PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

Djokovic apostou contra o coronavírus e perdeu

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

22/06/2020 04h00

As cenas pareciam de outro planeta. Arquibancadas lotadas, quase nenhuma máscara à vista, tenistas se cumprimentando e se abraçando, jogando simples e duplas, inclusive com participação especial de Jelena Jankovic e direito a uma animada festa indoor com gente sem camisa e dançando ao som de coisas como Technotronic, Safri Duo, J-Lo, Marc Anthony, Keti Garbi e outras coisas que esperamos (ou não) ouvir numa boate do leste europeu (veja abaixo).

A primeira etapa do Adria Tour, circuito criado por Novak Djokovic para viajar junto com tenistas da elite e disputar torneios amistosos pelos Bálcãs, parecia um sucesso inexplicável para um morador do Ocidente. Quando recebeu críticas pela falta de distanciamento social ou por aparentes medidas de prevenção contra covid-19, o número 1 do mundo adotou o discurso de que tudo que rolou em Belgrado era permitido pelas autoridades locais. Afinal, a pandemia estava aparentemente sob controle na Sérvia. O bom e velho "lavo minhas mãos" e segue o jogo.

E o jogo seguiu neste último fim de semana, na segunda etapa do circuito, em Zadar, na Croácia. Teve jogo de futebol, basquetinho e até Kid's Day (!!!). No domingo, no entanto, uma volta à dura realidade. Pouco antes da final da etapa, que seria entre Djokovic e o russo Andrey Rublev, veio a notícia: Grigor Dimitrov, que esteve em Belgrado e Zadar e participou intensamente das atividades, voltou para Mônaco na noite do sábado, quando se sentiu mal, e testou positivo para covid-19. Djokovic perdeu a aposta contra o vírus e cancelou a final em Zadar.

Enquanto o estádio esvaziava, rolava nas redes sociais o clima de "eu sabia". Patrick Mouratoglou, promotor do torneio concorrente UTC Showdown, gabava-se de que todos seus atletas eram testados antes de competir. Fãs de tênis resgataram as imagens de todas ações coletivas do Adria Tour. Andy Roddick foi incisivo: "Essa coisa não respeita nenhum tipo de roteiro. Quando você traz pessoas de lugares diferentes do globo e as coloca em proximidade, sem proteção, o vírus vai viver e se transferir." No fim das contas, o circuito se pronunciou, dizendo que cancelou a final "como precaução e para proteger a saúde de todos participantes e visitantes". Além disso, o Adria Tour ressaltou que "em todos os momentos seguimos rigorosamente as medidas epidemiológicas em vigor nos países onde o Adria Tour foi organizado."

O comunicado oficial (acima) parece uma piada de mau gosto e segue o discurso de Djokovic de que "as autoridades permitiram." Joga-se a culpa para terceiros e segue o jogo. Só que não é bem assim. Basta ler os comentários no post. O estrago já está feito. A imagem do circuito está danificada e sem reparo. Não há desculpa para tamanho descuido com a saúde de tanta gente, de atletas a espectadores.

A derrota de Djokovic para o coronavírus é dupla. Primeiro, pelo estrago já feito a seu circuito pelo caso Dimitrov (que o búlgaro se recupere rapidamente). Além disso, o número 1 do mundo perde força para cobrar qualquer medida tomada pela USTA, organizadora do US Open. Ao promover um circuito sem precauções, que moral terá Nole para questionar qualquer coisa vindo da USTA neste momento? A aposta custou caro.

Coisas que eu acho que acho:

- Na manhã desta segunda-feira, foi a vez de Borna Coric revelar que também testou positivo para covid-19. Já não dá para dizer que Dimitrov foi a exceção ou um caso azarado, né? E quem tentava defender o Adria Tour dizendo que o búlgaro podia ter contraído o vírus nos EUA agora precisa entender a gravidade da coisa.

- Também na manhã desta segunda, Alexander Zverev e Andrey Rublev anunciaram que vão se isolar em quarentena. Os dois afirmam terem testado negativo para covid-19.

- Na primeira coletiva do Adria Tour, ainda em Belgrado, os tenistas foram. indagados sobre o US Open, que ainda não havia sido confirmado oficialmente pela USTA. Dimitrov foi curto e grosso: "Saúde acima de tudo." Será que ele sabia onde estava se metendo com o Adria Tour? Como questionar qualquer coisa relacionada ao US Open depois disso?

- A postura de Djokovic sobre o Adria Tour é a mesma que o sérvio tomou durante a votação que derrubou o ex-CEO da ATP. O número 1 do mundo não quis falar sua opinião em público e reforçou que ela não faria tanta diferença assim porque, no fim, quem vota é o Board. "Sou apenas o presidente do Conselho dos Jogadores", disse Nole na época. Djokovic agora repete o modus operandi de terceirizar a responsabilidade. Não acho bacana para um atleta de seu peso no cenário mundial.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.