PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

GP de Mônaco: datas, horários e tudo sobre a 7ª etapa da F1 em 2022

Em 2019, o GP de Mônaco ficou marcado por uma dura batalha entre Lewis Hamilton e Max Verstappen - David Davies/PA Images via Getty Images
Em 2019, o GP de Mônaco ficou marcado por uma dura batalha entre Lewis Hamilton e Max Verstappen Imagem: David Davies/PA Images via Getty Images
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

26/05/2022 04h00

Com o campeonato mudando de mãos, agora com Max Verstappen e a Red Bull na ponta, a Fórmula 1 vai para Mônaco para a sétima etapa do campeonato. Nos últimos anos, o carro do holandês e a Ferrari de Charles Leclerc se mostraram bastante competitivos em um circuito que é único no calendário. Mas e com as novas regras, quem vai se dar melhor?

A Ferrari começou melhor em curvas de baixa velocidade, mas a Red Bull cresceu neste sentido nas últimas provas. Ano passado, Charles Leclerc fez a pole position após cravar o melhor tempo provisório e bater na última tentativa, encerrando a sessão. Vindo atrás, seu companheiro Carlos Sainz, Verstappen e Lando Norris da McLaren também eram muito rápidos, então é difícil saber quem ficaria com a pole.

No domingo, o azar de Leclerc, que nunca terminou uma corrida em casa, apareceu novamente: a Ferrari não percebeu que o lado esquerdo do carro também estava danificado, não apenas o direito, que sofreu o impacto, e ele sequer largou. Segundo no grid, Verstappen venceu, com Sainz em segundo e Norris em terceiro.

Neste ano, apesar da melhora apresentada na última corrida, na Espanha, a Mercedes não espera que o rendimento se repita em Mônaco. Com um carro mais longo, eles sempre sofreram mais no estreito circuito de rua, e não têm grandes esperanças para a prova deste domingo.

Como acompanhar o GP de Mônaco:

Sexta-feira, 27 de maio
Treino livre 1 - 9h (transmissão começa às 8h50 no BandSports)
Treino livre 2 - 12h (transmissão começa às 11h50 no BandSports)

Sábado, 28 de maio
Treino livre 3 - 8h (transmissão começa às 7h50 no BandSports)
Classificação - 11h (transmissão começa às 10h30 na TV Bandeirantes e BandSports)

Domingo, 29 de maio
GP de Mônaco - 10h (transmissão começa às 9h30 na TV Bandeirantes)

Circuito de Mônaco

Distância: 3.337km
Número de voltas: 78

DRS - 1 zona
Detecção: antes da Rascasse
Ativação: reta principal

Pneus disponíveis: C3 (duros), C4 (médios) e C5 (macios)

Resultado em 2021

Pole position: Charles Leclerc (MON/Ferrari) - 1min10s346

Pódio:
1º Max Verstappen (HOL/Red Bull) - 1h38min56s820
2º Carlos Sainz (ESP/Ferrari) +8s968
3º Lando Norris (ING/McLaren) + 19s427

Características da pista de Monte Carlo

Muitas vezes alguns carros surpreendem em Mônaco, tendo um rendimento melhor do que em circuitos permanentes. Isso porque todos estarão usando as cargas máximas de aerodinâmica, ou seja, suas maiores asas, e o que conta mais é a aderência mecânica e a tração nas saídas das curvas, especialmente após a Ste Devote no começo da volta e antes do túnel.

Além das asas de alto downforce, os carros em Mônaco também ganham suspensões diferentes, um pouco mais macias, para permitir que os pilotos usem toda a pista e, ocasionalmente, toquem o guard rail sem sofrerem quebras. E também para aumentar o ângulo a fim de que os carros possam virar no hairpin da antiga Lowes (hoje Grand Hotel hairpin). Porém, neste ano, as suspensões são muito menos maleáveis do que até 2021 por força do regulamento, então os pilotos terão de ser mais cuidadosos.

Outro fator importante é o aquecimento de pneus, que acaba sendo muito decisivo pela dificuldade de se ultrapassar no circuito. Não é incomum que a melhor volta venha no segundo giro rápido com o mesmo pneu, já que as curvas são lentas, então menos energia é colocada na borracha.

Os carros da F1 aumentaram muito de tamanho nos últimos 30 anos e este é um dos fatores que fazem com que ultrapassar em Mônaco seja uma tarefa difícil. A largura máxima da pista não passa de 12m, e os carros atuais têm 2m de largura. Para se ter uma ideia da dificuldade, em 2021, o GP de Mônaco teve apenas uma ultrapassagem, na primeira volta, de Mick Schumacher em cima de Nikita Mazepin.

Curiosidades sobre o GP de Mônaco

senna - Pascal J Le Segretain/Sygma via Getty Images - Pascal J Le Segretain/Sygma via Getty Images
Ayrton Senna e Nigel Mansell no pódio do GP de Mônaco de 1992
Imagem: Pascal J Le Segretain/Sygma via Getty Images

Um dos circuitos em que é mais difícil ultrapassar, o GP de Mônaco sempre privilegiou os pilotos que conseguem boas classificações: nas 67 edições da prova contando para o campeonato da F1, o vencedor saiu das três primeiras posições do grid em 57, sendo que a única vez que isso não aconteceu de 1985 para cá foi no GP de 1996, disputado sob muita chuva e que foi vencido de forma surpreendente por Olivier Panis, 14º no grid.

Dois pilotos já tiveram acidentes na área do porto e caíram no mar mediterrâneo: Alberto Ascari em 1955 e Paul Hawkins em 1965. Ambos sobreviveram a seus acidentes em Mônaco, mas morreram em consequência de outras batidas: o bicampeão da F1 Ascari faleceu quatro dias depois, em um teste, e o australiano Hawkins perdeu a vida quatro anos depois da batida no porto. E mais uma coincidência: os dois morreram em um dia 26 de maio.

Ayrton Senna ainda é o maior vencedor do GP de Mônaco, com seis vitórias. Do atual grid, Lewis Hamilton ganhou três vezes, Sebastian Vettel e Fernando Alonso, duas; e Max Verstappen e Daniel Ricciardo uma cada.