PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Posse de Bola


Neymar perde, mas passa no teste (com sobras...)

Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi

Dar continuidade, atualizar e incrementar o "Posse de Bola" com informações quentes e análises ao longo da semana -- com a chancela da dupla que criou o Podcast, trabalhou junta desde os primórdios no Notícias Populares, passando pela ESPN, e hoje tem um canal no Youtube.

18/02/2020 19h25

Era a volta de Neymar ao mata-mata da Champions. Todos os olhos nele. O PSG perdeu (merecidamente) do Borussia Dortmund, e o nome do jogo não foi o brasileiro. E sim o gigante Haaland, uma máquina potentes de fazer gols.

Mas Neymar, eternamente cobrado por ausências em jogos fundamentais do time francês, desta vez passou no teste.

Além de ter marcado um gol crucial (que coloca o PSG vivo no confronto - basta o 1 x 0 na volta), jogou a partida toda, após longo período de ausência por aniversário e dores na costela. E jogou bem.

Foi literalmente o 10 do PSG, responsável pela armação das jogadas que tinham Mbappé como destino. Não foi brilhante, mas acertou passes, concluiu com perigo, chutou bola na trave, foi competitivo, lutou e se controlou. Levou cartão amarelo, mas desta vez não teve chilique. Continuou concentrado na partida até o fim.

E foi solidário, formando com Mbappé uma dupla de sintonia (dentro e fora de campo), que faz lembrar os tempos de Neymar-Ganso, Neymar-Messi. Ele está sabendo dividir o protagonismo, já desde o fim do ano passado, e isso é fundamental para seu melhor futebol fluir.

Esse Neymar é melhor que a grande maioria dos jogadores do planeta. Esse Neymar estava sumido. A chance de ganhar a Champions League em 2020, e voltar a ser um jogador temido e não odiado, está aberta.

Neymar tem o jogo da volta e mais três meses de foco total (sem Carnaval) para não desperdiça-la. (Arnaldo Ribeiro)

Posse de Bola