PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo Rodrigues: Atlético-MG encerra maior jejum de títulos no Brasileiro

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

02/12/2021 19h54

O Atlético-MG venceu o Bahia por 3 x 2, de virada, nesta quinta-feira (2) e conquistou o título do Campeonato Brasileiro de 2021 com duas rodadas de antecipação. Campeão em 1971, o Galo voltou a comemorar o título 50 anos depois e colocou fim ao maior jejum de títulos de um time campeão na história da competição, desde 1959.

Com 81 pontos ao final da 36ª rodada, o Atlético-MG não pode mais ser alçado pelo Flamengo (que poder somar 79 pontos). Com a atual pontuação, o Galo igualou o Corinthians de 2015, o 2º melhor campeão na história do Brasileirão por pontos corridos desde 2006, quando o campeonato passou a ser disputado por 20 clubes. Com mais dois jogos pela frente, o Galo tem a chance de melhorar ainda mais sua pontuação, mas não vai conseguir superar o Flamengo de 2019, que fez 90 pontos.

O técnico Cuca, campeão brasileiro com o Palmeiras em 2016, chegou ao seu segundo título do Brasileirão e escreveu definitivamente seu nome entre um dos maiores treinadores da história do Galo. Campeão da primeira Copa Libertadores do clube, em 2013, Cuca foi um dos grandes responsáveis pela ótima campanha do time nessa Série A de 2021.

Mas o grande destaque desse histórico título foi o experiente atacante Hulk, artilheiro do Galo e do campeonato até aqui com 18 gols e dono de 7 assistências. Outros nomes que brilharam nessa conquista foram o lateral esquerdo Guilherme Arana, o zagueiro paraguaio Junior Alonso, o goleiro Everson, além dos volantes Jair e Allan e o meia Nacho Fernández.

Recordista de vitórias seguidas em casa na era dos pontos corridos (15), o Galo conquistou o título tendo até aqui o segundo melhor ataque (59 gols), 10 a menos que o Flamengo, e a melhor defesa (27 gols sofridos). Campeão do 1º e do 2º turno, o Galo assumiu a liderança da competição na 15ª rodada e não largou mais.

Título justo e merecido para um time que nessa temporada ganhou o Campeonato Mineiro e que tem ainda a chance de conquistar a Copa do Brasil, podendo repetir o feito do Cruzeiro de 2003, o único a conquistar a tríplice coroa no país. Na Libertadores, o Galo fez ainda uma boa campanha, sendo eliminado pelo Palmeiras na semifinal de forma invicta. Parabéns, Galo!

Maiores filas de títulos encerradas no Campeonato Brasileiro (1959-2021)
50 anos - Atlético-MG (1971-2021)
37 anos - Cruzeiro (1966-2003)
34 anos - Santos (1968-2002)
29 anos - Bahia (1959-1988)
27 anos - Botafogo (1968-1995)
26 anos - Fluminense (1984-2010)

Maiores jejuns de título do Brasileirão entre os campeões (1959-2021):
43 Guarani
42 Internacional
36 Coritiba
34 Sport
33 Bahia
26 Grêmio
25 Botafogo
21 Vasco
20 Athletico-PR
17 Santos
13 São Paulo
9 Fluminense
7 Cruzeiro
4 Corinthians
3 Palmeiras
1 Flamengo
0 Atlético-MG

Melhores campanhas no Brasileirão na era dos pontos corridos com 20 clubes (2006-2021):
90 Flamengo (2019)
81 Corinthians (2015)
[81] Atlético-MG (2021) - 2 jogos
80 Cruzeiro (2014)
80 Palmeiras (2016)
80 Palmeiras (2018)
78 São Paulo (2006)

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL