Pole Position

Pole Position

Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Sem chuva, Hamilton lidera último treino antes da classificação no Canadá

Lewis Hamilton, da Mercedes, foi o mais rápido na última sessão de treinos livres disputada antes da classificação para o GP do Canadá, com Max Verstappen, da Red Bull, em segundo e George Russell, também da Mercedes, em terceiro. Mas isso pode não significar muita coisa, pois é esperado que a chuva volte a dar as caras para a definição do grid de largada, que começa às 17h pelo horário de Brasília.

A sessão, disputada poucas horas antes da classificação, foi a primeira vez que os pilotos conseguiram andar com pista completamente seca no circuito Gilles Villeneuve, depois de uma sexta-feira em que até uma chuva de granizo deu as caras.

E quando os pilotos forçaram o ritmo buscando simular uma volta lançada de classificação, dois problemas recorrentes em Montreal começaram a aparecer: nas freadas e com o trânsito. Uma surpresa, inclusive, foi como a Ferrari perdia tempo nas duas primeiras curvas. Logo eles, que vinham despontando como favoritos para esta prova por lidarem melhor com as ondulações que os rivais. Leclerc terminou apenas em 10º e Sainz, em 12º.

Mas quem não andou muito de qualquer maneira foi o chinês Zhou Guanyu, que já havia batido na sexta-feira e rodou, chegando a tocar o muro, após fazer apenas quatro voltas neste sábado, provocando uma curva bandeira vermelha.

O GP do Canadá já costuma ter zebras normalmente - ano passado, Nico Hulkenberg fez o segundo melhor tempo na classificação com uma Haas - e a preparação longe da ideal para todos aumenta as chances de que isso ocorra novamente. Qualquer erro será punido durante pelo que vimos no treino livre: os 19 pilotos que terminaram a sessão ficaram divididos por 1s5.

Red Bull tem mais um GP desafiador

Até porque os líderes do mundial, a Red Bull, não estão tendo um final de semana tranquilo mais uma vez. Eles fizeram alguns testes na sexta-feira para tentarem entender sua dificuldade com as zebras, algo que parece ter piorado depois que o time colocou novas peças no carro em Imola, mas a chuva atrapalhou essa avaliação.

Também não ajudou o fato de Max Verstappen ter feito apenas quatro voltas na segunda sessão de treinos livres com um problema que a equipe suspeita ter sido no MGU-K, um dos sistemas de recuperação de energia. Verstappen usaria sua terceira unidade de potência neste fim de semana, buscando ter o máximo de potência nas retas de Montreal. Porém, com o problema, a equipe decidiu usar o motor velho e levar o novo para inspeção na fábrica.

Continua após a publicidade

Durante a terceira sessão, tanto Verstappen, quanto seu companheiro Sergio Perez, reclamaram do comportamento do carro. Mas eles não estiveram sozinhos. Pouco antes de fazer a melhor volta do treino com 25 minutos para o final da sessão, Charles Leclerc reclamou do volante estar puxando e do comportamento do carro nas frenagens, muito importantes na pista de Montreal. Alex Albon, da Williams, também reclamou dos freios, e Yuki Tsunoda, da RB, da traseira estar solta demais.

Isso é resultado da sexta-feira praticamente perdida e quer dizer que os engenheiros ainda têm trabalho pela frente nestas horas até a classificação. A partir do momento em que os carros vão para a pista pela primeira vez, eles não podem mais mexer nas configurações até o início do GP, às 15h deste domingo, pelo horário de Brasília.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes