PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Martinelli se impõe no meio tricolor e deixa importante recado ao clube

Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

23/02/2021 04h00

A fábrica de Xerém produziu mais um valor para time principal do Fluminense. Titular há oito jogos consecutivos, o volante Martinelli parece ter tomado conta de vez do setor de meio-campo tricolor. Destaque desde a base, o camisa 38 vem mostrando que pode ser uma das referências da equipe para as próximas temporadas.

Hoje com apenas 19 anos, o atleta chegou ao Fluminense em 2017. Antes passou pelas bases do Marília, Osvaldo Cruz e Grêmio Prudente, time de sua cidade-natal. Terminou a formação em Xerém a partir dos 16 anos e se destacou a partir da equipe sub-17, quase sempre formando dupla com André, outro volante promissor que subiu em 2020.

arte - Fonte: Opta - Fonte: Opta
Os números de Martinelli na temporada
Imagem: Fonte: Opta

Promovido por Odair Hellmann, Martinelli ficou no banco pela primeira vez no jogo diante do Sport, pela 11ª rodada do Brasileirão, quando o Tricolor perdeu por 1x0 na Ilha do Retiro. Também com o ex-técnico recebeu sua primeira oportunidade como titular, no final de novembro, contra o Red Bull Bragantino. Foi com Marcão, porém, que ganhou sequência a partir da vitória sobre o mesmo Sport, no Maracanã.

Martinelli acabou suprindo, de forma tardia é verdade, a saída de Dodi, que foi um dos destaques do Fluminense e de todo o 1º turno. Mais afeito a função de ''segundo homem'' de meio nas categorias de base, vem jogando mais recuado, e dando conta do recado com muitos méritos. Qualificou a saída de bola da equipe e já contribuiu até com gols. São três tentos marcados em 12 jogos como profissional.

mapa - Sofascore - Sofascore
Mapa de calor de Martinelli no Fluminense. Presença forte no centro do campo, à frente da linha de zaga
Imagem: Sofascore

Características

As principais virtudes de Martinelli induzem a um aproveitamento melhor dele como um volante de mais liberdade. Mas vem fazendo dupla com Yago Felipe na maioria dos jogos do Fluminense, e está sendo escalado mais recuado. Em uma das partidas chegou a atuar mais atrás do que Hudson num tripé de meio-campo. A ideia de Marcão é justamente aproveitar sua capacidade de organização no setor.

O jovem volante possui passe de qualidade e visão de jogo. Uma ''tomada de decisão'' bem acima da média para um garoto de 19 anos e pouquíssima rodagem nos profissionais. O posicionamento também chama a atenção, principalmente para auxiliar nas transições defensivas. Mesmo não sendo rápido ou muito potente fisicamente, consegue realizar boas coberturas e antecipações, evitando contragolpes adversários.

imagem - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Martinelli fazendo a saída de três entre os zagueiros e qualificando a saída de bola
Imagem: Rodrigo Coutinho

Outra virtude de seu jogo é a capacidade de finalizar de média distância e dar o último passe para os companheiros arrematarem. Controla a bola com muita técnica, tem repertório de drible, e possui um ''domínio orientado'' apurado, sempre induzindo o corpo para a próxima ação da jogada. Não consegue, porém, ocupar um espaço muito grande no campo e apresenta dificuldade quando precisa mudar de direção em velocidade.

02 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Já com o Fluminense no campo adversário trabalha basicamente na intermediária
Imagem: Rodrigo Coutinho

Lição ao clube

Não só na posição de volante, mas em outros setores do campo, o Fluminense tem tido provas que muitas vezes é melhor apostar em sua base do que contratar jogadores de nível mediano. O gasto é menor e a ligação com as raízes tricolores acabam reforçadas. Marcos Felipe, Calegari e Luiz Henrique são ótimos exemplos atuais. Xerém produz em ótima escala e pode ser determinante para uma recuperação financeira, além de melhores resultados em campo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL