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

AO, dia 4: Muguruza dá adeus, Medvedev pistola e Bia sofre com Halep

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

20/01/2022 11h15

A quinta-feira que completou a segunda rodada do Australian Open foi bem animada para os fãs de tênis, a começar pela eliminação da número 3 do mundo, Garbiñe Muguruza, logo no início da sessão diurna, e foi assim até os jogos da noite, quando Daniil Medvedev, favorito ao título entre os homens, superou Nick Kyrgios e a barulhenta torcida local para chegar à terceira rodada.

A noite terminou com a derrota de Bia Haddad Maia para a ex-número 1 do mundo Simona Halep, mas o dia também teve vitória brasileira, já que Marcelo Melo avançou à segunda fase na chave de duplas. Chegou a hora, então, de rever o que rolou de mais interessante no quarto dia de jogos do Australian Open 2022. Role a página e fique por dentro!

Favoritos que avançaram

Mais cotado ao título nas casas de apostas, Daniil Medvedev, número 2 do mundo, não decepcionou. Ciente do risco que era enfrentar Nick Kyrgios (#115) na Rod Laver Arena, diante de uma barulhenta torcida australiana, o russo manteve-se concentrado do início ao fim e foi implacável nos momentos decisivos - tanto no tie-break do primeiro set quanto na única chance que teve na reta final da segunda parcial. No fim, por 7/6(1), 6/4, 4/6 e 6/2, Medvedev anotou sua primeira vitória contra Kyrgios em três partidas e avançou à terceira rodada.

A chave masculina também viu vitórias dos principais candidatos a azarões nessa metade de baixo da chave. Stefanos Tsitsipas (#4) teve problemas, mas bateu o argentino Sebastian Báez (#88) em quatro sets por 7/6(1), 6/7(5), 6/3 e 6/4; Andrey Rublev (#6) passou fácil por Ricardas Berankis (#93) com parciais de 6/4, 6/2 e 6/0; Félix Auger-Aliassime (#9) derrotou o espanhol Alejandro Davidovich Fokina (#50) em um jogão de quatro tie-breaks: 7/6(4), 6/7(4), 7/6(5) e 7/6(4); e o italiano Jannik Sinner (#10) passou fácil pelo americano Steve Johnson (#104): 6/2, 6/4 e 6/3.

Na chave feminina, Aryna Sabalenka (#2) voltou a ter problemas com seu saque e acumulou 19 duplas faltas. Felizmente para a bielorrussa, 12 delas foram no primeiro set, e as parciais seguintes foram melhores. Depois de sair perdendo por 6/1 para a chinesa Xinyu Wang (#100), Sabalenka fez 6/4 e 6/2 nos sets seguintes e avançou à terceira rodada para encarar a tcheca Marketa Vondrousova, cabeça 31 deste Australian Open.

A polonesa Iga Swiatek (#9), por sua vez, teve menos trabalho e bateu a sueca Rebeca Peterson (#82) por 6/2 e 6/2. Cabeça 7 do torneio, Iga vai encarar na sequência a russa Daria Kasatkina, que vem fazendo um belo começo de temporada e venceu, também nesta quinta, a polonesa Magda Linette por 6/2 e 6/3.

Cabeças que rolaram

Caíram as primeiras top 10 na chave feminina, e a maior zebra do dia ficou por conta da eliminação de Garbiñe Muguruza, número 3 do mundo e campeã do WTA Finals do ano passado. A espanhola, que viu sua equipe ter covid no início do ano e não treinou como gostaria, sofreu nesta quinta-feira diante da francesa Alizé Cornet. Com 17 winners e 33 erros não forçados, Muguruza viu a rival fazer 6/3 e 6/3 sem ceder nenhum break point.

Quem também tombou foi a estoniana Anett Kontaveit (#7), que acabou superada pela jovem dinamarquesa Clara Tauson, que foi número 1 do mundo como juvenil. A adolescente de (#39) 19 anos fez 6/2 e 6/4 e passou para a terceira fase para enfrentar a americana Danielle Collins.

A chave feminina viu ainda a queda da britânica Emma Raducanu, atual campeã do US Open. A jovem de 19 anos, número 18 do mundo, sofreu com bolhas na mão direita e acabou derrotada pela montenegrina Danka Kovinic (#98) em três sets: 6/4, 4/6 e 6/3.

Entre os homens, a maior surpresa do dia foi a eliminação do argentino Diego Schwartzman (#13) nas mãos do australiano Christopher O'Connell (#175), um dos convidados da organização. O tenista da casa fez 7/6(6), 6/4 e 6/4 e vai enfrentar o americano Maxime Cressy na fase seguinte.

