PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Em 18º GP de Mônaco, Raikkonen dá dica para novatos: "Não destrua o carro"

Kimi Raikkonen fez a pole em Mônaco pela Ferrari em 2017 - Ferrari/Divulgação
Kimi Raikkonen fez a pole em Mônaco pela Ferrari em 2017 Imagem: Ferrari/Divulgação
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

20/05/2021 04h00

Indo para seu 18º GP de Mônaco da carreira, Kimi Raikkonen tinha na ponta da língua o conselho para os quatro estreantes da Fórmula 1 na corrida do Principado, que será disputada neste fim de semana: "fique na pista e não destrua seu carro". A instrução do piloto com mais largadas na história da categoria já começa a valer nos treinos livres, que em Mônaco são disputados tradicionalmente na quinta-feira.

"Acho que a parte importante é ficar na pista. Usar bem o tempo dos treinos livres e não destruir o carro - porque depois que você faz isso e perde a sequência de voltas, você acaba nunca conseguindo se recuperar. Então, é só fazer volta após volta e tentar seguir a pista - porque ela continua melhorando. Dê muita margem nas sessões de treinos livres, só vá dando voltas e aprendendo."

O conselho de Raikkonen faz todo o sentido, ainda mais neste ano, em que os dois primeiros treinos livres têm meia hora a menos cada. A abordagem que costuma funcionar em Mônaco é ficar bem longe do muro no começo, ir entendendo a melhora do asfalto, que é muito grande, já que o emborrachamento dos pneus de corrida é bem diferente daquele provocado pelos carros de rua. Quanto mais emborrachada estiver a pista, mais aderência o piloto vai sentindo, o que facilita para encontrar o limite sem, também, encontrar o muro.

Mick Schumacher - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Mick Schumacher, da Haas, conhece o circuito de Mônaco pela F2, mas correrá pela 1ª vez em Monte Carlo pela F1
Imagem: Reprodução/Instagram

O conselho de Raikkonen é particularmente valioso para os estreantes da F1 em Mônaco: Mick Schumacher e Nikita Mazepin, da Haas, e Nicholas Latifi, da Williams, que está na sua segunda temporada da F1, mas nunca correu em Mônaco na categoria porque a prova de 2020 foi cancelada, pelo menos têm a experiência de terem competido no Principado na Fórmula 2. Mas Yuki Tsunoda, da AlphaTauri, terá seu primeiro contato com o circuito de rua.

Não que a dificuldade de ler a pista afete apenas os mais novos. Raikkonen, que fez quatro pódios, venceu em Mônaco em 2005 e fez a pole em 2017, com a Ferrari, disse que "todos os trechos" são difíceis. "A margem é muito pequena se você comete um erro".

As equipes estão preparadas para isso. A reportagem observou nos boxes em Mônaco um número maior do que o normal de asas dianteiras reservas. Equipes que levam geralmente cinco peças estão com seis no Principado, e as equipes treinaram exaustivamente paradas com trocas de bico na quarta-feira. Curiosamente, a Haas, dos estreantes Schumacher e Mazepin, só tinha quatro asas dianteiras na frente de seus boxes.

A programação do GP de Mônaco acaba gerando uma outra dificuldade: os treinos livres são disputados na quinta-feira, algo que começou devido a um feriado religioso, mas que depois virou norma para que a sexta-feira tenha eventos extra pista em que as equipes e suas parcerias impressionem. Isso também significa que o tráfego normal de carros seja liberado, o que prejudica o emborrachamento do asfalto. Então, quando os pilotos voltarem aos carros no sábado de manhã, na última sessão de treinos livres antes da classificação, vão ter de encontrar novamente os limites antes de uma das definições de grid de largada mais importantes do ano, devido à dificuldade de se ultrapassar no Principado.

A classificação, no sábado (22), começa às 10h (horário de Brasília), mesmo horário da corrida, no domingo.