PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

AO, dia 3: em jornada de favoritos, Monfils e Anisimova também brilham

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

19/01/2022 10h31

A quarta-feira, terceiro dia do Australian Open, foi mais uma jornada sem grandes zebras. Nos 32 jogos de simples disputados, apenas três acabaram com cabeças de chave eliminados - e, mesmo assim, nenhum resultado tão surpreendente. O dia também foi bom para os brasileiros, que somaram duas vitórias e uma derrota nas chaves de duplas. É hora de repassar o que aconteceu de mais interessante e as frases mais legais que rolaram em Melbourne:

Favoritos que avançaram

Entre as mulheres, nenhuma grande surpresa. Ashleigh Barty e Naomi Osaka venceram novamente sem dificuldades e continuam firmes em rota de colisão. Ash, número 1 do mundo, aplicou 6/1 e 6/1 na qualifier italiana Lucia Bronzetti (#142), enquanto Naomi (#14), atual campeã do Australian Open, fez um primeiro set espetacular e terminou fazendo 6/0 e 6/4 em cima da americana Madison Brengle (#54). Na próxima fase, Barty vai enfrentar a italiana Camila Giorgi, enquanto Osaka terá pela frente a americana Amanda Anisimova (já falo mais sobre ela!)

A lista de candidatas ao título que também venceram nesta quarta inclui ainda Maria Sakkari (#8), que passou pela qualifier chinesa Qinwen Zheng (#108) por 6/1 e 6/4; a espanhola Paula Badosa (#6), que cedeu só três games ao fazer 6/0 e 6/3 em cima da italiana Martina Trevisan (#111); a ucraniana Elina Svitolina (#17), que precisou de três sets, mas superou a francesa Harmony Tan (#107), que desistiu no terceiro set quando perdia por 6/3, 5/7 e 5/1; e a tcheca Barbora Krejcikova (#4), campeã de Roland Garros, que passou fácil pela convidada chinesa Xiyu Wang (#139): 6/2 e 6/3.

Entre os homens, o trio de fortes candidatos nesta metade da chave não decepcionou: Alexander Zverev (#3) e Rafael Nadal (#5) venceram sem perder sets, enquanto Matteo Berrettini (#7) cedeu uma parcial, mas nunca teve sua vitória ameaçada nesta quarta. Sascha fez 6/4, 6/4 e 6/0 no australiano John Millman; Rafa aplicou 6/2, 6/3 e 6/4 em cima do qualifier alemão Yannick Hanfmann; e Matteo bateu o convidado americano Stefan Kozlov por 6/1, 4/6, 6/4 e 6/1.

Na próxima rodada, em busca de lugares nas oitavas de final, Zverev vai encarar o qualifier romeno Radu Albot (#124), enquanto Nadal e Berrettini terão adversários bem mais duros - pelo menos no papel. O espanhol terá pela frente o russo Karen Khachanov (#30), enquanto o italiano vai encarar o embalado Carlos Alcaraz (#31).

Vale ficar de olho: a volta de Anisimova

A lista da turma do "correndo por fora" está cheia de talento e na WTA, onde a disputa é mais equilibrada, dá para imaginar qualquer nome daqui derrubando uma das principais favoritas. Entre as que triunfaram nesta quarta-feira é possível citar a ex-número 1 Victoria Azarenka, a campeã de slam Jelena Ostapenko, a vice-campeã de slam Madison Keys além de meninas talentosas como Marta Kostyuk, Jessica Pegula e Amanda Anisimova

Vale destacar sobretudo a vitória de Anisimova (#60) sobre a suíça Belinda Bencic (#22), a maior cabeça a rolar nesta quarta. A americana vem voltando ao seu nível de 2019. Naquele ano, então com 17 anos, Anisimova conquistou seu primeiro título de WTA (em Bogotá, na Colômbia), alcançou as oitavas no Australian Open e fez uma incrível semifinal em Roland Garros.

No entanto, seu pai e técnico morreu em agosto de 2019. Em 2020, Amanda jogou apenas seis torneios depois que o circuito parou por causa da pandemia. Mesmo assim, com pontos congelados, manteve-se no top 30. Ano passado, porém, a americana caiu para além do 80º posto e só alcançou as quartas em dos torneios (os modestos Parma e Bad Homburg).

Este ano vem sendo de ressurgimento para a jovem. Anisimova abriu a temporada conquistando o título do WTA 250 de Melbourne (Summer Set 2) e agora, com duas vitórias no Australian Open, soma sete triunfos consecutivos e vai colocar seu bom momento à prova contra a poderosa Naomi Osaka.