Também se despediram antes do esperado o britânico Andy Murray (#113) e o búlgaro Grigor Dimitrov (#28). Sem mostrar o mesmo vigor físico de dois dias atrás, quando bateu o top 30 Nikoloz Basilashvili (#23), Murray foi superado em três sete pelo japonês Taro Daniel (#120) por triplo 6/4. Dimitrov, por sua vez, tombou diante de Benoit Paire (#56) em quatro sets: 6/4, 6/4, 6/7(4) e 7/6(2).

Para ficar de olho

Ao protagonizar uma das maiores zebras do dia, Clara Tauson, de 19 anos, dá mais um passo para confirmar as expectativas de que vai se tornar uma profissional para brigar pelas primeiras posições do ranking. A adolescente, que foi número 1 do mundo e venceu o Australian Open como juvenil em 2019, alcança a terceira fase de um slam pela primeira vez na vida. Contra Danielle Collins, sua próxima adversária e cabeça 27 do torneio, a dinamarquesa já não será uma surpresa tão grande. Uma vaga nas oitavas não é nada impossível.

Os brasileiros

O dia começou com vitória de Marcelo Melo. O mineiro e seu parceiro, o croata Ivan Dodig, que são os cabeças 9 do torneio, saíram atrás, mas superaram, de virada, o francês Adrian Mannarino e o monegasco Hugo Nys: 4/6, 6/3 e 7/5. Na próxima rodada, Melo e Dodig vão enfrentar os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini. A parceria europeia vem de vitória sobre os brasileiros Rafael Matos e Felipe Meligeni por 6/4 e 6/4.

Mais tarde, no último jogo do dia na Rod Laver Arena, foi a vez de Bia Haddad Maia (#83) enfrentar a ex-número 1 do mundo Simona Halep (#15). A paulista teve poucas chances e, sem conseguir impor seu saque (teve alta porcentagem de primeiro serviço, mas ganhou apenas 50% dos pontos com ele), foi presa fácil para a romena, superior em todos os aspectos da partida. Halep, aliás, venceu os últimos oito games do jogo e avançou por 6/2 e 6/0 sem ceder sequer um break point.

Frases do dia

O destaque de hoje fica por conta de Daniil Medvedev, que estava full pistola com a torcida que fazia barulho até entre o primeiro e o segundo serviço. O russo acabou dizendo que quem faz isso "provavelmente tem QI baixo".

"Fiz mais do que eu pensava que seria possível. Sonhar em vencer um slam e conseguir fazê-lo, fazer o que eu sonhava em fazer quando pequena, acho que é fenomenal. Não poderia ter pedido mais. Tive muitos grandes momentos aqui na Austrália e pelo mundo, então, sim, foi incrível."
Sam Stosur, após sua última partida de simples no Australian Open. A australiana, campeã do US Open de 2011, quando bateu Serena Williams na final, já havia anunciado que faria este ano sua última temporada nas simples. Ela continuará competindo nas duplas.

"É a única opção quando você é vaiado entre o primeiro e o segundo saques. Não é fácil, então eu tive que manter a calma e ganhar a partida."
"Gente, eu não consigo ouvi-lo. Mostrem algum respeito a Jim Courier. Obrigado."
"Deixem ele falar, caras. Se vocês vão respeitar alguém, pelo menos respeitem Jim Courier."
"Não é raiva. É um pouco de decepção. Acho que é normal quando você enfrenta um favorito local e não só um favorito local, mas um cara como Nick, mas houve momento no meu saque em que ele conseguiu boas devoluções, e eu ia para o break point no segundo saque, e as pessoas comemoravam como se eu já tivesse feito uma dupla falta. É decepcionante. Não é todo mundo, mas os que fazem isso provavelmente têm QI baixo."
Daniil Medvedev, nada feliz com a torcida australiana na Rod Laver Arena, na entrevista pós-jogo dentro da quadra e, mais tarde, na coletiva.

Momento Eurovision

O jogo é de quarta-feira, mas incluo aqui porque apareceu até na conta oficial do Eurovision: Maria Sakkari não conseguiu evitar um sorriso ao ouvir sua torcida (há uma comunidade grega enorme em Melbourne, o que sabemos desde os tempos de Baghdatis) cantar trechos da canção "My Number One", com a qual a grega Helena Paparizou foi campeã do Eurovision de 2005.

O melhor da sexta-feira

Meus destaques para o primeiro dia da terceira rodada em Melbourne são: Azarenka x Svitolina (às 21h), Krejcikova x Ostaneko (em seguida), Alcaraz x Berretini (logo depois - sim, a programação da Laver está imperdível), Anisimova x Osaka (não antes das 5h na Margaret Court Arena) e Khachanov x Nadal (último do dia na Laver). Todos horários citados estão no fuso de Brasília.

Entre os brasileiros, a programação tem Bruno e Jamie Murray x Glasspool e Heliovaara (21h, Quadra 3), Monteiro e Altmaier x Koolhof e Neal Skupski (por volta de 1h, Quadra 17), e Bia Haddad e Danilina x Martincova e Vondrousova (logo após Monteiro, também na 17).

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis como esta.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.