PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Pole Position


Kimi e Hamilton não acreditam que idade será problema para Alonso em volta

Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

09/07/2020 14h20

Os pilotos da Fórmula 1 se empolgaram em ter Fernando Alonso de volta ao grid da categoria em 2021, e acreditam que ele chegará bem preparado fisicamente apesar dos 39 anos de idade. Seu novo companheiro, Esteban Ocon, que já tinha dito semana passada que queria ver o espanhol de volta à Renault, disse que é "fantástico" ter o bicampeão de volta.

"Para mim, é a chance de aprender algo de novo. Ele pode trazer muito para a equipe em termos de desenvolvimento. Conversei com ele e senti que ele está com muita vontade de voltar. Falamos sobre a evolução da equipe e as boas expectativas para o futuro."

Quando o francês fala em futuro, refere-se às chances da Renault dar um salto de qualidade aproveitando o teto orçamentário, que entra em vigor em 2021, e o novo regulamento, de 2022, o que demonstra que Alonso não está pensando em voltar apenas por uma temporada, como ele próprio indicou na primeira entrevista que deu após a confirmação de seu retorno. "Com as novas regras, acredito que o piloto vai fazer mais diferença e a igualdade entre as equipes será maior do que a que existe atualmente. Estamos de volta e vamos para cima."

A contratação de Alonso, no entanto, gerou algumas críticas em relação à preferência por um piloto de mais idade em detrimento de jovens, até porque a Renault tem uma academia de jovens talentos. No entanto, nenhum dos pilotos que formam a equipe francesa tem a superlicença, que é necessária para dar o passo à F1. Portanto, até mesmo um dos jovens promissores que buscam uma vaga melhor na categoria, George Russell, disse entender a situação. "Fiquei bem feliz com a volta dele porque a F1 tem que ter os melhores pilotos. Há a discussão se ele tira a vaga de um piloto jovem, mas isso faz sentido para a Renault no momento e tenho certeza de que ele vai se dar bem."

Já Daniel Ricciardo, que está trocando a Renault pela McLaren no final deste ano, apoiou o retorno do espanhol por outro motivo. " É legar ter pilotos jovens, mas eles fazem com que eu me sinta velho, então é bom ter um piloto mais velho que eu no grid!", brincou o australiano, que respondeu com um simples não quando foi questionado se deixaria Alonso pilotar seu carro em alguma das sessões de treinos livres durante este ano.

Rivais não acreditam que a idade vá atrapalhar

Quando Alonso voltar, ele possivelmente será o piloto mais velho do grid, uma vez que o contrato de Kimi Raikkonen expira no final e ele ainda não definiu se continua ou não na categoria. Mas, se resolver não renovar, não será por questões físicas. O finlandês completa 41 anos em outubro e disse que ainda não sente "que as coisas estão acontecendo rápido demais".

"Não é como quando eu tinha 20 anos, mas o esporte mudou. Na verdade, não é necessário treinar tanto. E você entende melhor do que funciona para você em termos de preparação e o que na verdade não funciona. Se você sente que as coisas estão acontecendo rápido demais, como em qualquer coisa na vida, é hora de rever o que você faz. Se você se mantém saudável e não tem lesões, pode se sentir bem por muito tempo. É claro que, em algum momento, chegará o limite, mas ainda não sinto isso", disse o campeão de 2007 e que lutou diretamente com Alonso também em 2005, quando foi vice.

Outro rival histórico de Alonso, Lewis Hamilton, brincou que, com a chegada do espanhol, ele já não corre o risco de ser o piloto mais velho do grid ano que vem, caso Raikkonen não continue. O hexacampeão, que negocia sua extensão de contrato com a Mercedes, tem 35 anos. Perguntado sobre a equação peso da idade x experiência, ele indicou que é possível estar em boa forma aos 40.

"Imagino que há prós e contras para ambos: com certeza, a experiência conta muito para ajudar uma equipe como a Renault, ou qualquer uma, a se desenvolver e ir na direção certa. Isso certamente um bônus. Não sei como é ter 40 anos ainda! Então sei o quão desafiador isso é fisicamente, lembro do Michael [Schumacher] estando muito bem aos 40. Não tenho dúvidas de que Fernando possa estar em grande forma. Honestamente, eu era o segundo mais velho e agora serei o terceiro, então isso é ótimo!"

Hamilton foi perguntado ainda se a Fórmula 1 tinha perdido com a saída de Alonso no final de 2018. "Não acho que a F1 perdeu sem ele, é só olhar os pilotos que se destacaram nos últimos anos. A F1 está evoluindo em uma direção muito boa e vai continuar aqui depois que formos embora", e salientou que "quanto mais pilotos top tivermos, melhor é para o esporte", referindo-se a Alonso e também a Sebastian Vettel, que admitiu que pode estar de saída.

Pole Position