PUBLICIDADE
Topo

Perez volta a testar positivo para coronavírus e Hulkenberg é confirmado

Nico Hulkenberg no cockpit da Racing Point durante treino livre em Silverstone - Reprodução
Nico Hulkenberg no cockpit da Racing Point durante treino livre em Silverstone Imagem: Reprodução
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

07/08/2020 04h56

Nico Hulkenberg terá mais uma chance de disputar uma corrida de Fórmula 1 em 2020 neste final de semana. O alemão foi chamado às pressas para substituir Sergio Perez na corrida do domingo passado, o GP da Grã-Bretanha, mas seu carro nem conseguiu ser ligado devido a um parafuso quebrado e ele nem chegou a ir ao grid. Mas como Perez segue infectado com coronavírus, ele novamente será companheiro de Lance Stroll no GP dos 70 Anos, que também será disputado em Silverstone.

A confirmação de Hulkenberg só ocorreu depois que Perez fez mais um teste de coronavírus nesta quinta-feira. Isso porque ele estava tecnicamente liberado de acordo com as determinações das autoridades sanitárias britânicas, que determinavam até a semana passada que pessoas infectadas deveriam ficar em isolamento por sete dias, prazo cumprido pelo piloto. Mas, com o resultado positivo de seu teste, ele permanece impedido de entrar no paddock da F1. O resultado foi confirmado duas horas antes do início do primeiro treino livre.

Para Hulkenberg, será não só uma chance de realmente voltar a disputar uma corrida na Fórmula 1, como também de mostrar serviço para, quem sabe, voltar ao grid em definitivo em 2021, já que o alemão tem aproveitado a oportunidade para sondar suas possibilidades. "Estive em contato com várias pessoas da F1, chefes de equipe, porque é claro que todos nos conhecemos. Tive algumas conversas casuais, e algumas sobre o futuro. Definitivamente há discussões, mas nada concreto ainda. Acho que é uma questão de semanas para que tenha algo mais firme."

Sobre a possibilidade de impressionar e abrir portas neste final de semana, Hulkenberg disse saber que, na F1, ninguém se fia apenas na performance de uma corrida para avaliar um piloto. "Só quero ser um bom substituto, ajudar a equipe ao máximo e contribuir para o final de semana deles. O resto será resolvido depois. É algo em separado."

As melhores oportunidades para Hulkenberg no grid da F1 ano que vem seriam na Alfa Romeo, uma vez que Kimi Raikkonen parece caminhar para a aposentadoria, ou na Haas, cujo chefe Guenther Steiner já deixou claro que busca um piloto experiente e que possa trazer algum tipo de patrocínio para o time.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.