PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que ESPN mostra torneio da Next Gen, mas 'esconde' WTA Finals no Star+

Getty Images
Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

09/11/2021 16h42

A ESPN começou a exibir hoje o Next Gen ATP Finals, torneio que reúne oito dos melhores tenistas com menos de 22 anos. O evento, que reúne nomes como o espanhol Carlos Alcaraz (#32 do mundo), o americano Sebastian Korda (#39) e o francês Hugo Gaston (#67), continuará na grade dos canais, com transmissões na ESPN e na ESPN 2, até o fim da semana.

O que não está na grade, porém, é o WTA Finals, que começa nesta quarta-feira com oito das nove primeiras do ranking mundial. O principal evento do calendário feminino na temporada, será exibido apenas no serviço de streaming por assinatura Star+ (saiba mais aqui).

Aos olhos do espectador, a decisão pode parecer estranha. O canal opta por exibir um evento secundário do circuito masculino, em que o atleta mais bem ranqueado é apenas o #32 do mundo, enquanto deixa de mostrar o principal evento da WTA. O Finals, disputado este ano em Guadalajara, terá Aryna Sabalenka (#2), Barbora Krejcikova (#3), Karolina Pliskova (#4), Garbiñe Muguruza (#5), Maria Sakkari (#6), Annet Kontaveit (#8), Iga Swiatek (#9) e Paula Badosa (#10). O torneio distribui US$ 5 milhões, e a campeã de simples pode receber até US$ 1,68 milhão (se terminar invicta).

Por que essa decisão? Via assessoria de imprensa, o grupo Disney respondeu ao blog que "por decisão estratégica da The Wall Disney Company, alguns eventos esportivos ao vivo, entre todos os direitos adquiridos em diferentes modalidades, são exibidos exclusivamente no Star+, plataforma que reúne esporte e entretenimento como nenhuma outra no mercado de streaming. Especificamente no caso do WTA Finals, os jogos serão exibidos com exclusividade no Star+, sempre com narração e comentários em português."

Além disso, o UOL Esporte apurou que os direitos de torneios da ATP são comprados pela ESPN do Brasil e têm obrigatoriedades contratuais e comerciais de exibição na TV. O contrato de exibição dos eventos da WTA é assinado globalmente e foi cedido à ESPN Brasil sem qualquer obrigação comercial/contratual. Logo, sempre que há torneios combinados (ATP+WTA, como Roma e Madri), o canal tem a obrigação de entregar um número determinado de anúncios durante partidas da ATP, enquanto não há necessidade de exibir os WTAs. Quando foram exibidos jogos de torneios femininos pelos canais ESPN no Brasil, isso aconteceu por decisão editorial local - embora a tendência fosse sempre privilegiar o feminino no Star+.

Coisas que eu acho que acho:

- A explicação da ESPN não está aí com todas as letras, mas a impressão que fica é que a "decisão estratégica" passa por colocar no Star+ alguns eventos grandes para alavancar o número de assinaturas do serviço. No caso desta semana, isto significa privilegiar um evento secundário, usado como campo de testes pela ATP, em detrimento do maior evento do circuito feminino.

- O Next Gen ATP Finals distribui um prêmio total de US$ 1,2 milhão (pouco mais de 1/5 do WTA Finals), com o campeão podendo embolsar até US$ 400 mil (se invicto). O evento é usado pela ATP para promover jovens tenistas e testar regras e procedimentos diferentes. Este ano, por exemplo, o Finals da nova geração é disputado em melhor de cinco sets, com cada set indo até 4 (em vez de 6); não há vantagens nos games (no-ad); o público pode se movimentar livremente entre os pontos; estão liberadas as orientações dos técnicos na beira da quadra; atletas só podem pedir um tempo médico; e as idas ao banheiro serão cronometradas, com tempo-limite de três minutos (e dois minutos adicionais de o tenista também trocar de roupa).