PUBLICIDADE
Topo

Surpreso por 3º lugar, Hulkenberg tem grande chance de acabar com sina

Nico Hulkenberg comemora terceiro lugar no grid do GP dos 70 Anos da F1 - Divulgação/Racing Point
Nico Hulkenberg comemora terceiro lugar no grid do GP dos 70 Anos da F1 Imagem: Divulgação/Racing Point
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

08/08/2020 12h47

Nico Hulkenberg roubou a cena na classificação para o GP dos 70 Anos da Fórmula 1, ao colocar a Racing Point em terceiro lugar no grid na corrida que tem largada às 10h10 da manhã deste domingo. No que provavelmente será a última prova em que ele vai substituir Sergio Perez, infectado por coronavírus, essa pode ser sua grande chance de conquistar o primeiro pódio da carreira.

Se isso acontecer, ele se tornaria o piloto que mais demorou para conquistar um pódio na história da Fórmula 1, e por muito: O GP dos 70 Anos será a 178ª largada de Hulkenberg na categoria e o piloto que mais demorou para conquistar um pódio até hoje foi Carlos Sainz, que foi terceiro no GP do Brasil de 2019 após 101 GPs.

Isso, se ele conseguir largar. Marcado por azares toda vez que tem a possibilidade de pódio, Hulkenberg sequer conseguiu alinhar no grid na semana passada, na primeira prova em que correu substituindo Perez. O motivo foi bastante inusitado: um parafuso se quebrou dentro do sistema de embreagem e a equipe não conseguia ligar seu motor.

Isso também significa que ele vai para a corrida do domingo tendo disputado seu último GP no final do ano passado, em Abu Dhabi, quando corria pela Renault.

"Vou fazer o que puder. Vou tentar aprender rápido e manter o carro onde ele merece estar", disse o alemão. De fato, a Racing Point vem rendendo melhor neste final de semana, com os compostos de pneus mais macios em comparação com o GP do domingo passado, também realizado em Silverstone, e a chance de pódio é real, ainda que ele tenha uma briga forte nas mãos especialmente com Max Verstappen, da Red Bull, que larga em quarto.

"Têm sido dias malucos desde que me chamaram para correr na semana passada. Obviamente, começou muito bem e depois tive uma grande decepção no domingo, então foram dias bem extremos. Nesta semana, as coisas fluíram de maneira mais normal e estou mais acostumado com o carro. Quase dificultei minha vida dando uma escapada e danificando um pouco o carro no Q2, mas depois forcei o máximo que podia. Mesmo assim, estou um pouco surpreso com o terceiro lugar. Definitivamente vai doer amanhã, por não ter feito a corrida na semana passada, não ter feito a largada, esse tipo de coisa. Porque é tudo novo para mim com este carro. Ainda não é a hora de comemorar. Domingo é o grande dia."

Mesmo sem ter feito uma corrida sequer, Hulkenberg já tem chamado a atenção em seu retorno, e revelou na quinta-feira que foi sondado por algumas equipes. Após a classificação, ele ganhou o apoio de Max Verstappen. "Nico merece um lugar no grid. Há alguns pilotos no grid que não são tão bons quanto ele", disse o holandês.

Se Hulkenberg conquistar o pódio, seria a primeira vez que o time que já foi Jordan e Force India, ficaria entre os três primeiros. O time mudou de nome no início de 2019 e vem causando muita controvérsia devido à semelhança com o carro da Mercedes, tendo ganhado o apelido de Mercedes rosa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.