PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Coutinho: Dupla da base é 'intrusa' entre os medalhões do Majestoso

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

18/10/2021 04h00

São Paulo e Corinthians fazem temporada irregular em 2021. Por mais que o Tricolor tenha conquistado o Paulistão, e o Timão esteja dentro do G-6 do Campeonato Brasileiro, as duas torcidas não têm tanto do que se orgulhar até aqui. Menos mal que em meio a profusão de contratações e medalhões nos dois elencos, dois garotos oriundos das divisões de base conquistaram o seu espaço e são garantia de bom futebol.

Rodrigo Nestor e Gabriel Pereira vivem um ano de afirmação entre os profissionais. O volante do São Paulo foi reserva na reestreia de Rogério Ceni no comando técnico, mas pelo que mostrou recentemente deve recuperar espaço em breve. O camisa 25 do Morumbí vinha sendo o jogador mais regular em bom nível da oscilante equipe.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Os números de Rodrigo Nestor e Gabriel Pereira em 2021
Imagem: Rodrigo Coutinho

Já Gabriel, ou ''GP'', certamente perfilará entre os 11 titulares de Sylvinho. Seja pelo lado direito ou esquerdo do ataque, o garoto de 20 anos vem se destacando com seus dribles na afiada perna esquerda. Na última rodada, contra o Fluminense, marcou o gol da vitória, o segundo nos profissionais do clube.

Além de habilidoso, chama a atenção pela boa definição dos lances, seja arrematando ao gol ou servindo os companheiros. Tomar boas decisões em campo com a pouca experiência que tem, é um belo indicativo do nível que pode alcançar ao evoluir e ter sequência no profissional.

02 - Rodrigo Coca/Agência Corinthians - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Gabriel Pereira mostra escudo do Corinthians ao comemorar gol contra o Fluminense
Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Gabriel Pereira ainda teria idade para atuar na categoria Sub-20, mas está no time principal desde o ano passado. Foi alçado por Tiago Nunes e estreou contra o Atlético Mineiro, na 2ª rodada do Brasileirão de 2020. Entrou em dez partidas na competição passada e conseguiu dar uma assistência. Em 2021 virou titular com frequência a partir contra o Atlético Goianiense, há pouco mais de um mês, pela 20ª rodada.

Desde então deu mais agressividade e capacidade de improviso dentro do ataque posicional executado pelo time de Sylvinho. Nas divisões de base se destacou jogando pela direita, setor em que geralmente atua na equipe, ''abrindo o campo'', dando amplitude ao ataque por ali e buscando muitas jogadas individuais ou passes para a área quando a bola chega. Gabriel é o segundo jogador que mais dribla no Brasileiro. Fica só atrás de Ferreira, do Grêmio.

Falando sobre Rodrigo Nestor, foi um jogador que teve carreira mais promissora na base em relação a Gabriel Pereira. 12 meses mais velho, ele disputou os Sul-Americanos Sub-15 e Sub-17 pela Seleção, além do Mundial Sub-17 há quatro anos, quando a equipe foi eliminada na semifinal. Sempre esteve entre as maiores promessas apontadas em Cotia no final da última década.

Em 2019, antes de completar 18 anos, chegou a ser relacionado para dois jogos do Campeonato Paulista pelos profissionais. André Jardine, que o conhecia das divisões amadoras do clube, foi o responsável. Naquela mesma temporada sagrou-se campeão da Copa São Paulo como um dos destaques da equipe Sub-20 tricolor.

03 - Rubens Chiri / saopaulofc.net - Rubens Chiri / saopaulofc.net
Rodrigo Nestor arrisca chute de fora da área em partida do São Paulo diante do Corinthians
Imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Começou a ganhar oportunidades no time principal com Fernando Diniz em 2020. Foi titular em apenas dois dos 14 jogos que fez, mas caiu nas graças de Hernán Crespo nesta temporada. Dono de ótimo passe, visão de jogo, condução de bola de alto nível, e mobilidade no setor de meio-campo, atuou como volante e como meia. Mesmo sendo canhoto, se sente confortável pelos dois lados da faixa central e pressiona a bola com intensidade na hora de defender.

As finalizações de média e longa distância também sempre chamam a atenção, assim como o bom posicionamento defensivo. Tanto Nestor, quanto ''GP'', precisam evoluir no aspecto físico se quiserem ser mais dominantes no cenário sul-americano e almejar algo grande na Europa. Ainda sofrem em partidas com esta realidade. Ganhar mais força e massa é necessário.

O gramado de Morumbi deve presenciar mais um encontro entre ambos logo mais. Certeza de talento e a lição de que, mesmo com alto investimento para contratar atletas consagrados, é sempre necessário olhar com carinho para quem chega da base. Gabriel Pereira e Rodrigo Nestor já estão dando retorno esportivo e podem dar financeiro em breve a Corinthians e São Paulo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL