PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fortaleza brinca com a sorte, mas deixa imprecisão pra trás e se classifica

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

25/05/2022 20h57

O principal fantasma do Tricolor nos últimos jogos foi a dificuldade de converter em gols as chances criadas. Na noite desta quarta-feira, em Santiago, isso não aconteceu. Desta vez o Fortaleza não teve tanto volume ofensivo, mas foi certeiro. Quatro gols em seis finalizações. Se classificou para o ''mata-mata'' da Libertadores pela primeira vez. Moisés foi o grande destaque, mas o Leão relaxou e sofreu dois gols com um a mais em campo.

O técnico boliviano Gustavo Quinteros não teve o lateral-direito Opazo. Rojas entrou no setor. O restante da equipe foi o mesmo que já vinha sendo a base titular montada num 4-2-3-1. Já Juan Pablo Vojvoda não contou com Marcelo Benevenuto. Tinga, Ceballos e Titi formaram a linha de zaga. Matheus Vargas foi outro desfalque.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Como Colo-Colo e Fortaleza iniciaram a partida válida pela 6ª rodada do Grupo F da Libertadores 2022
Imagem: Rodrigo Coutinho

O início do jogo foi o melhor possível para o Leão do Pici. Moisés recebeu de Crispim e fez fila na defesa chilena logo aos dois minutos. Cruzou rasteiro na sequência e Silvio Romero bateu no ângulo para marcar. O Colo-Colo teve 70% de posse na 1ª etapa. Quase sempre no campo rival. Ocupou bem os espaços e circulou a bola com velocidade entre os zagueiros, laterais e volantes, mas pecou bastante perto da área.

Se precipitou ao tentar acionar Lucero e Leonardo Gil. O ex-meia do Vasco flutuava nas costas dos volantes, buscava associações com os pontas. Os laterais avançavam com regularidade. Os volantes invertiam o jogo de lado, mas as decisões eram erradas no terço final do campo. Cruzamentos precipitados, passes verticalizados antes da hora certa.

A melhor solução foi chutar de longe. Marcelo Boeck fez três belas defesas em batidas de Gil, Falcon e Solari. O Fortaleza contra-atacava pouco. Errava bastante na hora de puxar as transições rápidas, mas mesmo assim chegou ao segundo gol. Lucas Lima aproveitou um corte mal feito de Falcon e serviu Moisés em profundidade. Ele já havia perdido uma chance muito clara antes, mas desta vez não perdoou.

01 - Marcelo Hernandez/Getty Images - Marcelo Hernandez/Getty Images
Moises comemora gol do Fortaleza sobre o Colo-Colo pela Copa Libertadores
Imagem: Marcelo Hernandez/Getty Images

O time chileno não se abateu. Até passou a trabalhar melhorar a bola e se aproximar de meta e com organização. Assim conseguiu diminuir. Solari recebeu de Gabriel Costa pela direita, driblou Lucas Crispim e bateu cruzado para Lucero dividir com Ceballos. A bola ainda bateu em Boeck e entrou. O Leão do Pici não reteve a bola em basicamente nenhum momento da 1ª etapa. A pressão alvinegra daria resultado em algum momento.

O jogo manteve-se com a mesma dinâmica. Léo Gil obrigou Boeck a fazer boa defesa aos 3', mas logo na sequência Moisés entrou em ação novamente. Recebeu em profundidade de Tinga e saiu cara a cara com Cortés, mas foi puxado por Rojas, que acabou expulso diretamente. Aos 8', o atacante marcaria o seu segundo no jogo, o terceiro do Fortaleza. Em novo contra-ataque iniciado por Felipe, saiu de frente com o goleiro e balançou a rede.

Mesmo com um a menos, não restava outra alternativa ao Colo-Colo a não ser pressionar. Chegou a marcar o segundo em boa cobrança de escanteio de Leonardo Gil. Pavez desviou na primeira trave e a bola bateu em Ceballos novamente antes de entrar. Mas já havia levado o quarto gol em novo contra-ataque que teve Moisés como protagonista. Ele deixou com Romero na entrada da área e o atacante serviu Pikachu para marcar.

02 - MARTIN BERNETTI / AFP - MARTIN BERNETTI / AFP
Moises, do Fortaleza, comemora gol sobre o Colo-Colo pela Copa Libertadores
Imagem: MARTIN BERNETTI / AFP

Cabe ressaltar que a ausência de torcida do Colo-Colo no estádio, em virtude de uma punição por episódios violentos no jogo contra o River Plate, acabou sendo um alívio para o Fortaleza. Os anfitriões mostraram muita agressividade e hombridade em busca do resultado, enquanto os brasileiros ''sentaram em cima da vantagem''. Leonardo Gil, que fez uma grande partida, ainda marcou o terceiro dos chilenos após bela jogada de Solar e Lucero.

Se o Monumental de Santiago estivesse lotado, certamente a atmosfera influenciaria ainda mais no comportamento das equipes em campo, e o pior poderia acontecer. Lucero perdeu grande chance nos acréscimos. Depietri também. Faltou colocar a bola no chão, aumentar a taxa de posse e encontrar naturalmente os espaços, algo preocupante para a sequência de uma competição que requer leitura e inteligência de jogo.