PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

10 motivos para assistir o Campeonato Espanhol 2020/21 que começa hoje

Casemiro, Marcelo, Vinícius Júnior, Éder Militão e Rodrygo, os brasileiros do campeão Real Madrid - Reprodução/Twitter Real Madrid FC
Casemiro, Marcelo, Vinícius Júnior, Éder Militão e Rodrygo, os brasileiros do campeão Real Madrid Imagem: Reprodução/Twitter Real Madrid FC
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

11/09/2020 04h00

Começa nesta sexta-feira (11) a 90ª edição do Campeonato Espanhol, que será disputado até o dia 23 de maio de 2021.

Uma das principais ligas nacionais do mundo, a La Liga terá muitos destaques. Separei aqui 10 motivos para acompanharmos de perto a competição. Confira:

1 - Última vez de Messi

Maior artilheiro com 444 gols, jogador com mais assistências (184) e o que mais vezes terminou como artilheiro (7), o argentino disputará sua 17ª e provavelmente última temporada antes de deixar o Barcelona, onde já conquistou 10 títulos espanhóis. Depois de mostrar insatisfação ao final da última temporada, onde o Barça não ganhou nenhum título e ainda foi humilhado pelo Bayern Munique nas quartas de final da Liga dos Campeões, com a goleada sofrida por 8 x 2, o argentino manifestou o desejo de deixar o clube, mas foi impedido pelo contrato.

2 - Legião brasileira do Real Madrid

Atual campeão espanhol, o Real Madrid é o time com mais brasileiros na La Liga. São cinco, os mesmos da última temporada. O lateral esquerdo Marcelo vai para sua 15º temporada, tornando-se o brasileiro com mais participações, deixando Daniel Alves (14 para trás). Casemiro, titular absoluto e melhor brasileiro da última edição, segue prestigiado pelo técnico Zidane. No ataque, os jovens Rodrygo e Vinícius Júnior seguirão na briga por um lugar no time titular. Já o zagueiro Éder Militão terá outra chance para se firmar na equipe.

3 - Caras novas na La Liga

Diferentemente de outras edições, a Liga Espanhola não gastou muito em contratações, sendo apenas a 4ª que mais investiu em reforços (280,2 milhões de euros), atrás de Inglaterra, Itália e França. Desse total gasto, mais de 1/3 foi pelo Barcelona, que torrou 103 milhões de euros, sendo o 2º da Europa que mais gastou, atrás apenas do Chelsea (223). Entre as novidades do Barça, estão o volante bósnio Pjanic (ex-Juventus), o atacante Trincão (ex-Braga-POR), além da volta do brasileiro Philippe Coutinho.

O campeão Real Madrid não contratou ninguém para essa temporada. Nas outras equipes, os destaques são o croata Rakitic, ex-Barça, que voltou ao Seviila; o volante francês Coquelin, ex-Valencia, agora no Villarreal; e o meia David Silva, que retorna ao futebol espanhol para defender a Real Sociedad depois de anos no Manchester City; e o goleiro chileno Claudio Bravo, outro ex-City, agora no Betis.

4 - Segunda Liga mais valiosa do mundo

Segunda liga nacional mais valiosa do mundo, atrás apenas da Premier League, a La Liga conta com três do 10 times mais caros do mundo: Barcelona (3º, avaliado em 1,02 bilhão de euros), Real Madrid (5º - 930,3 milhões de euros) e Atlético de Madri (9º - 777,7 milhões de euros). Além disso, tem ainda o Sevilla, atual campeão da Liga Europa.

5 - Estrelas internacionais

Além de Lionel Messi, craque do Barça, a Liga Espanhola contará com a participação de grandes nomes das principais seleções do mundo como os franceses Griezmann, Dembélé e Lenglet (Barcelona), Varane (Real Madrid); o português João Félix (Atlético), os belgas Eden Hazard e Courtois (Real Madrid); os alemães Ter Stegen (Barça) e Toni Kroos (Real Madrid); o holandês De Jong (Barça) e os espanhóis Saúl Ñíguez e Koke (Atlético), Oyarzabal (Real Sociedad)

6 - Brasileiros

Além dos cinco brasileiros do Real Madrid e de Philippe Coutinho, do Barcelona, já citados acima, a Liga Espanhola contará com outros 14 brasileiros. Com um total de 20 jogadores, o Brasil é o segundo país com mais estrangeiros, ao lado da Argentina, e atrás da França (22). No Barcelona, estão ainda o goleiro Neto (reserva) e o volante Matheus Fernandes, ex-Palmeiras, que voltou de empréstimo do Valladolid. No Atlético de Madri, estão o zagueiro Felipe (titular em boa parte dos jogos na última edição); o lateral Renan Lodi, que fez uma grande temporada pelo time de Simeone; além do atacante Diego Costa, naturalizado espanhol.

