PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

Internacional quebra recorde de estrangeiros utilizados no Brasileirão

Abel Hernández estreou pelo Inter na partida contra o Bahia, pela 9ª rodada - Ricardo Duarte/Inter
Abel Hernández estreou pelo Inter na partida contra o Bahia, pela 9ª rodada Imagem: Ricardo Duarte/Inter
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

15/09/2020 04h00

Líder do Brasileirão, o Internacional estreou na última rodada (10ª) o argentino Leandro Fernández, na derrota para o Goiás. Ex-jogador do Independiente-ARG, o atacante foi o 9º estrangeiro utilizado pelo Colorado, que ainda conta com o técnico Eduardo Coudet, também argentino.

Time com mais gringos nessa Série A (9), o Inter quebrou ainda um recorde na história do Brasileirão (desde 1959), sendo o clube que mais colocou estrangeiros em campo na competição.

Neste ano, o time já utilizou os argentinos Saravia (lateral direito), Víctor Cuesta (zagueiro), Musto (volante), D'Alessandro e Sarrafiore (meias) e Leandro Fernández (atacantes); o peruano Guerrero e o uruguaio Abel Hernández (uruguaio); além do volante Jhonny, que nasceu nos Estados Unidos, mas que chegou cedo ao Brasil e foi revelado na base do clube. Jhonny, porém já atua pela seleção norte-americana.

Clubes que mais utilizaram estrangeiros no Brasileirão 2020:
9 - Internacional
5 - Corinthians
5 - Botafogo
4 - Goiás
3 - Athletico-PR
3 - Atlético-MG
3 - Fortaleza
3 - Santos
3 - São Paulo
3 - Sport
2 - Bragantino
2 - Flamengo
2 - Fluminense
2 - Grêmio
2 - Palmeiras
2 - Vasco
1 - Atlético-GO

Na história do Brasileirão, até 2019, os clubes recordistas de estrangeiros eram o Palmeiras (2014), Vasco (2015), Cruzeiro e São Paulo (2016), Atlético-MG (2019) e o próprio Internacional (2019), todos com 8 gringos utilizados.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.