Também vale acompanhar: o momento de Monfils

O grupo do "corre por fora" entre os homens teve nesta quarta vitórias de Denis Shapovalov, Carlos Alcaraz, Sebastian Korda e Gael Monfils. Shapo suou para despachar o sul-coreano Soonwoo Kwon e precisou de cinco sets: 7/6(6), 6/7(3), 6/7(6), 7/5 e 6/2; Korda precisou de ainda mais e foi até o tie-break do quinto set para superar Corentin Moutet: 3/6, 6/4, 6/7(2), 7/5 e 7/6(10-6); e Alcaraz passou fácil pelo sérvio Dusan Lajovic, com parciais de 6/2, 6/1 e 7/5.

Gael Monfils vale uma menção à parte por seu bom momento. O veterano de 35 anos fez uma partida exuberante e bateu o cazaque Alexander Bublik por 6/1, 6/0 e 6/4. Na estreia, o francês já havia superado o argentino Federico Coria com facilidade, aplicando 6/1, 6/1 e 6/3. Ou seja, em seis sets, Monfils perdeu apenas dez games e se coloca como forte candidato a superar o chileno Cristian Garín na terceira rodada.

Antes do Australian Open, Monfils foi campeão do ATP 250 Adelaide 1, e agora acumula seis vitórias nos últimos sete jogos. Seu único revés veio diante de Thiago Monteiro, no ATP 250 Adelaide 2, quando sentiu dores no pescoço e preferiu abandonar a partida no após um game no terceiro set para se poupar.

Cabeças que rolaram

Além da já citada queda de Belinda Bencic, vale mencionar a eliminação da espanhola Sara Sorribes Tormo, cabeça 32. Sara, porém, não era tão favorita diante da ucraniana Marta Kostyuk, que fez 7/6(5) e 6/3 numa tarde de muito vento em Melbourne, em condições de jogo bastante complicadas.

Na chave masculina, caiu um dos primeiros 10 cabeças de chave: Hubert Hurkacz (#11), que era o potencial adversário de Rafael Nadal nas oitavas de final, tombou diante do francês Adrian Mannarino (#69), que fez 6/4, 6/2 e 6/3.

Os brasileiros

A participação brasileira nas duplas começou nesta quarta-feira, encabeçada pela vitória de Bruno Soares. O mineiro, cabeça de chave 8 ao lado de Jamie Murray, bateu a dupla dos australianos James Duckworth e Marc Polmans por 6/3 e 6/2, sem sustos. Quem também estreou foi a jovem dupla de Felipe Meligeni e Rafael Matos, mas sem o mesmo sucesso. Em seu primeiro Australian Open, campineiro e gaúcho foram superados pelos experientes italianos Fabio Fognini e Simone Bolelli: 6/4 e 6/4.

Por último, foi a vez de Bia Haddad Maia entrar em quadra ao lado da cazaque Anna Danilina. A parceria, que foi campeã do WTA de Sydney no último fim de semana, encarou a húngara Anna Bondar e a georgiana Oksana Kalashnikova, e triunfou por 6/4 e 6/4.

Frases do dia

"Honestamente, estou tentando não fazer isso. Sou um pouco perfeccionista, então acho que seu me comparar com o passado, eu nunca vou ficar satisfeita . Estou apenas tentando encarar um dua de cada vez."
Naomi Osaka, após derrotar Madison Brengle.

"Eu jogo um pouco de golfe. Honestamente, essa é a verdade. Eu nunca fui um cara de academia."
Rafael Nadal, respondendo à pergunta de Jim Courier, que queria saber como o espanhol mantém a forma.

"Eu passei por um momento difícil e agora me sinto muito bem, ótimo, forte. Vocês sabem, estou de volta. Estou de volta."
Gael Monfils, após bater Alexander Bublik

O melhor da quinta-feira

Minha lista de jogos de simples para ver nesta quinta inclui Cornet x Muguruza (21h - todos horários de Brasília), Kyrgios x Medvedev (não antes das 5h), Halep x Haddad Maia (depois de Kyrgios x Medvedev), Murray x Daniel (não antes das 3h30min na John Cain Arena) e Fokina x Aliassime (por volta de 1h na Kir Arena).

Entre os brasileiros, além de Bia de volta a uma quadra principal nas simples, o dia tem a estreia de Marcelo Melo e Ivan Dodig, que enfrentam Mannarino e Nys na Quadra 12 não antes de 1h.

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis como esta.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.