PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Saiba como é ver o US Open no Star+, novo serviço da Disney

Menu do Star+, serviço de streaming da Disney - Reprodução/Star+
Menu do Star+, serviço de streaming da Disney Imagem: Reprodução/Star+
Conteúdo exclusivo para assinantes
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

01/09/2021 04h00

A segunda-feira, primeiro dia do US Open, foi um tanto atípica. Quem estava acostumado a encontrar streams para todas quadras do torneio nova-iorquino no antigo Watch ESPN ficou à deriva. As opções sumiram de lá. Nesta terça-feira, porém, tudo melhorou. Entrou no ar o Star+, novo serviço de stream da Disney, que deixou muito melhor do que antes (não só ontem!) a experiência de acompanhar um slam, com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo em muitas quadras diferentes.

O Star+ custa R$ 329,90 no pacote anual e, como escrevi uma semana atrás, é uma opção mais barata para os fãs de tênis que pagam para acompanhar os circuitos masculino e feminino. Restava saber, na prática, como funcionaria, e foi bom saber que o serviço funciona bem e cumpre o prometido.

O menu é bem simples, como qualquer Netflix, Amazon Prime Video ou HBO Max da vida. Você navega por quadrinhos até achar o que procura. A busca é bem eficiente. Em meu primeiro teste, o US Open já aparecia em destaque, embora as primeiras partidas do dia nem haviam começado. Cliquei no ícone do Pelas Quadras, programa da ESPN, caí num menu com uma enorme foto do bonitão Fernando Nardini, e de lá fui para o programa ao vivo (o Star+ mostra ao vivo tudo que está no ar na ESPN - não na Brasil).

Nardini Star+ - Reprodução/Star+ - Reprodução/Star+
Imagem: Reprodução/Star+
Meia hora depois, comecei a acompanhar o torneio de fato. No Star+ era possível ver Sakkari x Kostyuk, jogo que estava na ESPN, com Cledi Oliveira e André Ghem, mas também havia a opção de ver outra partida com Hamilton Rodrigues e Teliana Pereira em uma transmissão exclusiva para streaming. Todas as outras quadras estavam com sinal liberado. As principais, com narração e comentários em inglês. As menores, só com som ambiente.

Não há opção de trocar o áudio nas quadras que têm narração e comentários em português, mas é possível navegar e encontrar um sinal diferente da mesma quadra (com ou sem narração em inglês), o que pode ser muito útil dependendo do narrador que estiver no ar no momento.

Tecnicamente, tudo funcionou muito bem aqui em casa. Abri mais de um stream ao mesmo tempo (um na TV, outro no laptop), e não houve perda de qualidade nem de imagem nem de som em momento algum. Um enorme avanço em relação ao antigo Watch. Outra grande vantagem é a opção "replays" no menu principal. Ali estão todos os jogos que podem ser revistos no momento. Falando em rever, há a opção de "voltar no tempo" nas partidas ao vivo, o que também era impossível no Watch. Não é, entretanto, o recurso dos sonhos. Só é possível voltar 30 segundos de cada vez e há um limite para retroceder. Não dá para clicar e voltar ao começo de um jogo, por exemplo.

Outro inconveniente é que as descrições dos sinais não são bem atualizadas durante o dia. Às 19h30min, enquanto escrevia este texto, o menu ainda mostrava um link para "Pliskova vs. McNally", jogo que começou ao meio-dia. "Driblei" esse problema usando a busca do site, que funciona bem. Basta digitar o nome de um tenista que você é levado a um link para a partida. Porém, é um recurso que só tem utilidade se você sabe quem está em quadra no momento. Não dá para abrir o Star+ pensando "vamos ver quem está jogando" e ter certeza que o menu estará atualizado.

Resumindo? Levando tudo em consideração, vale muito a pena. Não é uma plataforma perfeita, mas é bastante superior ao antigo Watch, muito mais confiável e com recursos novos. No geral, o Star+ é um ótimo app para acompanhar um slam e ainda é mais barato para quem já paga para ver torneios de tênis.

Star+ - Reprodução/Star+ - Reprodução/Star+
Imagem: Reprodução/Star+

Coisa que eu acho que acho:

- Como escrevi semana passada, a ideia aqui é falar sobre a experiência do fã de tênis. O Star+ também vai oferecer NBA, NFL, MLB, MotoGP, os Campeonatos Inglês, Italiano, Espanhol, Argentino e Francês, Copa Libertadores, Europa League e Conference League, além de um grande catálogo de entretenimento como séries como This Is Us, The Walking Dead, Os Simpsons, Family Guy e muitas outras.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL