PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo: Neymar jogou mais que Messi nas Eliminatórias, mas está em baixa

Neymar e Messi se abraçam na final da Copa América - Wagner Meier/Getty Images
Neymar e Messi se abraçam na final da Copa América Imagem: Wagner Meier/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

04/09/2021 04h00

Duas grandes estrelas do futebol mundial na atualidade, Messi e Neymar, novamente companheiros de clube (agora no PSG), voltarão a se enfrentar no duelo entre Brasil e Argentina, depois de quase dois meses da final Copa América 2021, na qual o argentino sagrou-se campeão no Maracanã.

Na partida deste domingo (5), na Neo Química Arena, os dois camisas 10 chegam outra vez como grandes nomes de suas equipes. Neymar, que até aqui teve um desempenho melhor que o Messi nos 7 jogos das Eliminatórias, é a principal referência do time de Tite. Mas chega em baixa após uma atuação ruim diante do Chile, em Santiago. Nitidamente fora de forma, o brasileiro errou muito nas finalizações, passes e dribles, sendo bastante criticado.

Messi, que conduziu a Argentina ao título da Copa América depois de 28 anos, não foi brilhante contra a Venezuela, na vitória da Argentina por 3 x 1, mas teve um bom desempenho fora de casa e segue em alta na equipe de Lionel Scaloni, que não perde há 21 jogos, desde a semifinal da Copa América de 2019, para o Brasil.

Neymar x Messi nas Eliminatórias da Copa 2022 - SofaScore - SofaScore
Neymar x Messi nas Eliminatórias da Copa 2022
Imagem: SofaScore

Nas Eliminatórias da Conmebol para a Copa do Mundo de 2022, Neymar vem tendo um desempenho bem superior ao de Messi. Mesmo com dois jogos a menos, marcou mais gols (5 a 2), deu mais assistências (4 a 0), mais dribles (37 a 24) e precisou de muito menos minutos para participar de gols (50 a 315). Números surpreendentes até, já que o argentino costuma ter um desempenho sempre muito significativo pela seleção argentina. E até mesmo pela campanha da Argentina nas Eliminatórias, que é a segunda colocada com 15 pontos.

Mas pelo futebol apresentando na reta final da Copa América e nessa volta das Eliminatórias, o cenário parece o oposto. Neymar pouco fez contra o Chile e deixou uma péssima impressão. Para falar a verdade, não me lembro dele ter sido questionado pela parte física. O desinteresse e a fraca atuação na parte técnica mostram que ele chega em baixa para esse duelo contra a Argentina. Já Messi, mesmo não rendendo o máximo, chega mais inteiro e com a chance de vencer o Brasil pela primeira vez fora de casa nas Eliminatórias.

No confronto direto entre os dois principais jogadores sul-americanos dos últimos 10 anos, Messi tem vantagem. São 4 vitórias do argentino contra 2 do brasileiro. E Messi leva grande vantagem nos gols: 6 a 1.

No primeiro duelo entre eles, num amistoso em 2010, Messi marcou um gol no último minuto na vitória da Argentina por 1 x 0. Em 2011, na final do Mundial de Clubes, o Barcelona de Messi goleou o Santos de Neymar por 4 x 0, com dois gols do argentino. Já em 2012, em outro amistoso de seleções, Messi marcou 3 vezes na vitória por 4 x 3, nos Estados Unidos.

Em 2014, o Brasil venceu a Argentina por. 2 x 0, num amistoso, com 2 gols de Diego Tardelli. Messi, naquele jogo, perdeu um pênalti, defendido pelo goleiro Jefferson, ex-Botafogo. Em 2016, no Mineirão, em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, o Brasil venceu por 3 x 0, com um gol de Neymar. Já na final da Copa América, Messi ganhou o título na vitória argentina por 1 x 0, gol de Di María.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL