PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

Bottas supera Hamilton e é pole position no GP de Imola; 4ª vez no ano

Fotos do GP da Emilia Romagna (Imola) de F1

Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

31/10/2020 11h01

Vallteri Bottas, da Mercedes, conquistou a pole position ao fechar em primeiro lugar o treino classificatório para o GP da Emilia Romagna, em Imola, na Itália, hoje (31) de manhã. Essa é a quarta vez na temporada em que o finlandês conquista a pole na temporada 2020 da Fórmula 1, sendo as outras três nos GPs da Áustria, Silverstone e Eifel.

Com isso, Bottas terá a chance de vencer o GP de Imola e diminuir a diferença de seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, que lidera a competição com 256 pontos, 77 pontos na frente do segundo colocado. O piloto comemorou a pole em entrevista logo depois:

Adorei essa pista, é bonita, sabia que tinha que melhorar na última volta e conseguimos o objetivo. Tive um pouco de dificuldade com a estabilidade do carro, mas tínhamos que tentar, arrisquei e atingimos. Será divertido amanhã, será interessante, é uma das maiores distâncias entre largada e primeira curva, é uma boa posição para largar, esperamos um bom desempenho. O jogo está aberto".

Vale destacar que com a liderança do treino de hoje, Bottas mudou o que normalmente acontece, já que o finlandês costuma ser melhor nos treinos livres mas é superado pelo seu companheiro de equipe na classificação.

Com isso, a Mercedes foi pole em todos os circuitos desta temporada, sendo nove vezes com Hamilton e nas outras quatro com Bottas.

A Mercedes pode conquistar o mundial de construtores pela sétima vez seguida neste domingo, o que seria um recorde. Para isso, precisam sair de Imola com pelo menos 176 pontos de vantagem para a Red Bull. No momento, eles têm 209, ou seja, serão campeões caso a rival não consiga marcar 33 pontos a mais que Hamilton e Bottas.

O GP da Emilia Romagna, que é o terceiro disputado na Itália neste ano, está servindo de teste para que as provas da Fórmula 1 tenham um dia a menos de atividades. Os pilotos só tiveram 1h30 de preparação na pista antes da definição do grid de largada.

O destaque do treino ficou por conta de dois jovens pilotos. Isso porque Max Verstappen, da Red Bull, conseguiu superar alguns problemas técnicos no carro e ficou na terceira colocação, atrás apenas da dupla da Mercedes, enquanto Pierre Gasly, da AlphaTauri, manteve o embalo forte do treino livre e garantiu a quarta colocação.

A corrida é amanhã (1) a partir de 9h10.

Grid de classificação do GP da Emilia Romagna, em Imola:

1 - Valtteri Bottas/FIN - Mercedes - 1min13s609
2 - Lewis Hamilton/ING - Mercedes - + 0.097
3 - Max Verstappen/HOL - Red Bull - +0.567
4 - Pierre Gasly/FRA - AlphaTauri - + 0.893
5 - Daniel Ricciardo/AUS - Renault - + 0.911
6 - Alexander Albon/TAI - Red Bull - + 0.963
7 - Charles Leclerc/MON - Ferrari - + 1.007
8 - Daniil Kvyat/RUS - AlphaTauri - +1.087
9 - Lando Norris/ING - McLaren - +1.205
10 - Carlos Sainz Jr/ESP - McLaren - + 1.302

Q1

A dificuldade em seguir os limites de pista marcou a sessão desde o início. A FIA instalou sensores nas saídas das curvas 9 e 15 e estava policiando também a Acque Minerale (curva 13), por identificar que, ali, os pilotos podiam colocar as quatro rodas fora da linha branca que delimita a pista e ganhar tempo. Assim, quando os pilotos passavam dos limites nestas curvas, tinham suas voltas deletadas imediamente.

