PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Com Renato Gaúcho, Flamengo volta a ter um futebol encantador e arrasador

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

25/07/2021 18h12

Quem estava com saudades do futebol do Flamengo da época de Jorge Jesus, em 2019 e início de 2020, está agora feliz da vida. Com Renato Gaúcho, o rubro-negro vem mostrando um excelente futebol, ofensivo, implacável e atropelando seus adversários. Como nos bons tempos do treinador português.

Depois de golear o Bahia por 5 x 0 em Salvador na penúltima rodada, o Flamengo se classificou para as quartas de final da Libertadores com uma vitória por 4 x 1 sobre o Defensa y Justicia-ARG e agora, neste domingo (25), aplicou a maior vitória sobre o São Paulo na história do confronto pelo Brasileirão: 5 x 1.

A goleada serviu para quebrar um jejum de 9 jogos sem vitória para o São Paulo e para mostrar a enorme superioridade diante de um adversário que também está entre os 8 finalistas da Libertadores.

Mesmo saindo atrás do placar, o Flamengo teve frieza para empatar, virar e depois golear o rival. Bruno Henrique, com 3 gols em apenas 8 minutos, foi o grande nome do jogo. Com o desempenho desta tarde, o atacante pulou para a 6ª posição entre os maiores artilheiros do clube na história do Brasileirão com 36 gols, um atrás de Romário. Gabigol, que não marcou hoje, está na segunda colocação com 42 gols, atrás de Zico, autor de 135 gols.

Com Renato Gaúcho, o Flamengo tem agora 4 jogos, 4 vitórias, 15 gols feitos (3,75 por partida) e 2 gols sofridos, e o melhor futebol do América do Sul disparado. Nesse ritmo, o torcedor rubro-negro pode sonhar com mais conquistas à la Jorge Jesus.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL