PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Gabriel Jesus iguala Romário em número de gols na Liga dos Campeões

Gabriel Jesus comemora o segundo gol do City na Liga dos Campeões - FERENC ISZA/AFP
Gabriel Jesus comemora o segundo gol do City na Liga dos Campeões Imagem: FERENC ISZA/AFP
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

24/02/2021 20h06

Autor do segundo gol do Manchester City na vitória por 2 a 0 sobre o Borussia Moenchengladbach-ALE nesta quarta-feira (24), no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões 2020/21, o atacante Gabriel Jesus chegou a 16 gols na história da competição e igualou a marca de Romário, o 11º brasileiro com mais gols pela Champions.

Brasileiros com mais gols na Liga dos Campeões (1955-2020):
41 - Neymar
30 - Kaká
27 - Rivaldo
25 - Jardel
24 - Élber
21 - Luiz Adriano
18 - Juninho Pernambucano
18 - Ronaldinho Gaúcho
17 - Hulk
17 - Willian
[16] - Gabriel Jesus
16 - Romário
15 - Roberto Carlos
15 - Roberto Firmino
14 - Adriano
14 - Ronaldo

Com apenas 27 jogos disputados na competição desde 2018, Gabriel Jesus vem impressionando pela alta quantidade de gols. Entre os brasileiros que conseguiram marcar 16 gols, apenas dois precisaram de menos jogos que Jesus para alcançar essa marca: Romário (25 jogos) e Neymar (26 jogos).

Jogos para marcar 16 gols na Liga dos Campeões entre os brasileiros:
25 - Romário
26 - Neymar
[27] - Gabriel Jesus
27 - Jardel
30 - Rivaldo
37 - Luiz Adriano
39 - Kaká
40 - Ronaldinho Gaúcho
45 - Élber
46 - Hulk
47 - Juninho Pernambucano
63 - Willian

Na história da competição, desde 1955, Gabriel Jesus é o 2º brasileiro que precisa de menos minutos para marcar gols (111), atrás apenas do ex-centroavante Juary, campeão pelo Porto-POR em 1987, que marcou 5 gols em 12 jogos e teve média de 1 gol a cada 98 minutos. A média de Gabriel Jesus é superior à de Neymar (135 minutos).

Menos minutos para marcar gol na Liga dos Campeões entre os brasileiros (1955-2021):
93 - Juary (5 g, 12 j)
[111] - Gabriel Jesus (16 g, 27 j)
116 - Vavá (8 g, 10 j)
118 - Rodrygo (5 g, 11 j)
125 - Nilmar (4 g, 12 j)
128 - Adriano (14 g, 27 j)
135 - Neymar (41 g, 65 j)

Com o gol desta quarta, Gabriel Jesus chegou a 6 gols em mata-matas na Liga dos Campeões, empatando com Daniel Alves e Élber e figurando na lista dos brasileiros com mais gols fora da fase de grupos.

Brasileiros com mais gols em mata-matas na história da Liga dos Campeões (1955-2021):
13 - Neymar
13 - Mazzola
11 - Kaká
8 - Jair da Costa
7 - Marcelo
7 - Roberto Firmino
6 - Daniel Alves
6 - Élber
[6] - Gabriel Jesus

Nas últimas 3 edições da Liga dos Campeões, Gabriel Jesus figura também entre os principais artilheiros da competição. Com 12 gols, ele tem apenas 2 a menos que Neymar e Cristiano Ronaldo. Nessas 3 edições, ele precisou de somente 98 minutos para marcar 1 gol, tendo a 5ª melhor média segundo o SofaScore, atrás de Agüero (82'), Lewandowski (76'), Haaland (55') e Giroud (53').

Maiores artilheiros da Liga dos Campeões nas últimas 3 edições:
27 - Lewandowski
19 - Messi
18 - Haaland
14 - Cristiano Ronaldo
14 - Mbappé
14 - Neymar
13 - Benzema
13 - Salah
[12] - Gabriel Jesus
12 - Sterling
11 - Harry Kane
10 - Agüero

Com 77 gols pelo Manchester City desde 2018, Gabriel Jesus é o brasileiro com mais gols na história do clube e nesta quarta igualou o número de gols do espanhol David Silva, o 4º maior artilheiro estrangeiro do clube.

Estrangeiros com mais gols na história do Manchester City:
256 - Agüero (Argentina)
102 - Goater (Bermudas)
82 - Yaya Touré (Costa do Marfim)
77 - David Silva (Espanha)
[77] - Gabriel Jesus (Brasil)
73 - Tevez (Argentina)
72 - Dzeko (Bósnia)

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL