PUBLICIDADE
Topo

Iga Swiatek derruba Kenin e conquista Roland Garros sem perder sets

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

10/10/2020 11h34

Aos 19 anos e disputando o torneio de Roland Garros apenas pela segunda vez na chave principal, Iga Swiatek completou uma quinzena memorável ao aplicar 6/4 e 6/1 em cima da americana Sofia Kenin com uma atuação quase perfeita e conquistar, neste sábado, o título do slam do saibro sem perder um set sequer.

É a primeira conquista da carreira da polonesa em nível WTA no circuito mundial. Atual número 54 do mundo, Iga tinha no currículo apenas uma final na elite do tênis. Foi no modesto WTA de Lugano, no ano passado, e ela saiu derrotada pela eslovena Polona Hercog (#89 na ocasião) em três sets. Swiatek também é agora a primeira tenista da Polônia (homem ou mulher) a conquistar um slam em simples.

Em sua impressionante campanha em Roland Garros, Swiatek estreou derrubando a vice-campeã de 2019, Marketa Vodrousova, por 6/1 e 6/2 e, nas oitavas de final, eliminou a romena Simona Halep, grande favorita ao título, também por 6/1 e 6/2. Ao longo das duas semanas de torneio, Iga somou 38 quebras de saque e se tornou a primeira campeã a não perder sets desde Justine Henin em 2007.

Como aconteceu

Se Iga estava tensa em sua primeira final de slam, os nervos não apareceram no começo do jogo. A polonesa abriu a partida distribuindo o jogo, fazendo Kenin correr e variando entre ataques do fundo e curtinhas. Com três games quase perfeitos, ela quebrou o serviço da americana no segundo game e abriu 3/0 sem demora. Sofia reagiu rápido e, com ótimas devoluções de saque, pressionou o serviço da polonesa. Iga cometeu uma dupla falta no break point e, pouco depois, o set estava empatado em 3/3.

O duelo ficou equilibrado, com games longos e saques ameaçados. Swiatek teve problemas, mas confirmou no sétimo game. No oitavo, foi a vez Kenin ter dificuldades. A americana salvou dois break points, mas cometeu um erro não forçado no terceiro e permitiu que Iga sacasse para o set em 5/3. A polonesa chegou a ter um set point, mas jogou uma esquerda na rede e, pouco depois, viu Kenin encaixar uma devolução vencedora no break point. Não adiantou muito. No décimo game, com 4/5 no placar, a americana não conseguiu manter o serviço. Ao errar uma esquerda, cedeu mais uma quebra e o set: 6/4.

As boas devoluções mantinham Kenin na partida, e foi assim que ela abriu a segunda parcial com uma quebra. O problema da americana é que ninguém nesta edição de Roland Garros quebrou tantos saques quanto Swiatek - a polonesa alcançou a final com 69,6% de games vencidos com devolução. Pois Iga imediatamente quebrou Kenin de volta e tomou a frente do placar confirmando seu serviço para fazer 2/1.

A americana pediu atendimento médico e saiu de quadra para ter a perna esquerda enfaixada novamente - ela já havia entrado em quadra com uma atadura no local. Na volta, pouco mudou. Iga consequiu mais uma quebra para abrir 3/1. Sem aliviar, a adolescente encaixou uma curtinha vencedora e um ace para confirmar o saque no quinto game. Com mais quatro pontos perfeitos, ela quebrou Kenin novamente e depois foi só sacar para o título.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.