PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

GP da Emilia Romagna de F1: datas, horários e tudo sobre a corrida de Imola

Valtteri Bottas, da Mercedes, durante o GP da Emilia Romagna, em Imola - Luca Bruno/Pool/Getty Images
Valtteri Bottas, da Mercedes, durante o GP da Emilia Romagna, em Imola Imagem: Luca Bruno/Pool/Getty Images
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

15/04/2021 04h00

Na mesma pista em que a Mercedes se tornou heptacampeã da Fórmula 1 em novembro do ano passado, desta vez é a Red Bull quem chega como favorita. O time de Max Verstappen e Sergio Perez não levou a primeira etapa, no Bahrein, graças a uma ótima atuação da rival e de Lewis Hamilton, mas tem motivos para acreditar que terá o conjunto mais forte em Imola para o GP da Emilia Romagna.

Ano passado, quando a Red Bull não era tão forte quanto a Mercedes, Max Verstappen se colocou entre os carros alemães na largada e deu trabalho durante a corrida. Lewis Hamilton largou em segundo, caiu para terceiro, mas conseguiu pular para a ponta mantendo um bom ritmo depois que seus rivais diretos trocaram de pneu e, quando fez seu pitstop, voltou na frente. Verstappen passou o pole position Valtteri Bottas e vinha diminuindo a diferença para Hamilton quando teve um pneu furado e abandonou a prova, abrindo espaço no pódio para Daniel Ricciardo.

verstappen - Reprodução/@F1 - Reprodução/@F1
Max Verstappen, da Red Bull, abandona GP da Emilia Romagna na volta 51
Imagem: Reprodução/@F1

Foi, inclusive, o segundo pódio seguido do australiano que, na Itália, não se esqueceu de seu tradicional shoey, e inclusive foi acompanhado por Hamilton na comemoração: os dois beberam o champanhe usando a sapatilha de Ricciardo como ?taça?.

Neste ano, a Renault se tornou Alpine, e é uma das equipes que levará atualizações no carro para a prova italiana.

Como acompanhar o GP da Emilia Romagna:

Sexta-feira, 16 de abril

Treino livre 1, das 6h às 7h: BandSports

Treino livre 2, das 9h30 às 10h30: BandSports

Sábado, 17 de abril

Treino livre 3, das 6h às 7h: BandSports

Classificação, das 9h às 10h: TV Bandeirantes (para algumas praças) e BandSports

Domingo, 18 de abril

Corrida, a partir das 10h: TV Bandeirantes e BandNewsFM

Raio-X do circuito de Imola

Distância: 4909m

Número de voltas: 63

Recorde geral: 1min13s609 (Valtteri Bottas, Mercedes, 2020)

Recorde em corrida: 1min15s484 (Lewis Hamilton, Mercedes, 2020)

DRS - 1 zona

Detecção antes da curva 16 e ativação antes da curva 19

Pneus disponíveis: C2 (duros), C3 (médios) e C4 (macios)

Características da pista de Imola

Por ser uma pista estreita e cercada por áreas de escape com brita, Imola testa a precisão dos pilotos e é bastante técnica. Por outro lado, a pouca largura faz com que a classificação seja importante, já que as ultrapassagens são difíceis. No entanto, a zona de DRS será aumentada em relação ao ano passado para tentar remediar isso.

racing - Joe Portlock/Getty Images - Joe Portlock/Getty Images
Sergio Perez, então na Racing Point, sai da pista durante GP em 2020
Imagem: Joe Portlock/Getty Images

Em termos de acerto do carro, não é das pistas mais fáceis, já o início da da volta, da última curva até a chicane da Tamburello, é feito de pé embaixo, mas também há trechos mais travados. É uma pista bastante variada, com curvas travadas, de média e de alta velocidade. A curva mais veloz é a Piratella, tomada em sexta marcha, a 220kmh.

O MGU-K, que recupera energia nas freadas, trabalha praticamente o tempo todo ao longo de uma volta em Imola, ou recuperando energia, ou alimentando a unidade de potência. A única pista em que seu trabalho é mais intenso é em Monza.

Curiosidades sobre o GP da Emilia Romagna

As duas únicas vezes que o GP da F1 em Imola foi vencido por um piloto que não largou nas duas primeiras filas tiveram o brasileiro Nelson Piquet como vencedor. Ele largou em quinto tanto em 1980, quanto em 1981 que foram, inclusive, as duas primeiras corridas oficiais da F1 disputadas no circuito italiano.

Falando em Piquet, foi em Imola que ele teve um dos piores acidentes de sua carreira, em 1987, na curva Tamburello. Uma das frases célebres do tricampeão é justamente sobre essa batida: "O automobilismo acabou para mim depois daquele acidente. A partir dali, só corri por dinheiro." Dois anos depois, Gerhard Berger também teve uma batida grave, vendo sua Ferrari pegar fogo, também na Tamburello, onde, em 1994, Ayrton Senna teria seu acidente fatal. A curva, antes de alta velocidade, hoje é uma chicane e uma das freadas fortes do circuito.

Mas a corrida não ficou apenas marcada por acidentes. Em 2005, o então jovem Fernando Alonso segurou Michael Schumacher para vencer o GP de San Marino. Foi uma batalha feroz com toques de jogo de xadrez, em que o já heptacampeão fez de tudo para Alonso errar, enquanto o espanhol parecia duplicar a largura de sua Renault para evitar a ultrapassagem. Alonso e Kimi Raikkonen são os únicos remanescentes de quando a pista de Imola fazia parte do calendário regular.