PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Coutinho: Galo e Fortaleza dominam a Seleção do 1º turno

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

09/09/2021 10h51

Metade do Brasileirão 2021 praticamente já se foi. Não fossem os jogos adiados e ainda pendentes das 19 rodadas iniciais, poderíamos dizer de forma concreta que o 1º turno estaria encerrado, já que a 20ª rodada começa no próximo final de semana. Mesmo assim, de forma simbólica, já é possível revelar a Seleção desta parte do campeonato

Como você pode acompanhar semanalmente aqui na coluna, detalho todos os jogos do Brasileirão avaliando o desempenho de equipes e jogadores. Eles recebem uma nota de 0 a 10 em cada partida, e a média dessas notas os coloca em rankings por posição. Os líderes integram a Seleção.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
A Seleção do 1º turno do Brasileirão
Imagem: Rodrigo Coutinho

Cabe ressaltar que é necessário participar de ao menos 40% dos jogos. Então, os atletas que fizeram menos de oito partidas até aqui, não entram na equipe. Poderão formar o time com a sequência da competição e o aumento de ocasiões em campo. Gabigol é o principal caso. Teria média para estar na relação, mas tem só seis jogos disputados. Confira os detalhes do rendimento de cada jogador neste 1º turno.

Fernando Miguel - 5,88

02 - Reprodução / Internet - Reprodução / Internet
Fernando Miguel, do Atlético-GO
Imagem: Reprodução / Internet

Está empatado com Cleiton, do Red Bull Bragantino, mas leva vantagem por ter feito mais jogos: 17 x 16. Fernando foi extremamente regular em bom nível. Não levou nenhuma nota abaixo de 5,5 e não cometeu falhas que comprometessem um resultado sequer do Atlético Goianiense. Teve grande atuação na 1ª rodada, contra o Corinthians, quando pegou um pênalti. E foi muito bem diante do Bahia, na 16ª rodada. Tem média de gols sofridos inferior a um por jogo e fez defesas salvadoras em cinco chances claras dos adversários.

Yago Pikachu - 5,92

03 - LC MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO - LC MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Yago Pikachu comemora o terceiro gol do Fortaleza contra o Inter no Castelão
Imagem: LC MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um campeonato de renascimento para o ala-direito do Fortaleza. Depois de um 2020 para esquecer no Vasco, chegou ao Tricolor do Pici e tomou conta do setor com a efetivação de Juan Pablo Vojvoda no comando. Tem total liberdade ofensiva. Chega na área, fez cinco gols e deu cinco assistências no Brasileirão, mas é um ala. Compõe a linha defensiva quando sua equipe está sendo atacada. Fez sua melhor atuação na 1ª rodada, contra o Atlético/MG, ganhou um 7,5. Só teve uma atuação ruim até aqui, diante do Grêmio, na 7ª rodada.

Tinga - 5,89

04 - Kely Pereira/AGIF - Kely Pereira/AGIF
Tinga comemora gol do Fortaleza contra o Ceará pelo Brasileirão
Imagem: Kely Pereira/AGIF

Outro que se encontrou nas mãos de Vojvoda. De lateral e ponta, passou a jogar como zagueiro num trio de defesa. Sempre pelo lado direito. Além de marcar bem e proteger a área com eficiência, aparece como elemento surpresa na frente, compensando as entradas em diagonal de Pikachu. Acrescenta com passes verticais na saída de bola. Sobra fisicamente! A regularidade em bom nível chama a atenção. Não recebeu nenhuma nota abaixo de 5,5. Suas melhores atuações aconteceram contra Flamengo, América/MG e Ceará.

Nathan Silva - 5,97

05 - Pedro Souza / Atlético-MG - Pedro Souza / Atlético-MG
Nathan Silva, zagueiro do Atlético-MG, comemora gol sobre o Juventude
Imagem: Pedro Souza / Atlético-MG

Temporada decisiva para a carreira dele. Mudou de patamar com o desempenho que vem tendo desde o Atlético/GO. Tanto que o Galo, dono de seus direitos, o convocou de volta do empréstimo para formar a dupla com Junior Alonso. Defensor de ''pegada'', bom posicionamento e saída de bola eficaz. Se destaca no jogo aéreo. Atuou as sete primeiras rodadas no Dragão. Fez uma partidaça na 6ª rodada, contra o Fluminense. Já no Atlético, só vacilou contra o Red Bull Bragantino. Foi o ''cara'' do jogo contra o Juventude, na 15ª rodada.

Lucas Crispim - 5,84

06 - Pedro Chaves/AGIF - Pedro Chaves/AGIF
Lucas Crispim comemora gol marcado pelo Fortaleza em cima do Santos, seu ex-clube
Imagem: Pedro Chaves/AGIF

Na surpreendente linha defensiva desta Seleção, Lucas Crispim consegue chamar ainda mais a atenção por esse fator. Primeiro por não ser um defensor de origem. Vem jogando como ala-esquerdo. Compõe a última linha quando sua equipe é atacada, mas com a bola não apoia só pelo lado. Flutua para o meio para articular, chutar de fora de área, e acionar os companheiros mais bem posicionados. Vem se reinventando e está um pouco acima de Guilherme Arana até aqui no Brasileirão. Sua melhor atuação veio na 2ª rodada, diante do Internacional.

