PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Djokovic derruba Nadal em jogaço de 4h e vai à final de Roland Garros

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

11/06/2021 18h20

Pela segunda vez na carreira, Novak Djokovic completou a tarefa considerada por muitos como "o maior desafio da terra": derrotar Rafael Nadal no saibro de Roland Garros. Após um começo ruim, o número 1 do mundo tirou da cartola uma atuação espetacular em um duelo espetacular. Tão especial que a organização do torneio conseguiu autorização das autoridades locais para furar o toque de recolher em vigor em Paris. Foi assim que o sérvio, que encontrou respostas para as armas do espanhol, venceu ralis magníficos, salvou set point e venceu um tie-break dramático para completar a missão com parciais de 3/6, 6/3, 7/6(4) e 6/2 em 4h11min - triunfo que lhe valeu uma vaga na final do torneio.

O resultado desta sexta-feira significou apenas a terceira derrota de Nadal no saibro de Paris. Campeão 13 vezes do evento, o espanhol só havia sido superado antes em Roland Garros pelo sueco Robin Soderling, em 2009, e pelo próprio Djokovic, em 2015. O sérvio agora avança para a decisão e vai encarar grego Stefanos Tsitsipas, que conquistou seu lugar a briga pelo troféu ao fazer 6/3, 6/3, 4/6, 4/6 e 6/3 sobre o alemão Alexander Zverev na outra semifinal.

Outra consequência importante da vitória desta sexta é que Djokovic impede que Nadal se distancie na disputa para se tornar o maior campeão de slams em simples na história. Rafa tem 20 troféus e empata com Roger Federer no quesito. O sérvio tem 18 e se vencer a final do domingo ficará apenas um atrás de seus rivais. Nole também manteve a dianteira no histórico de confrontos diretos contra o espanhol, anotando sua 30ª vitória em 58 duelos

Como aconteceu

O primeiro set parecia uma repetição da final do ano passado, quando Nadal fez 6/0. Depois de salvar dois break points com ótimos saques no primeiro game, o espanhol foi impecável e quebrou Djokovic na sequência, ganhando um ponto ao chegar numa curtinha e, depois, num rali espetacular, defendendo dois smashes e matando o ponto junto à rede. Nole também tentou curtinhas que não deram certo, e Rafa disparou no placar quando o número 1 cometeu três erros e perdeu o serviço novamente no quarto game (4/0).

O sérvio, no entanto, reagiu. Primeiro, "furou o pneu" ao confirmar o serviço no sexto game. Depois, salvou dois set points, aproveitou-se de um momento instável de Nadal e devolveu uma das quebras quando o espanhol fez uma dupla falta em um break point. Nole ainda salvou outro set point com seu serviço antes de confirmar e fazer 3/5, e escapou de mais três set points no nono game, mas Rafa finalmente fechou a parcial com um ótimo saque e um erro do rival: 6/3.

Se não deu para salvar o primeiro set, o bom momento de Djokovic continuou no segundo, quando pressionou Rafa com ótimas devoluções e conseguiu a primeira quebra graças a um forehand errado do espanhol. O espanhol, porém, reagiu rápido, devolvendo a quebra com um forehand na paralela após três erros do número 1. Quem fez a diferença na parcial, porém, foi Djokovic com suas devoluções. O sérvio passou a pressionar muito mais os serviços do espanhol e chegou a mais uma quebra no sexto game. Nole também foi brilhante nos break points. Nole salvou dois deles e venceu um sétimo game de 13 minutos e, mais tarde, salvou mais dois break points no nono, antes de fechar a parcial em 6/3 e empatar o jogo.

Djokovic conseguia limitar a capacidade ofensiva de Rafa buscando quase sempre o backhand do espanhol, mas nem isso garantia pontos grátis ao sérvio. Logo no começo do terceiro set, Nadal salvou dois break points para manter o placar parelho. A pressão, porém, continuava, e o espanhol encarou mais break points no quinto game. Salvou-se de dois com uma curtinha e um ace, mas perdeu o game ao errar uma curtinha na terceira chance do #1.

O momento era do sérvio, mas contra Nadal em Roland Garros, não há garantias. O espanhol reagiu imediatamente, quebrando de volta em um game de oito minutos com pontos espetaculares (veja abaixo). O confronto entrou em um momento de queda de ambos, e Rafa perdeu seu serviço com seguidos erros na sequência. Djokovic também enfrentou um break point, mas se salvou com uma direita vencedora e abriu 5/3. Nole sacou em 30/0 e esteve a dois pontos do set, mas Nadal deu outra resposta encaixando winners de backhand e forehand para igualar o game. Dois erros do sérvio depois, o placar estava igualado novamente: 5/5.

O drama continou com pontos espetaculares e mais dois break points que Nadal salvou com incríveis bolas vencedoras (um smash do fundo de quadra e uma paralela de forehand) antes de confirmar e fazer 6/5. A pressão mudou de lado, e pouco depois era Djokovic que encarava um set point. Com coragem, o sérvio se salvou com uma curtinha perfeita e forçou o tie-break. O game de desempate começou com uma dupla falta de Nadal, que ainda erraria um voleio fácil quando sacava em 3/4. O número 1 aproveitou e fechou em 7/6(4).

Sem toque de recolher

Quando o terceiro set acabou por volta das 22h30 locais, havia a expectativa de que a Quadra Philippe Chatrier fosse esvaziada para cumprir com o toque de recolher (às 23h) em vigor em Paris. O torneio, no entanto, entrou em acordo com as autoridades locais e conseguiu autorização para que os torcedores continuassem na arena, o que manteve a temperatura do duelo quentíssima. A galera vibrou intensamente com o anúncio (veja abaixo).

O quarto set começou com Nadal voltando a pressionar e quebrando Djokovic logo no primeiro game. Os problemas de Rafa com o serviço, contudo, seguiam se manifestando. Ele fez mais uma dupla falta no segundo game, mas conseguiu confirmar e abrir 2/0. Mais tarde, porém, outra dupla falta, combinada com as ótimas devoluções de Djokovic, colocou o Rei do Saibro em problemas no quarto game. Um erro não forçado do fundo de quadra permitiu que Nole quebrasse de volta, fazendo 2/2.

Mentalmente, Nadal parecia sentir o golpe, e Djokovic não lhe deixava respirar. Com mais uma devolução espetacular, o número 1 do mundo quebrou o serviço do espanhol mais uma vez, fazendo 4/2. Não havia mais o que o Rei do Saibro pudesse fazer. Nole seguia encontrando respostas para tudo e errando pouquíssimo. E foi assim até o fim. Com mais uma quebra no oitavo game, Djokovic venceu seu sexto game seguido e fechou a conta.

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.