PUBLICIDADE
Topo

São Paulo expõe suas fraquezas em rede nacional

Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi

Dar continuidade, atualizar e incrementar o "Posse de Bola" com informações quentes e análises ao longo da semana -- com a chancela da dupla que criou o Podcast, trabalhou junta desde os primórdios no Notícias Populares, passando pela ESPN, e hoje tem um canal no Youtube.

08/03/2020 20h14

Perder uma partida fora de casa com o time reserva não pode ser considerado um vexame. Pode? Depende...

A derrota do São Paulo para o Botafogo, pior time do Paulistão, em Ribeirão Preto, da forma que aconteceu foi um desastre. Um vexame, sim. E em rede nacional.

Desta vez, com transmissão pela Globo, todo mundo viu. O jogo "escondido" da Libertadores pelo Facebook, na altitude, não repercutiu tanto por razões óbvias. Mas foi lamentável também. A semana são-paulina foi péssima.

A derrota em Ribeirão Preto coloca muita coisa em xeque no Morumbi. A comissão técnica em primeiro lugar. Fernando Diniz optou por um time cheio de improvisações. O zagueiro Diego foi lateral-direito. O volante Luan foi zagueiro. O ponta Everton foi lateral-esquerdo. Os três são bons jogadores e não renderam nada.

A preparação física e fisiológica dos jogadores também foi digna de nota. Nota negativa. A quantidade de atletas (jovens e teoricamente sadios) com câimbras, se arrastando em campo, chamou a atenção.

A falta de fome de alguns garotos também foi um destaque ruim, para quem se apóia no trabalho de Cotia como salvação para o São Paulo.

Em resumo: não sobrou nada de bom para quarta-feira, quando o São Paulo decide sua vida na Libertadores contra a LDU. Nenhum jogador, nenhum, pediu passagem e mostrou ser opção para a próxima e crucial partida.

Se o Plano A de Fernando Diniz não funcionar mais uma vez, babau. O São Paulo dele definitivamente não tem um Plano B. (Por Arnaldo Ribeiro)