No Sevilla, o destaque é o lateral direito e zagueiro Diego Carlos, de 27 anos, que fez um gol de bicicleta na final da Liga Europa contra a Inter de Milão. Outro brasileiro por lá é volante Fernando, ex-Porto e Manchester City. No Bétis, estão o zagueiro Sidnei (ex-Inter) e o lateral direito Emerson (ex-Atlético-MG), chamado algumas vezes por Tite para a seleção brasileira.

Na Real Sociedad, o destaque é o centroavante Willian José, que vai para sua 8ª temporada na Espanha, a 5ª pelo clube. No Valencia, o zagueiro Gabriel Paulista, ex-Arsenal, vai para sua 4ª temporada pelo clube. Já o Alavés terá de volta o atacante Deyverson, ex-Palmeiras, enquanto o Granada contará com o atacante Kenedy (ex-Fluminense), emprestado pelo Chelsea.

7 - Os 'professores'

A grande novidade entre os treinadores no Campeonato Espanhol 2020/21 é a chegada do holandês Ronald Koeman ao Barcelona. Ex-zagueiro e ídolo do clube, Koeman chega para o lugar de Quique Setién, mandado embora do clube após o 8 x 2 na Champions. No Real Madrid, o francês Zidane segue prestigiado depois da ótima arrancada na última edição, pós-pandemia, que deu o título ao clube. No rival Atlético de Madri, o argentino Diego Simeone vai para sua 10ª temporada, buscando o título como em 2014.

No Villarreal, a novidade é volta de Unay Emery, ex-PSG e Arsenal, ao futebol espanhol. No Sevilla, o técnico Julen Lopetegui, ex-seleção espanhola e Real Madrid, é destaque após o título da Liga Europa. No Valencia, Javi García, ex-Watford, também é novidade para a temporada 2020/21. Outra cara nova é o experiente chileno Manuel Pellegrini, ex-Villarreal, Real Madrid, Machester City e West Ham, que vai dirigir o Bétis. Já Jorge Almirón, campeão argentino com o San Lorenzo em 2016, será o técnico do Elche.

8 - Hegemonia

Campeão pela 34ª vez, o Real Madrid ampliou o seu domínio de títulos na Espanha, tendo agora oito a mais do que o Barcelona, campeão 26 vezes. O Atletico de Madri, campeão pela última vez em 2014, segue com 10 conquistas. Neste século XXI, além desses três clubes, apenas o Valencia conseguiu levantar a taça, em 2002 e 2004. Desde 2001, o Barça, porém é o maior vencedor com 10 títulos (todos na era Messi), contra 7 do Real Madrid.

9 - Él Clasico

O clássico mais esperado da temporada, entre Barcelona e Real Madrid, acontecerá no primeiro turno na casa do Barça, no Camp Nou, pela 7ª rodada, no dia 25 de outubro. No returno, no Santiago Bernabéu, em Madrid, o Él Clásico será disputado no dia 11 de abril de 2021, pela 30ª rodada.

10 - Briga pelo título e vagas nos torneios europeus

Campeão e com praticamente o mesmo elenco, o Real Madrid é o grande favorito ao título. O time de Zidane deverá ter como grande adversário o rival Atlético de Madri nessa disputa. Já o Barcelona, que vem de técnico novo e um período conturbado com a quase saída de Messi, ainda é uma incógnita, mas pelo cenário atual, deverá ter um ano de reestruturação, sem brigar com tanta força pelo título como nos anteriores.

O Sevilla campeão da Liga Europa, corre por fora nessa disputa, mas é favorito a ficar com a 4ª posição como em 2019/20, garantindo uma vaga na Liga dos Campeões. Villarreal (5º) e Real Sociedad (6º), que se classificaram para a Liga Europa 2020/21, deverão brigar por esse 4º lugar no Espanhol 2020/21 e uma vaga na Champions de 2021/22, assim como o Valencia.

Transmissão

Na última temporada, os direitos de transmissão da Liga Espanhola no Brasil pertenciam ao Grupo Disney (dos canais ESPN e Fox). Para essa atual edição, nenhuma emissora ainda fechou contrato.