PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

Tite convocar Lucas Paquetá para a seleção não é nenhum absurdo

Lucas Paquetá no amistoso contra a Coreia do Sul em 2019 - Pedro Martins / MoWA Press
Lucas Paquetá no amistoso contra a Coreia do Sul em 2019 Imagem: Pedro Martins / MoWA Press
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

28/10/2020 13h42

O técnico Tite anunciou nessa terça-feira (27) a convocação do meia Lucas Paquetá para o lugar de Philippe Coutinho, que se lesionou e não vai poder enfrentar Venezuela e Uruguai pelas Eliminatórias Sul-Americanas nos dias 13 e 17 de novembro.

Contratado pelo Lyon no início dessa temporada 2020/21, Lucas Paquetá, de 23 anos, não foi tão bem pelo time italiano na última temporada, mas vinha sendo chamado pelo técnico Tite, fazendo parte inclusive do elenco campeão da Copa América pela seleção brasileira. No final de 2019, fez um gol na vitória por 3 x 0 sobre a Coreia do Sul.

Aos 23 anos, o jogador revelado pelo Flamengo fez 44 jogos e 1 gol pelo Milan em 2019 e 2020 e foi contratado por 20 milhões de euros pelo Lyon, clube que chegou à semifinal da Liga dos Campeões na última temporada. Nessa atual temporada, Paquetá fez sua primeira partida pelo clube francês dia 18 de outubro e seu segundo jogo no dia 25.

Sua convocação, no entanto, causou estranheza e algumas críticas nas redes sociais. Se levarmos em conta que ele vem atuando pouco, por conta dessa transferência do Milan para o Lyon, o argumento pode até ser válido. Mas seleção nem sempre é isso. É preciso uma certa sequência para se ter uma avaliação maior. Ainda mais para um jovem talentoso de 23 anos.

Agora, se pegarmos as opções disponíveis, não é nenhum absurdo ver Tite convocar Lucas Paquetá. No Brasileirão, entre os meias, o melhor deles já está na seleção (Éverton Ribeiro, do Flamengo). Outros que estão indo bem na competição são Nathan (Atlético-MG), Patrick (Internacional), Vinícius (Ceará) e o veterano Nenê (Fluminense). Todos, na minha opinião, abaixo de Lucas Paquetá nesse momento.

Entre os meias de outras equipes, não vejo ninguém pronto para ser chamado agora, como Gabriel Sara ou Igor Gomes (São Paulo), Zé Rafael ou Lucas Lima (Palmeiras), Mateus Vital ou Luan (Corinthians), ou Jean Pyerre (Grêmio).

Fora do Brasil, nas principais ligas nacionais da Europa, também não há tantas opções assim. Tite poderia voltar a insistir com o Willian, de 32 anos, agora no Arsenal. Tentar resgatar Bernard (reserva no Everton), ou dar uma chance para Reinier (reserva no Borussia Dortmund).

Douglas Costa, que voltou ao Bayern Munique, aos 30 anos, poderia até ser uma opção, mas, além de ter uma característica mais ofensiva, parece não estar mais no radar do treinador. Pedrinho, ex-Corinthians, no banco do Benfica, seria outra opção, mas também não vem fazendo nada para merecer.

Em outras condições, com mais opções, insistir com Paquetá seria um erro. Agora, porém, acho normal.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.