PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo Rodrigues: O antiprofissionalismo de Sóbis infelizmente é comum

Atacante Rafael Sobis participa de treino do Cruzeiro - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Atacante Rafael Sobis participa de treino do Cruzeiro Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

19/01/2022 17h33

O ex-atacante Rafael Sóbis deu uma declaração polêmica nessa semana para o canal do Duda Garbi no Youtube, dizendo que tirou o pé quando defendia o Cruzeiro, em 2016, para não prejudicar o Internacional, se ex-clube, que lutava contra o rebaixamento, na penúltima rodada do Brasileirão daquele ano.

Se o Cruzeiro vencesse aquele jogo, o Colorado, clube que revelou Rafael Sóbis para o futebol, seria rebaixado. No fina, o Inter ganhou por 1 x 0, mas depois, na rodada seguinte, acabou mesmo rebaixado. O não-profissionalismo de Sóbis naquela partida e o desrespeito pela camisa do Cruzeiro e seus torcedores, pouco adiantou no final.

A atitude de torcedor de Sóbis, condenável no futebol profissional, infelizmente é comum entre jogadores no esporte. Seja para beneficiar um ex-clube, a si mesmo ou para prejudicar um rival. Não foram poucos os casos em que vimos isso. Em 2001, Edmundo, atuando pelo Cruzeiro, perdeu um pênalti em São Januário na derrota para o Vasco, clube onde foi profissionalizado, por 3 x 0. Depois do jogo, o ex-atacante ainda acenou para a torcida vascaína. Mas em seguida foi demitido pelo clube mineiro.

Em 2005, o ex-meia Roger Flores, bateu um pênalti de maneira bem duvidosa, muito por cima do gol, na disputa por pênaltis contra o Figueirense, onde o Corinthians acabou eliminado. A atitude irresponsável do jogador visava prejudicar o técnico Daniel Passarella. Anos depois, o Chinelinho acabou revelando que realmente fez de propósito. Banal...

Em 2009, na final na última rodada do Brasileirão, o Grêmio colocou seu time reserva já que não tinha o interesse em vencer do Flamengo para ajudar o rival Internacional a levantar a taça. Douglas Costa, do tricolor, anos depois, confessou ter dado uma 'pedaladas erradas', para não ficar manchado por ajudar o rival a ser campeão. E por aí vai...

No último Brasileirão, o meia Luan, do Corinthians, teve a chance de marcar o gol da vitória contra o Grêmio e rebaixar seu ex-clube. Mas acabou desperdiçando um contra-ataque, quando passou a bola para Róger Guedes, num momento em que poderia ter arriscado o chute para o gol.

O torcedor pode não acreditar que o jogador do seu time tome uma atitude como essa. Mas é sempre bom ficar de olho. Aquele que na semana do jogo contra o ex-clube que já discursa dizendo que não vai comemorar gol contra o ex-clube já é bem duvidoso. Respeito pela camisa da equipe atual vale menos que do time anterior. Infelizmente é assim e assim será.

Siga Rodolfo Rodrigues no Instagram

Siga Rodolfo Rodrigues no Twitter