PUBLICIDADE
Topo

Lewis Hamilton supera companheiro Bottas e garante pole do GP da Toscana

Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

12/09/2020 11h00

Após liderar o último treino livre em Mugello, Valtteri Bottas foi superado pelo companheiro Lewis Hamilton, que conquistou a pole position do Grande Prêmio da Toscana de Fórmula 1. O britânico da Mercedes cresceu nas duas últimas etapas da classificação deste sábado (12) e realizou o melhor tempo do final de semana: 1min15s144.

"Está sendo um final de semana bem difícil. Esse circuito é fenomenal, bem desafiador. O Valtteri foi mais rápido do que eu nos últimos dias e trabalhamos muito para melhorar o meu traçado. Meus engenheiros fizeram um grande acerto, o vento atrapalhou um pouco no final, mas fizemos um bom trabalho", declarou Hamilton.

Na etapa final da classificação, Bottas precisou tirar o pé no primeiro setor do circuito, porque Esteban Ocon, da Renault, rodou na pista e a bandeira amarela subiu. Por esse motivo, o piloto da Mercedes não teve a chance de melhorar o tempo e Hamilton se garantiu com a marca que cravou na primeira tentativa.

"Esperava ser melhor nessa segunda tentativa, mas não consegui. Foi decepcionante. Tenho boas chances de ultrapassagem amanhã. A pista é mais larga do que esperávamos, então é possível ameaçar o Hamilton na largada até a curva 1", falou Bottas.

O tempo da pole position também é o novo recorde da pista de Mugello, mais de três segundos mais veloz que a marca anterior, que tinha sido obtida por Rubens Barrichello em um teste com a Ferrari em 2004. A F1 tinha feito um teste coletivo em 2012 na pista italiana, mas esta é a primeira vez que Mugello recebe uma corrida da categoria.

Mesmo após o sétimo lugar em Monza, no último final de semana, Lewis Hamilton tem ampla vantagem no campeonato: 47 pontos a mais que o companheiro de Mercedes, Valtteri Bottas.

O GP da Toscana marca o fim de uma maratona sem precedentes nos 70 anos de história da Fórmula 1, com nove GPs em 11 finais de semana. A largada será amanhã (13), às 10h10 (de Brasília). É possível acompanhar na TV Globo, com narração de Everaldo Marques, e BandNewsFM. Ambas as transmissões começam às 9h30.

Q1

A grande surpresa depois das primeiras tentativas no Q1 era ver Pierre Gasly, vencedor da corrida do último domingo, a 16 milésimos de conseguir se manter na sessão. Não que o francês estivesse andando mal em Mugello: no terceiro treino livre, ele fora quinto colocado. Mas, na classificação, o carro estava saindo muito de frente e ele não conseguiu imprimir o mesmo ritmo.

Nas voltas decisivas, o francês até conseguiu melhorar, mas não foi o suficiente para escapar da eliminação, o que significa que Gasly vai largar em 16º. Quem tirou o piloto da AlphaTauri do Q2 foi Sebastian Vettel, que por cinco centésimos conseguiu evitar que a Ferrari fosse eliminada no início da classificação nas comemorações para seu GP número mil na Fórmula 1.

Outro que conseguiu se salvar no final foi Romain Grosjean, da Haas, enquanto seu companheiro Kevin Magnussen foi eliminado e vai largar em último, atrás das duas Williams: George Russel vai sair da 18ª colocação depois de ter dado uma escapada na última volta, e Nicholas Latifi sai em 19º.

No aniversário de 20 anos de seu primeiro teste com a Fórmula 1, justamente no circuito de Mugello, com a Sauber, Kimi Raikkonen conseguiu se salvar da eliminação no Q1, ao contrário do companheiro Antonio Giovinazzi, que sai em 17º.

Q2

Na sessão em que os pilotos que avançarem para o Q3 escolhem com qual composto de pneu vão largar, ninguém arriscou usar o pneu médio para começar uma prova que deve ter duas paradas no domingo. Pela primeira vez, Lewis Hamilton bateu Valtteri Bottas no final de semana, na primeira tentativa do Q2, ainda que a diferença tenha sido mínima entre os dois: 13 milésimos.

Com base no desempenho que tinham tido nos treinos livres, Vettel, Raikkonen e Grosjean teriam muita dificuldade em passar para o Q3, o que deixava a briga pelas últimas posições do top 10 entre as duas McLaren e a AlphaTauri de Daniil Kvyat. A surpresa foi a Renault, que não tinha ido tão bem até então, mas conseguiu entrar até com tranquilidade no Q3 com ambos os carros.

Max Verstappen ficou irritado com Lance Stroll depois que teve de desviar da Racing Point dentro do pitlane, mas o episódio nem chegou a ser investigado:

As duas Mercedes e as duas Red Bull sequer foram à pista para as segundas tentativas, enquanto a briga era forte entre os pilotos da McLaren. Pior para Lando Norris, que ficou de fora do top 10 no grid pela primeira vez na temporada. Ele vai largar em 11º. Kvyat acabou escapando em sua última tentativa e sai em 12º. Raikkonen conseguiu se classificar à frente da Ferrari de Vettel, em 13º, com o alemão ficando com o 14º lugar e Grosjean, com o 15º.

Q3

Na última etapa da classificação, os parceiros de Mercedes, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, lutaram entre si para conquistar o melhor tempo deste final de semana. O britânico foi o primeiro a fazer uma boa volta e marcou 1min15s144. Já o finlandês ficou atrás com 0s059 de desvantagem.

Esteban Ocon rodou na pista durante os minutos finais do Q3 e a bandeira amarela foi levantada. Com isso, Bottas precisou tirar o pé de sua Mercedes no primeiro setor do circuito e não teve a chance de melhorar seu tempo. Enquanto isso, Hamilton acabou se garantindo com o tempo que fez na primeira tentativa.

Confira o grid de largada para o GP da Toscana:

1º Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - 1min15s144
2º Valtteri Bottas (FIN/Mercedes) - 1min15s203
3º Max Verstappen (HOL/Red Bull) - 1min15s509
4º Alex Albon - (TAI/Red Bull) - 1min15s954
5º Charles Leclerc (MON/Ferrari) - 1min16s270
6º Sergio Perez (MEX/Racing Point) - 1min16s311
7º Lance Stroll - (CAN/Racing Point) - 1min16s356
8º Daniel Ricciardo (AUS/Renault) - 1min16s543
9º Carlos Sainz (ESP/McLaren) - 1min17s870
10º Esteban Ocon (FRA/Renault) - sem tempo

Eliminados no Q2
11º Lando Norris (ING/McLaren) - 1min16s640
12º Daniil Kvyat (RUS/AlphaTauri) - 1min16s854
13º Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo) - 1min16s854
14º Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - 1min16s858
15º Romain Grosjean (FRA/Haas) - 1min17s254

Eliminados no Q1
16º Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri) - 1min17s125
17º Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo) - 1min17s220
18º George Russell (ING/Williams) - 1min17s232
19º Nicholas Latifi (CAN/Williams) - 1min17s320
20º Kevin Magnussen (DIN/Haas) - 1min17s348

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.