PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Após relatos de ex de Wild, patrocinador investiga atos e analisa parceria

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

01/09/2021 16h30

A Asics, fabricante de material esportivo que patrocina Thiago Wild, tenista número 2 do Brasil e 119 do mundo, disse estar investigando as alegações feitas pela ex-namorada do tenista, a biomédica e influencer Thayane Lima, que após a separação disse ter vivido um relacionamento abusivo com o atleta.

Procurada pelo UOL Esporte, a empresa declarou, via assessoria de imprensa, que "as acusações recentes feitas sobre o atleta Thiago Wild vão contra os valores da marca. No momento, a empresa está investigando as alegações e avaliando os próximos passos."

No último sábado, Thayane Lima publicou uma série de vídeos em sua conta no Instagram afirmando que foi traída pelo tenista em mais de uma ocasião e que, em uma delas, Thiago esteve em uma orgia com quatro mulheres. A influencer disse ainda que o atleta não usou preservativos nas relações com outras mulheres, mostrou imagens da tela do celular do tenista em que ele agia de forma desrespeitosa e disse estar à base de tranquilizantes desde o fim do relacionamento.

Um dia depois, em entrevista ao UOL Esporte, Thayane afirmou ter vivido um relacionamento abusivo com Wild. Ela se queixou do ciúme exagerado e da pressão psicológica exercida pelo tenista.

"Moro em frente à praia e, se eu fosse, ele dava escândalo. Eu não podia usar biquíni na praia, porque ele ficava incomodado. Ele reclamava das minhas roupas e controlava o que vestia. Fez eu parar de falar com meu melhor amigo, porque ele não gostava. Concordava com tudo isso de tanta pressão psicológica", declarou.

Thayane disse também que a família do tenista quis fazer um acordo para que ela não revelasse o que aconteceu. "Temem que eu estrague a imagem de 'tenista perfeito' que Thiago tem."

O UOL Esporte entrou em contato com a assessoria do tenista, mas ele e a família não quiseram se pronunciar. O veículo também procurou via mensagem de texto e email a Octagon, empresa que representa Wild comercialmente e dá convites para que o tenista dispute torneios que não conseguiria disputar com seu ranking. Ninguém da Octagon, contudo, respondeu.