PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

Mau perdedor, Renato Gaúcho tem atitude vergonhosa após a derrota no Grenal

Renato Gaúcho reclamou do VAR após a derrota de virada do Grêmio para o Internacional - Marcello Zambrana/Marcello Zambrana/AGIF
Renato Gaúcho reclamou do VAR após a derrota de virada do Grêmio para o Internacional Imagem: Marcello Zambrana/Marcello Zambrana/AGIF
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do Uol

25/01/2021 12h48

No futebol brasileiro, infelizmente técnicos, jogadores, dirigentes, torcedores e até jornalistas têm o péssimo costume de colocar a culpa de uma derrota num jogo de futebol na arbitragem. São poucos aqueles que dão os méritos aos adversários ou ainda assumem a culpa pelo fracasso, enxergando os próprios erros.

Com o VAR, o chororô continua o mesmo. Ainda que tenhamos agora menos erros de arbitragem, por conta da tecnologia, o discurso do mau perdedor segue igual. E foi assim nesse domingo com a falastrão Renato Gaúcho, que viu o Grêmio ser derrotado de virada para o Internacional por 2 x 1, com um gol de pênalti de Edenílson aos 52 minutos do 2º tempo.

O lance em que o árbitro paulista Luiz Flávio de Oliveira assinalou o pênalti pode até gerar alguma dúvida. Após o cabeceio de Edenílson, a bola parece tocar no braço de Kannemann duas vezes. A imagem realmente não é tão clara, mas após ver o lance visto de vários ângulos, dá para dar razão ao VAR, comandado na partida por Wagner Reway (PB).

Ainda que a bola não tenha tocado realmente no braço de Kannemann, não dá para despejar toda a culpa pela perda de mais um título brasileiro do Grêmio na arbitragem ou no lance em si. Nesse Brasileirão, erros de arbitragem aconteceram para vários clubes. É mentira que o Inter é sempre mais beneficiado. Ou o Flamengo ou Corinthians, como é de praxe se dizer.

Até aqui, o Grêmio teve 16 revisões de lances capitais em suas partidas, sendo 8 a favor e 8 contra. O Inter, teve 5 contra e 8 a favor. O Atlético-GO, teoricamente o time mais favorecido, teve 10 lances a favor e 4 contra. Mas até aí dizer que o time faz uma campanha boa por isso é um enorme exagero. Ou que o Vasco, o mais "prejudicado" (4 a favor e 12 contra), só briga contra o rebaixamento por causa do VAR.

Após o jogo, Renato Gaúcho disse na coletiva que existe um complô na CBF ou dos árbitros contra o Grêmio. "Não querem deixar o Grêmio ser campeão". Além disso, falou que todo o planejamento foi destruído por conta do pênalti. Ora, quem decidiu poupar titulares em vários jogos? E olha que não é de hoje que o Grêmio bota time reserva no início do Brasileirão sob o comando de Portaluppi.

Para piorar, Renato disse ainda que pretende jogar como o time de transição ou a garotada do Grêmio nas partidas restantes, visando prejudicar o Internacional — o próximo jogo já é contra o Flamengo, que pode diminuir a vantagem de 7 para 4 pontos na próxima quinta-feira (28). "Se o presidente autorizar, eu boto o time de transição", falou Renato. Atitude baixa e lamentável para um técnico vencedor e hoje entre os melhores da América do Sul.

Quando é a favor, ninguém sai dizendo que a arbitragem é uma vergonha. Jamais. Na 3ª rodada, quando recebeu o Corinthians em Porto Alegre, o Grêmio foi favorecido após o VAR não dar o pênalti claro de Kannemann em Jô. Depois, no segundo tempo, ainda deu um pênalti duvidoso a favor do Grêmio — desperdiçado por Diego Souza no empate por 0 x 0.

No futebol, quando alguém é sincero em favor do adversário a atitude se torna escandalosa. Quando Rodrigo Caio admitiu ter sido dele o toque no goleiro do São Paulo e não do atacante Jô, do Corinthians, que tinha sido expulso pelo mesmo Luiz Flávio de Oliveira em 2017, pela semifinal do Paulistão, muitos caíram de pau em cima do zagueiro são-paulino.

Renato Gaúcho, que não conseguiu vencer nenhum jogo contra time do G6 (6 empates e 2 derrotas), perdeu o Grenal depois de 11 jogos sem derrota. Nos últimos anos triunfou com méritos sobre o rival. Ganhou os últimos três Campeonatos Gaúchos e tem um retrospecto excelente contra o rival (10 vitórias, 12 empates e 4 derrotas). Mas agora perdeu.

O Inter, que merecidamente perdia por 1 x 0 até os 44 minutos do 2º tempo, melhorou com as mexidas de Abel Braga e buscou a virada de forma brilhante. Aceita que é melhor, Renato. E tente, no Brasileirão de 2021, levar o campeonato a sério desde o início para não ficar de chororô nas rodadas finais.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)