Foi por conta disso que Valtteri Bottas estava fora da zona de classificados para a segunda parte do treino com 7 minutos para o final do Q1, mesma situação vivida por Alex Albon, da Red Bull. Os dois tiveram voltas deletadas, mas conseguiram se recuperar. Bottas, inclusive, acabou fazendo o melhor tempo do Q1, depois de ter levado meio segundo de Hamilton no único treino livre realizado em Imola.

Outro que teve voltas deletadas, por duas vezes, foi Kimi Raikkonen, único remanescente do último GP em Imola, em 2006. O finlandês não gostou muito da decisão. "Eu só passei em cima da zebra", argumentou. Ele foi eliminado no Q1, em 18º, juntamente dos dois pilotos da Haas (Romain Grosjean ficou em 16º e Kevin Magnussen, em 17º), Nicholas Latifi, da Williams, em 19º, e Antonio Giovinazzi, único italiano no grid e confirmado na Alfa Romeo em 2021, vai largar em último.

Eliminados no Q1

16 - Romain Grosjean/FRA - Haas - 1min15s918
17 - Kevin Magnussen/DIN - Haas - 1min15s939
18 - Kimi Raikkonen/FIN - Alfa Romeo - 1min15s953
19 - Nicholas Latifi/CAN - Williams - 1min15s987
20 - Antonio Giovinazzi/ITA - Alfa Romeo - 1min16s208

Q2

Foi quando a sessão começou a se complicar para a Red Bull: logo que foi à pista para o Q2, Max Verstappen reclamou de falta de potência no motor Honda. "Não sei o que está acontecendo. Não está funcionando!". O holandês logo foi chamado aos boxes e a equipe começou a trabalhar na traseira do carro tentando resolver o problema a tempo, com 10 minutos para o fim da sessão. E Alex Albon rodou na sua primeira tentativa de duas voltas lançadas, após ter ficado com a 11ª marca na primeira volta.

As Red Bull tinham ido à pista com os pneus médios, assim como as duas Mercedes, que fizeram as duas primeiras marcas com facilidade, com Bottas novamente superando Hamilton, e as duas Ferrari, com resultados diferentes: Vettel deu uma escapada e foi só o 14º, e Leclerc se colocou em décimo, correndo risco de eliminação. O composto usado nesta fase da classificação é fundamental para a corrida porque os pilotos que largarem no top 10 têm vão sair com o pneu com que fizerem a melhor volta justamente no Q2.

As Ferrari foram obrigadas a mudar a estratégia e fazer a segunda tentativa com os macios, o que colocou Leclerc provisoriamente em quarto, mas não foi suficiente para Vettel ficar entre os 10 primeiros. No finalzinho do treino, a Red Bull conseguiu arrumar o carro de Verstappen que, com os médios, conseguiu passar para o Q3. Albon também passou no final, mas tendo de usar os macios e abandonando a melhor estratégia.

No final, as Racing Point decepcionaram, com ambos os pilotos eliminados no Q2: Sergio Perez ficou em 11º por apenas 10 milésimos, enquanto Lance Stroll errou na última tentativa e vai largar em 15º, atrás inclusive da Williams de Russell, 13º no grid. Vettel vai sair em 14º e Esteban Ocon, da Renault, se classificou em 12º, o que não deixa de ser uma decepção depois do ótimo treino livre da Renault e da quinta posição de seu companheiro Ricciardo nesta segunda parte do classificatório.

Já o jovem piloto Russel destacou a qualidade da pista: "a volta foi ótima. Precisamos de mais pistas como essa. Isso foi sensacional".

Eliminados no Q2

11 - Sergio Pérez/MEX - Racing Point - 1min15s061
12 - Esteban Ocon/FRA - Renault - 1min15s201
13 - George Russell/ING - Williams - 1min15s323
14 - Sebastian Vettel/ALE - Ferrari - 1min15s385
15 - Lance Stroll/CAN - Racing Point - 1min15s494

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.