PUBLICIDADE
Topo

AO, dia 5: chinesa se vinga de Serena, Wozniacki aposenta e Djokovic domina

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

24/01/2020 03h22

Os dias passam, e o Australian Open de 2020 fica mais quente! A sessão diurna desta sexta-feira, primeiro dia da terceira rodada do torneio, foi marcada por dois resultados surpreendentes. Primeiro, a chinesa Qiang Wang (#29 do mundo) derrubou a favoritíssima Serena Williams quatro meses depois de ser atropelada pela mesma americana no US Open. Em seguida, a tunisiana Ons Jabeur, que nunca havia alcançado as oitavas de um slam, superou a ex-número 1 Caroline Wozniacki e decretou a aposentadoria da dinamarquesa.

A rodada ainda teve uma vitória tranquila de Novak Djokovic, que agora soma 12 triunfos seguidos e não perde desde o ATP Finals do ano passado, e mais uma bela atuação da atual número 1 do mundo, Ashleigh Barty, que também ampliou uma sequência invicta. Entre os brasileiros, Luisa Stefani estreou com vitória nas duplas, e Bruno Soares avançou às oitavas junto com Mate Pavic. Role a página e fique por dentro do que rolou na sessão diurna desta sexta.

Chinesa se vinga de atropelo e elimina Serena

O duelo australiano entre Serena Williams e Qiang Wang foi muito diferente de quando elas se encontraram no US Open do ano passado. Naquela ocasião, a americana ganhou por 6/1 e 6/0 em 44 minutos, e a chinesa venceu apenas 15 pontos em todo o jogo. Desta vez, Wang já somava 15 pontos em cinco games e mostrava uma postura mais corajosa. Não só venceu o primeiro set por 6/4, mas se aproveitou de erros da veterana para abrir 4/2 na segunda parcial.

Serena, contudo, reagiu. Salvou um break point no sétimo game e mais tarde, quando Wang sacou para o jogo, foi impecável. Ganhou um rali de 24 pontos para quebrar o serviço da rival e igualar o placar. Na sequência, ainda salvou mais dois break points com o placar em 5/5 e levou a decisão para o tie-break. No game de desempate, o momento era da americana. Wang errou em bolas fáceis, e a experiência prevaleceu: 7/6(2).

Serena, entretanto, não aproveitou o embalo. Voltou a errar mais do que o normal (terminou o jogo com 56 erros não forçados), e Wang manteve a cabeça no lugar para seguir confirmando seus games de saque sem muito drama. A americana precisou salvar break points no segundo e no oitavo games e, na reta final, vacilou. Sacando em 5/6, cometeu três erros não forçados e deu dois match points à rival. Wang, contudo, errou duas bolas fáceis, mostrando nervosismo. A americana não aproveitou. Cometeu mais dois erros não forçados seguidos e deu a vitória de presente à chinesa: 6/4, 6/7(2) e 7/5.

Com a derrota, Serena, 38 anos, perde mais uma chance de conquistar seu sonhado 24º título de slam em simples. Dona de 23 troféus, ela está a um de igualar o recorde da australiana Margaret Court, maior vencedora da história do tênis. Desde que voltou da gravidez, em 2018, a americana já disputou quatro finais de slam, mas saiu derrotada de todas.

Wozniacki perde e encerra carreira

Wang vai enfrentar nas oitavas a tunisiana Ons Jabeur (#78), que passou pela primeira vez da terceira rodada de um slam ao eliminar a ex-número 1 do mundo Caroline Wozniacki (atual #36) por 7/5, 3/6 e 7/5. O resultado colocou um ponto final na carreira da dinamarquesa, que havia marcado a aposentadoria para o fim de sua participação no Australian Open.

Número 1 do mundo por 71 semanas - mais tempo do que gente como Venus Williams, Maria Sharapova, Jennifer Capriati e Kim Clijsters, entre outras - Wozniacki anunciou há pouco tempo sofrer de artrite reumatoide, uma doença inflamatória crônica. Ela escolheu fazer seu último torneio em Melbourne porque foi no Australian Open, em 2018, que ela conquistou seu único slam.

Nesta sexta, Wozniacki foi vítima de um jogo extremamente agressivo e arriscado de Jabeur, que foi acumulando winners e terminou o jogo registrando 43 bolas vencedoras contra apenas nove da veterana. Ao fim da partida, a dinamarquesa foi homenageada em quadra com um vídeo de memórias de algumas de suas contemporâneas de WTA. Seu pai e técnico também entrou em quadra para participar da homenagem (assista acima).

Djokovic: 50 vezes nas oitavas

Quem encerrou a programação diurna da Rod Laver Arena foi Novak Djokovic, que não encontrou tanta resistência assim diante do japonês Yoshihito Nishioka (#71). Quebrou o saque do rival nos games iniciais dos três sets e jogou sempre com o placar a seu favor. Solto, calibrado e em forma, Nole dominou as ações até fazer 6/3, 6/2 e 6/2.

Com o resultado, Djokovic agora soma 12 vitórias consecutivas. Ele não perde desde o ATP Finals do ano passado e acumula triunfos na Copa Davis, na ATP Cup e neste Australian Open. O sérvio agora está classificado para disputar as oitavas de final de um slam pela 50ª vez na carreira. Ela vai encarar na próxima fase o argentino Diego Schwartzman (#14), que passou em três sets pelo também sérvio Dusan Lajovic (#27): 6/2, 6/3 e 7/6(7).

Número 1 confortável em casa

Quem abriu a rodada na Rod Laver Arena foi a número 1 do mundo, Ashleigh Barty, que disputa pela primeira vez o Australian Open como líder do ranking. A jovem australiana segue mostrando que a pressão de jogar em casa não vem pesando em suas atuações.

Em mais uma ótima apresentação, mostrando seu tênis versátil e cheio de armas, Ash bateu a cazaque Elena Rybakina (#26) por 6/3 e 6/2, em 1h18min, e saiu de quadra sorridente e descansada. Ela agora soma sete vitórias seguidas - todas na Austrália, já que na última semana foi campeã do WTA de Adelaide. Barty será favorita mais uma vez nas oitavas de final, quando vai enfrentar a americana Alison Riske (#19), que superou a alemã Julia Goerges (#39) por 1/6, 7/6(4) e 6/2.

Três vitórias de brasileiros

A rodada começou boa para os brasileiros. Na Quadra 15, Luisa Stefani e sua parceira, a americana Hayley Carter, estrearam no torneio derrubando as cabeças de chave 9, as chinesas Yingying Duan e Saisai Zheng, por 6/3 e 6/2. Stefani e Carter vão enfrentar outra dupla da china na sequência: Xinyun Han e Lin Zhu. O jogo vale vaga nas oitavas de final.

Pouco depois, na Quadra 3, Bruno Soares e Mate Pavic conquistaram um lugar nas oitavas com vitória sobre Divij Sharan e Artem Sitak por 7/6(2) e 6/3. Brasileiro e croata, que são os cabeças 10 da competição e ainda não perderam um game de saque, vão encarar os vencedores do jogo da dupla australiana formada por James Duckworth e Marc Polmans contra o holandês Wesley Koolhof e o croata Nikola Mektic.

Mais tarde, também na Quadra 15, Marcelo Melo finalmente fez sua estreia na chave de duplas. Ele e o polonês Lukasz Kubot superaram os argentinos Guillermo Duran e Diego Schwartzman por 6/3 e 6/2. Na segunda rodada, brasileiro e polonês vão ter pela frente o mexicano Santiago González e o britânico Ken Skupski. A partida vale uma vaga nas oitavas de final.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Saque e Voleio