PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Pole Position


Retorno de Alonso à F1 em 2021 deve ser anunciado pela Renault na quarta

Fernando Alonso, campeão mundial com a Renault em 2005 e 2006 - Clive Rose/Getty Images
Fernando Alonso, campeão mundial com a Renault em 2005 e 2006 Imagem: Clive Rose/Getty Images
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

07/07/2020 11h47

O retorno do bicampeão da Fórmula 1 Fernando Alonso está próximo de ser confirmado. O espanhol deve estar de volta ao grid da categoria em 2021, aos 39 anos. Ele teria acerta seu retorno justamente pela equipe com que conquistou seus títulos, em 2005 e 2006, a Renault. Alonso ficaria com a vaga que é atualmente de Daniel Ricciardo. O australiano já acertou sua ida para a McLaren ano que vem.

A Renault ainda não confirmou a informação. A equipe disse que "não comenta rumores".

A última corrida de Alonso foi o GP de Abu Dhabi de 2018. Depois de três anos muito difíceis com a McLaren, ele decidiu deixar a categoria, mas sempre deixou em aberto a possibilidade de retornar. Seu plano inicial era esperar a definição de novas regras para a categoria, o que aconteceu ano passado. Mas o coronavírus fez a F1 atrasar as mudanças, que estavam programadas para 2021, mas que agora acontecerão em 2022.

Isso faz com que seja difícil a Renault, que atualmente briga com Racing Point e McLaren para ser a quarta força no campeonato, não tenha a expectativa de brigar pelo título imediatamente após a chegada do espanhol, mas acredita estar em uma boa colocação para os anos seguintes. Isso porque uma das decisões tomadas para minimizar os danos causados pelo coronavírus seja adiantar a adoção do teto de gastos de 145 milhões de dólares em 2021. Trata-se de algo mais similar ao que a Renault gasta anualmente em comparação com Mercedes, Red Bull e Ferrari, equipes que vêm monopolizando a luta por vitórias nos últimos anos. O gasto com o salário de pilotos não entra na conta do teto de gastos.

Esta seria a terceira vez que Alonso pilotará para a Renault. Ele chegou à equipe como piloto de testes, em 2002, e foi efetivado no ano seguinte, deixando a equipe em 2007, quando foi para a McLaren. Alonso retornaria logo no ano seguinte, para dois anos no time de Enstone antes de se transferir para a Ferrari.

Os membros da equipe que trabalharam com o espanhol, que é muito bem avaliado tecnicamente dentro das equipes por que passa, teriam sido avisados de sua volta já no domingo à noite, após a primeira etapa do campeonato.

Alonso deve ser companheiro de Esteban Ocon, que foi contratado ano passado por duas temporadas pelo time francês. A contratação significaria que as portas para Sebastian Vettel continuar na F1 ano que vem estariam praticamente fechadas. Apesar de vários pilotos não terem contrato, os rumores de uma possível ida à Mercedes ou à Racing Point foram negados pelos chefes das equipes.

Pole Position