Edenilson - 6,21

07 - Ricardo Duarte - Ricardo Duarte
Edenilson durante partida do Internacional contra o Atlético-GO pelo Brasileirão
Imagem: Ricardo Duarte

Por mais que tenha atuado como meia nos últimos jogos, perfilou a maior parte do tempo como volante, e sobra entre os jogadores da posição. É o terceiro melhor atleta da competição, atrás apenas de Hulk e Arrascaeta pela média de notas. Mesmo nos piores momentos do Inter conseguiu se destacar. Decisivo com oito gols, seis deles de pênalti, e cinco assistências. Participou diretamente de 59% dos gols de sua equipe. Cresceu demais também no potencial de articulação. Acerta 89% dos passes verticais, o 7º melhor do torneio

Lucas Evangelista - 5,96

08 - Diogo Reis/AGIF - Diogo Reis/AGIF
Lucas Evangelista, do Red Bull Bragantino, celebra gol contra o Fluminense, em duelo no Nabi Abi Chedid, pelo Brasileiro
Imagem: Diogo Reis/AGIF

Caiu de produção e teve lesões que tiraram sua regularidade em alto nível na reta final do 1º turno, mas foi bem demais até a 12ª rodada, o que lhe sustentou durante esta 1ª parte da competição entre os dois melhores volantes do Brasileirão 2021. Sua melhor atuação aconteceu na estreia, diante da Chapecoense, mas o rendimento foi bem alto também contra o Bahia, o Fluminense, e o Athlético. É o ''segundo homem'' de meio-campo do Massa Bruta. O ''motor'' físico e criativo do time. Fez dois gols e deu duas assistências em 14 jogos.

Arrascaeta - 6,28

09 - Alexandre Vidal / Flamengo - Alexandre Vidal / Flamengo
Arrascaeta, jogador do Flamengo, durante duelo contra a Chape, pelo Brasileirão
Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

O uruguaio demorou a ter sequência em virtude da Copa América, mas desde que voltou de forma regular ao time do Flamengo, a partir da 10ª rodada, tomou conta do posto de melhor meia ofensivo do Brasileirão neste 1º turno. Tem a segunda melhor média da competição até aqui, somente atrás de Hulk. Só teve uma atuação ruim nos nove jogos que fez, contra o Internacional, na 15ª rodada. Jogou muita bola contra a Chapecoense, e foi destaque diante de Palmeiras, Bahia, São Paulo, Corinthians e Sport. Fez um gol e deu cinco assistências.

Nacho Fernandez - 6,18

10 - Pedro Souza/Atlético-MG - Pedro Souza/Atlético-MG
Nacho Fernández comemorou mais uma vitória do Galo no Campeonato Brasileiro
Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

O argentino está na briga com Arrascaeta pela liderança entre os meias ofensivos, mas foi menos brilhante que o atleta do Flamengo. Isso não quer dizer, porém, que não faça um campeonato excelente. O armador do Galo foi muito regular. Não levou nenhuma nota abaixo de 5,5 e jogou demais diante do Atlético Goianiense, na 8ª rodada, recebeu uma nota 8. Se destacou também na jornada seguinte, contra o Cuiabá. No restante, foi sempre importante e efetivo. Fez três gols e deu uma assistência nas 11 partidas que cumpriu até aqui.

Savarino - 6,20

11 - Fernando Moreno/AGIF - Fernando Moreno/AGIF
Savarino comemora gol do Atlético-MG contra o Palmeiras pelo Brasileirão
Imagem: Fernando Moreno/AGIF

O venezuelano pode ficar escondido dos holofotes pelo brilho de Hulk e Nacho Fernandez, além da chegada de Diego Costa, mas novamente faz um ótimo Brasileirão pelo Atlético. Forma a dupla de ataque da Seleção com seu companheiro de clube por desequilibrar o lado direito do Galo. Rápido, driblador, vertical e decisivo em muitos momentos dos dez jogos que fez. Anotou quatro gols e deu duas assistências. Cumpriu grandes atuações na 10ª e na 16ª rodada, contra Flamengo e Palmeiras, os dois principais rivais do Galo na briga pelo título.

Hulk - 6,47

12 - Ettore Chiereguini/AGIF - Ettore Chiereguini/AGIF
Hulk, atacante do Atlético-MG
Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF

Ele sobra até aqui! Pode até ter ''dor de cabeça'' com Gabigol e Arrascaeta no 2º turno, mas Hulk é o melhor jogador do Brasileirão 2021 até o momento. Durante várias rodadas foi o grande ponto de criação do Atlético através da sua individualidade. Entrou em forma e une força, habilidade, boas decisões técnicas, explosão e finalizações precisas. Um terror para as zagas que enfrentou! Das muitas excelentes atuações que teve, destacam-se os jogos contra Atlético Goianiense, Corinthians e Bahia. Fez sete gols e deu cinco assistências em 17 jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL