PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras é o time da Série A que menos perdeu na temporada 2020

Vanderlei Luxemburgo comanda o Palmeiras na partida contra o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro - Cesar Greco/Palmeiras
Vanderlei Luxemburgo comanda o Palmeiras na partida contra o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro Imagem: Cesar Greco/Palmeiras
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

18/09/2020 04h00

Campeão Paulista, invicto no Brasileirão e 100% na Libertadores, o Palmeiras do técnico Luxemburgo perdeu apenas 2 dos 28 jogos que fez na temporada 2020. O último no dia 27 de julho, contra o Corinthians, o primeiro na volta do Paulistão após a parada do futebol por conta do coronavírus. Desde então, o time já acumula 15 jogos sem derrota.

Entre os 20 participantes da Série A do Brasileirão, o Palmeiras é o time que menos perdeu na temporada 2020. Do total de jogos, a equipe de Luxemburgo perdeu apenas 7,1% de suas partidas. O Flamengo, segundo time que menos perdeu, tem 15,2% de derrotas no ano. Já os rivais São Paulo, Corinthians e Santos perderam 26,1%, 28,6% e 30,8% respectivamente.

Clubes que menos perderam na temporada 2020

Por conta da pandemia do coronavírus, os times brasileiros estão aproximadamente na metade da temporada agora. No Brasileirão, o Palmeiras tem ainda 29 jogos pela frente e pelo menos mais 3 na Libertadores e outros 2 na Copa do Brasil. Ainda assim, os números apresentados até aqui são bem significativos.

A porcentagem de derrotas do Palmeiras em 2020 (7,1%) é uma das menores dos últimos 70 anos. Para se ter uma ideia, a última vez em que o time teve menos de 10% de derrotas numa temporada foi em 1976 (9,3%). Em 1972, quando foi campeão Paulista invicto, perdeu apenas 7,7% dos jogos.

Campanhas do Palmeiras ano a ano (1950-2020)

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.